Rede aérea protegida pode ser alternativa para evitar falta de energia

A capital de São Paulo, a exemplo de outros centros urbanos, tem enfrentado uma forte crise de interrupção do fornecimento de energia elétrica. No momento mais crítico, 2,5 milhões de pessoas ficaram sem luz e sem previsão para que o serviço fosse reestabelecido. Em meio aos debates levantados durante o apagão, a solução apontada para mitigar os problemas causados por instabilidades climáticas, como ventos fortes e tempestades, foi o enterramento de toda a rede de cabos elétricos, especialmente em São Paulo.

Além do transtorno para a rotina da população, as quedas prolongadas de energia causam prejuízos econômicos e sociais. No entanto, substituir a rede atual por uma subterrânea custaria, de acordo com cálculos da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecom Competitivas (TelComp), entre R$ 20 bilhões e R$ 80 bilhões. Estima-se que a cidade de São Paulo tem cerca de 20 mil km de cabos aéreos, com apenas 0,3% de rede subterrânea. Qual seria a alternativa viável para minimizar o risco de que milhares de pessoas sejam prejudicadas com a falta de energia elétrica?

É possível substituir cabos aéreos “nus” por cabos cobertos (protegidos). Estes cabos são revestidos com um polímero com características especiais –  XLPE (composto para isolamento de fios e cabos elétricos) de tecnologia 100% nacional, capaz de reduzir significantemente as interrupções do fornecimento de energia elétrica. E tudo isso com um investimento 10 vezes menor do que o enterramento de cabos, e sem causar transtornos para a população.

Vegetação tocando a rede de distribuição, sem interrupção do fornecimento de energia. Créditos: Polyexcel/ Divulgação.

“A solução de redes protegidas com polímero XLPE apresenta tolerância à eventos climáticos como toques temporários de galhos e vegetação, o que garante maior estabilidade à rede elétrica, e ainda com menor custo de instalação quando comparada a redes subterrâneas”, explica Rodrigo Belloli, diretor comercial da Polyexcel. De acordo com o executivo, os cabos cobertos possuem capacidade de reduzir significativamente o número de quedas de energia comparado às redes com cabos “nus”.

A exemplo destas redes, em parceria com uma das maiores concessionárias do Brasil, a Polyexcel desenvolveu um composto com características aprimoradas para aplicação em rede rural (cabo protegido autossustentado). Desde 2020, já foram instalados mais de 1000 quilômetros desse cabo, proporcionando uma redução do número de interrupções de até 82%. A solução com cobertura polimérica tornou a rede mais resistente às chuvas, ventos, quedas de árvores e outras intercorrências naturais, o que diminui a necessidade de manutenções nas linhas de transmissão. Até o momento foram investidos mais de R$ 380 milhões nessas redes.

A modernização da rede possibilitou ainda mais segurança aos produtores rurais, que têm a garantia do funcionamento de equipamentos essenciais para a produção agrícola e criação de animais. Atualmente, a Polyexcel fornece essa solução para as principais empresas produtoras de cabos no Brasil e na América Latina.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No data was found

Próximo evento

Evento: ENASE
Data: 19/06/2024
Local: Hotel Windsor Oceânico - Rio de Janeiro (RJ)
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Fórum GD Nordeste
Data: 07/08/2024
Local: Recife - PE
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: CINASE
Data: 14/08/2024
Local: Centro de Convenções de Pernambuco - Olinda (PE)
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Fórum GD Norte
Data: 11/09/2024
Local: Manaus - AM
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.

Controle sua privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação.