Siemens fecha contrato para realizar a gestão de doze usinas fotovoltaicas para a Athon Energia S.A

nov, 2019
  • Parceria consolida a companhia como líder em soluções digitais voltadas ao gerenciamento de plantas de energias renováveis.
  • Os acordos para a gestão das usinas variam de 5 a 10 anos com garantia da Siemens de atingir até 98% de disponibilidade de geração e Performance Ratio no sistema fotovoltaico.
  • Usinas estão espalhadas por São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso, Maranhão e Pará.

Líder em soluções voltadas ao uso de energias renováveis, a Siemens fechou um acordo com a Athon Energia S.A para fazer a gestão digital de doze usinas fotovoltaicas, com capacidade de 60 megawatts, que gera energia suficiente para abastecimento de 120.000 casas populares.

A operação, que consolida a companhia como líder em soluções voltadas ao gerenciamento de plantas fotovoltaicas, segmento que tem crescido exponencialmente nos últimos anos, integra os R$ 300 milhões do plano de investimento da Athon voltado à geração distribuída de energia, no qual a Siemens será a responsável pela operação e manutenção das usinas.

Em contratos que variam de 5 a 10 anos, a Siemens fica responsável por toda a operação e manutenção digital das usinas, cuja atuação será realizada à distância por meio do Centro de Operação Remoto (COR), inaugurado no ano passado nas instalações da empresa alemã, em Jundiaí, no estado de São Paulo. No total, serão mais de 150 mil pontos que serão monitorados em tempo real durante a operação das usinas, que estão espalhadas pelo Distrito Federal e mais cinco estados brasileiros, como São Paulo, Minas Gerais, Goiânia, Pará e Maranhão.

Segundo projeções da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR)*, o setor solar fotovoltaico ultrapassará a marca de 3.000 MW até o final do ano, atraindo mais de R$ 5,2 bilhões em novos investimentos privados, com a instalação de mais de 1.000 MW adicionais em sistemas de pequeno, médio e grande porte. “Nos últimos anos, a Siemens vem trabalhando para suprir as demandas desse mercado com novas tecnologias e por isso que hoje a companhia é líder em soluções voltadas às plantas de geração distribuída”, afirma Guilherme Mattos, Diretor de Energia Distribuída da Siemens no Brasil.

Segundo o executivo, o mercado tem atraído muitos investimentos por parte de fundos, private equities, investidores e novas empresas por conta do grande potencial de crescimento dos negócios nessa área. “O modelo da Siemens para esse mercado tem sido muito bem aceito pelos investidores, até por permitir contratos de performance de geração de energia. Além disso, o histórico de sucesso da companhia, que já está há mais de 150 anos no Brasil, dá confiança aos novos players que estão começando a investir nessa área e precisam de uma marca forte para assegurar a parte operacional”, aponta o executivo.

A digitalização, monitoramento e controle por meio do centro remoto é o grande diferencial da Siemens, pois com o crescimento da Geração Descentralizada, a maior tendência é que as usinas estejam instaladas em quase todos os estados do país, que por sua vez tem dimensões continentais.  Com um grande nível de tecnologia, a Siemens consegue assumir um compromisso contratual de garantir o Performance Ratio das usinas e em alguns casos de até 99% de disponibilidade de geração.

Na Visão da Athon Energia, esse robusto acordo fechado com a Siemens consolida o início de uma longa e prospera parceria. “A Athon é uma empresa de soluções e inovação no segmento de energia, atuando em diversas regiões do país e em um mercado que passa por grandes transformações. Para ser possível viabilizar nossos anseios em nossos projetos de geração de energia fotovoltaica, a Athon buscou um parceiro que tivesse presença nacional, balanço financeiro robusto, excelência técnica e um centro de operações remoto centralizado. Além disso, considerando que nossas metas de Performance e disponibilidade são muito ambiciosas, encontramos todos essa atributos no serviço desenvolvido pela Siemens, que mais do que uma pareceria de O&M, se tornou uma aliança estratégica em diversas frentes para a Athon” aponta Raphael Eckmann, COO da Athon Energia.

(*Projeções sobre o cenário atual e que podem ser alteradas caso seja aprovada a proposta da Aneel para mudar as regras para geração distribuída no país.) 

Comentários

Deixe uma mensagem