SEL realiza seminário-aula sobre nova tecnologia para relés de proteção

maio, 2019

Tecnologia de relés de proteção no domínio do tempo, já desenvolvida pela SEL, introduz uma nova maneira de se fazer proteção.

 

A SEL realizou em março, em Campinas, um seminário-aula com o objetivo de apresentar ao setor elétrico ‘Conceitos e fundamentos de proteção no domínio do tempo’ juntamente com professores e pesquisadores da UnB – Universidade de Brasília. A ideia do evento foi popularizar uma nova tecnologia de relés de proteção, trazendo aos seus clientes fundamentos, vantagens e aplicações da tecnologia. Baseado nesse conceito, a SEL desenvolveu o primeiro rele digital de proteção no domínio do tempo, o SEL-T400L.

“A tecnologia de proteção no domínio do tempo é, sem dúvida, uma das maiores revoluções na proteção dos últimos tempos. Mais do que a introdução de uma nova tecnologia, ela introduz um novo conceito, uma nova maneira em se pensar e fazer proteção. Os tempos de atuação ultrarrápidos, a localização de faltas com ondas viajantes em tempo real por apenas um terminal, e a possibilidade de “prever” faltas e agir antes que elas ocorram é algo que o mercado não espera, mas necessita”, destacou Armando Guzman-Casillas, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da SEL.

Segundo ele, a Proteção no Domínio do Tempo tem como sua principal característica a velocidade. Um rele que opere com essa tecnologia é capaz de detectar uma falta e enviar um sinal de trip para o disjuntor em até 1 ms, algo inacreditável. “Com a interrupção ultrarrápida das faltas em linhas de transmissão, conseguimos diminuir os danos causados em equipamentos e melhorar a estabilidade do sistema como um todo”, destacou.

O gerente explicou que o SEL-T400L é capaz de detectar uma falta e atuar em até 1ms. Além disso, é o único no mercado capaz de fazer a localização de faltas através de ondas viajantes em tempo real com apenas 1 terminal. Sua oscilgrafia de alta resolução possibilita que os engenheiros analisem fenômenos que não podem ser detectados utilizando relés convencionais, como o desempenho de um disjuntor ou um isolador que está com sua capacidade de isolação comprometida, permitindo até a detecção antecipada de uma falta antes que ela se instale no sistema.

Na teoria, segundo Guzman, a proteção no domínio do tempo utiliza basicamente duas grandezas em seus algoritmos: grandezas incrementais e ondas viajantes. As grandezas incrementais podem ser entendidas como a diferença entre um sistema com falta e o mesmo sistema em operação normal com carga. Já as ondas viajantes são frentes de ondas de alta frequência geradas quando ocorre algum distúrbio na rede, como uma falta por exemplo.

“O SEL-T400L utiliza as grandezas incrementais na operação da proteção direcional, TD32, e na proteção de distância, TD21; e utiliza as ondas viajantes para proteção direcional TW32, para proteção diferencial TW87 e para localização de faltas em tempo real”, disse.

Uma vez que falha humana na parametrização dos relés é uma das principais causas de operação indevida nos equipamentos, um relé com um número reduzido ajustes confere maior segurança às aplicações. “Atualmente, o equipamento da SEL possui apenas nove ajustes chaves para operação da proteção. Quanto aos testes, já existe no mercado uma mala de testes da Omicron, a CMTW-D, que pode ser utilizada para testar o relé com essa tecnologia”, completou. (Adriana Dorante).

Comentários

Deixe uma mensagem