Novo PAC destina mais de R$ 160 bi para impulsionar setor elétrico brasileiro

O novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), iniciativa do Governo Federal que visa impulsionar investimentos em infraestrutura e desenvolvimento econômico, engloba aplicações significativas tanto na melhoria da transmissão de energia quanto na expansão da geração de energia limpa e renovável no Brasil.

Transmissão

Na área de transmissão de energia, o PAC destina um total de R$ 89 bilhões para obras e novos empreendimentos. Esse montante inclui R$ 33 bilhões em obras em andamento e R$ 56 bilhões destinados a licitações planejadas até 2024. A maior parte dos investimentos cumprirá um papel de promoção da integração de energia limpa e renovável na matriz elétrica brasileira.

O conjunto de obras irá promover a expansão na interligação elétrica entre as regiões Norte/Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste. No total, todo o plano de obras cadastrado no PAC compreende investimentos em 22 Unidades da Federação.

Dentre outros benefícios, os investimentos irão proporcionar o incremento em até 70% na capacidade instalada de fontes de geração renováveis na Região Nordeste, resultando em maior eficiência operativa e menores custos aos usuários do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Geração

Em relação à geração de energia, serão 343 obras públicas e privadas, com um investimento de R$ 73,1 bilhões, para a construção de usinas fotovoltaicas, eólicas e hidrelétricas. Os novos empreendimentos vão adicionar 18.367 Megawatts (MW) ao sistema elétrico. Com isso, o país terá uma maior capacidade energética, com foco nas fontes renováveis.

As usinas de energia fotovoltaicas, que utilizam a luz do sol para gerar energia elétrica, responderão por 8.569 MW, mais da metade da geração de energia prevista pelo Novo PAC. O valor de investimento para essa modalidade é de R$ 41,5 bilhões. Os projetos confirmados se localizam nos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

A geração de energia eólica receberá R$ 22 bilhões, com 120 projetos. Os ventos serão responsáveis por aumentar 5.202 MW no sistema elétrico. As turbinas serão instaladas nos estados de Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte. Também estão confirmadas novas 20 pequenas centrais hidrelétricas na Bahia, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul. O investimento chegará a R$ 1,3 bilhão.

Haverá ainda R$ 8,1 bilhões de investimento em energia térmica, sendo três usinas a gás e duas com fontes renováveis. As novas usinas adicionarão 4.290 MW de potência ao sistema elétrico. A usina de Angra I será modernizada para se tornar mais segura, a um custo de R$ 1,89 bilhão.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próximo evento

Evento: DISTRIBUTECH
Data: 26/02/2024
Local: CENTRO DE CONVENÇÕES DO CONDADO DE ORANGE
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Light+Building
Data: 03/03/2024
Local: Fair Frankfurt
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Fórum GD Sudeste
Data: 06/03/2024
Local: São Paulo - SP
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.
Evento: Agenda Setorial
Data: 13/03/2024
Local: Hotel Windsor Barra - RJ
00
Dias
00
Horas
00
Min.
00
Seg.

Controle sua privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação.