ONS divulga os resultados do Estudo do Planejamento da Operação para o Setor Elétrico até 2028

Plano da Operação Elétrica prevê investimentos de R$ 49 bilhões.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apresentou neste mês os resultados do Sumário Executivo do Plano da Operação Elétrica de Médio Prazo do Sistema Interligado Nacional – PAR/PEL 2023 para o horizonte de 2024 a 2028. Para o ciclo analisado, estão estimados investimentos de R$ 49 bilhões.

O perfil dos investimentos é de R$ 4,9 bilhões de novas obras e R$ 44,1 bilhões para projetos de ciclos anteriores que estão sem outorga. Neste segundo grupo, estão, por exemplo, R$ 21,7 bilhões em linhas de transmissão e novas subestações, leiloados em 15 de dezembro de 2023.

Na análise por estado, observa-se que cinco deles concentram cerca de 71% dos futuros investimentos: Maranhão (R$ 9,9 bilhões), Goiás (R$ 8,5 bilhões), Minas Gerais (R$ 7,3 bilhões), Piauí (R$ 4,7 bilhões) e Bahia (R$ 4,6 bilhões).

Um dos pontos analisados no PAR/PEL 2023 são os desafios das fontes renováveis variáveis e a importância da transmissão. O documento destaca que a crescente participação de recursos energéticos renováveis de alta variabilidade na matriz elétrica nacional torna a gestão do equilíbrio entre a oferta e a demanda de carga ainda mais complexa.

Em 2023, as usinas eólicas e fotovoltaicas centralizadas têm 38 GW de capacidade instalada, patamar que vai atingir 54 GW ao final de 2027. Esses dados não contemplam a expansão da Micro e Mini Geração Distribuída (MMGD), modalidade que pode atingir cerca de 40 GW de potência instalada até 2027.

Rampas de geração

De acordo com a entidade, “um setor elétrico com este desenho precisa de flexibilidade suficiente para permitir que a operação mantenha o controle do balanço carga versus geração e utilize de forma otimizada a capacidade do sistema de transmissão. Essa flexibilidade permite ao Operador responder a variações, como as rampas de carga, desvios de previsões, mantendo o equilibro entre geração e demanda ao menor custo operativo”.

A partir da perspectiva de um balanço estático, o ONS estima rampas de geração despachável da ordem de 25 GW em dias úteis em janeiro de 2024. Desta forma, será preciso injetar um montante expressivo de energia em um intervalo de poucas horas, diariamente, para suprir o que deixa de ser gerado pela MMGD e pela fonte solar fotovoltaica de médio/grande porte quando a irradiação solar acaba. A perspectiva é que essa rampa chegue a 50 GW em 2028, representando um aumento de 100%.

O PAR/PEL 2023 também destaca que os investimentos previstos na ampliação do sistema de transmissão vão permitir o pleno escoamento do excedente de geração do Norte/Nordeste para o Sul/Sudeste/Centro-Oeste para o atendimento à carga, a partir de 2029 e 2030, um resultado direto dos leilões de transmissão realizados em junho e dezembro de 2023, além do próximo leilão a ser realizado em 2024.

Painel interativo

A partir deste ano, as informações do PAR/PEL serão consolidadas em um painel interativo, publicado no site do ONS. Para acessar a página que reunirá todos os documentos referentes ao PAR/PEL 2023, clique aqui.

Até o momento, estão disponíveis a apresentação do Sumário Executivo, realizada na reunião do dia 20/12, e um infográfico que mostra números e informações deste ciclo do PAR/PEL como estimativa de investimentos necessários para a execução das obras, evolução da rede de transmissão e classificação das obras, levando em consideração a severidade dos possíveis impactos desses empreendimentos na operação do SIN.

Segundo o ONS, até o final de janeiro de 2024 estarão disponíveis os relatórios do PAR/PEL (Volumes I, II, III) e o Sumário Executivo, que apresenta informações de interesse do Setor Elétrico que permeiam o ambiente de Planejamento da Operação Elétrica do SIN.

Sobre o PAR/PEL

O Plano da Operação Elétrica de Médio Prazo do SIN – PAR/PEL tem como objetivo avaliar o desempenho do SIN, no horizonte de cinco anos, para que a operação futura seja realizada com níveis adequados de segurança, com aderência aos critérios de confiabilidade estabelecidos nos Procedimentos de Rede. O plano contém as indicações de obras necessárias para o pleno atendimento à demanda, à integração das novas usinas geradoras e ao funcionamento do setor elétrico no médio prazo.

O PAR/PEL ainda sintetiza uma visão de futuro acerca dos desafios da operação elétrica do SIN, considerando o aumento de complexidade associado ao aumento de participação das fontes renováveis variáveis centralizadas e dos recursos energéticos distribuídos, de forma a contribuir com o Setor Elétrico Brasileiro para o desenvolvimento de estratégias e soluções que fortaleçam a resiliência e a segurança do SIN face a essas transformações em curso.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No data was found

Próximo evento

Evento: ENASE
Data: 19/06/2024
Local: Hotel Windsor Oceânico - Rio de Janeiro (RJ)
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Fórum GD Nordeste
Data: 07/08/2024
Local: Recife - PE
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: CINASE
Data: 14/08/2024
Local: Centro de Convenções de Pernambuco - Olinda (PE)
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Fórum GD Norte
Data: 11/09/2024
Local: Manaus - AM
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.

Controle sua privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação.