Sem crise: volume de contratações reflete expansão do setor elétrico

dez, 2019

O setor elétrico segue na contramão da economia nacional, com forte ritmo de expansão e aumento na quantidade de postos de trabalho. Essa é a principal conclusão de análise da Select Humans for Energy, especializada em recrutamento e seleção de profissionais da área, sobre os processos que realizou nos últimos quatro anos. “A maior parte das posições que ajudamos a preencher – 70% – eram vagas novas nas empresas”, destaca a sócia-fundadora da Select, Luisa Gentil Blandy.

Considerando que o desemprego no país praticamente dobrou nos últimos anos, passando de 6,5% da população economicamente ativa no final de 2014 para 11,8% em julho deste ano, a Select observa que o setor elétrico segue em direção contrária. Luisa associa esse movimento principalmente à expansão do setor de comercialização de energia e das operações com novas fontes renováveis (eólica e solar), incluindo geração distribuída, que concentraram 65% do total de posições.

A trajetória de expansão do setor de energia também pode ser observada considerando que a maioria das posições foi voltada à área Comercial, com 18% das contratações. Destaques também para as áreas de Gestão de Consumidores, Formação de Preço e Jurídica, destino de 10% dos profissionais cada uma. O levantamento considerou a contratação de 68 profissionais, lembrando que, até agora, a consultoria concentrou suas atividades em posições sêniores do setor elétrico.

Gênero – Apesar da presença crescente de mulheres no setor de energia, a maioria dos profissionais realocados são homens (70% contra 30%). “Observamos que esse predomínio masculino ocorre, principalmente, em áreas de negócios, ou seja, aquelas consideradas core da organização, e em áreas mais técnicas, como atuação em campo ou formação de preço. No caso das mulheres, embora tenham uma participação crescente em particular no segmento de comercialização de energia, ainda há espaço a conquistar neste mercado”, avalia Luisa.

A proporção de contratados por gênero está em linha com a identificada pela Irena (Agência Internacional de Energia Renovável, na sigla em inglês) na área de fontes renováveis de energia: pesquisa da entidade mostrou que as mulheres representam 32% dos empregados nessa área num grupo de 144 países. Mas, assim como mostra o levantamento da Select Humans for Energy, a pesquisa da Irena identificou que a presença feminina é menor em empregos relativos a áreas mais técnicas dos negócios, e mais significativa nas áreas administrativas.

A especialista da Select destaca que, nos processos de seleção, já identificou diferentes posturas em relação à ocupação de vagas por mulheres: “Um cliente manifestou interesse específico por uma profissional do sexo feminino porque entendia que tal condição poderia ser um diferencial para a posição comercial. Um outro não queria contratar mulher de jeito nenhum, preocupado com a possibilidade de a funcionária ter de sair de licença maternidade”, afirma. “Inúmeras pesquisas mostram como a diversidade ajuda no crescimento das empresas. Por isso, sempre que possível, tentamos incluir pelo menos uma mulher na lista de indicações apresentada aos clientes”.

Em termos de nível educacional, a pesquisa destaca o fato de que apenas 2% dos profissionais contratados têm doutorado: a grande maioria tem especialização relativa à área de atuação (46% ) ou apenas graduação (34%). Não foi contratado nenhum profissional sem curso superior completo.

Comentários

Deixe uma mensagem