Schneider Electric abre caminho para a neutralidade de carbono com treze de seus edifícios “carbono zero”

out, 2019

– Com 13 de seus edifícios “carbono zero”, a Schneider Electric demonstra que o EcoStruxure é um facilitador para que a indústria opere com zero CO2

– De acordo com o World Green Building Council, construções carbono zero são eficientes em energia e alimentadas por fontes renováveis, para obter zero emissões de CO2 em suas operações

– Schneider Electric se torna membro da Câmara Regional do WorldGBC na região Ásia-Pacífico a partir de outubro de 2019

A ambição da Schneider Electric, líder global na transformação digital em gestão da energia elétrica e automação, é cortar drasticamente e emissão de CO2 em suas operações, seguindo a trajetória de 1.5ºC alinhado com a Science-Based Targets. Em apenas um ano, a Schneider Electric reduziu 130.000 toneladas de emissão de CO2, uma redução de 22% (2018 comparado a 2017). A partir de outubro de 2019, 13 dos edifícios do grupo serão carbono zero, graças ao EcoStruxure da Schneider Electric e a soluções de gerenciamento de energia digital.

Carbono zero: edifícios com eficiência energética e energia renovável

Com a assinatura do Acordo de Paris, em dezembro de 2015, a briga contra as mudanças climáticas tornou-se uma corrida para cortar a emissão global de gases, o mais rápido possível, limitando o aumento da temperatura do planeta. Os edifícios e o setor de construção têm papel fundamental a desempenhar nessa transformação, já que são responsáveis por 30% do consumo de energia global e a emissão de GHG. De acordo com o projeto Advancing Net Zero do World Green Building Council‘s (WorldGBC), entre agora e 2050, edifícios já existentes deverão ser renovados a uma taxa acelerada e aos padrões Carbono Zero, assim todos esses edifícios serão carbono zero em 2050.

A Schneider Electric adotou a definição da WorldGBC de “edifício carbono zero”: um edifício carbono zero é um edifício que é altamente eficiente no uso de energia e totalmente alimentado por recursos de fontes renováveis internas e/ou externas, para alcançar anualmente o progresso de carbono zero nas operações.

A partir de outubro de 2019, 13 edifícios da Schneider Electric localizados na China, Europa e América do Norte (veja o apêndice), serão carbono zero. Esses edifícios aproveitam o gerenciamento digital de energia com o EcoStruxure Power e EcoStruxure Building para proporcionar economia de energia ano a ano. Globalmente, a Schneider Electric permitiu mais de 30% de economia de energia durante os últimos 10 anos, desde que iniciou as ações do programa Schneider Energy Action de eficiência energética. Além disso, a partir de outubro de 2019, 45% das operações da Schneider Electric serão alimentadas por energia renovável.

“Na Schneider Electric, nós queremos liderar e moldar a transição em direção ao panorama futuro da energia. Nossos servidores oferecem uma eficiência de energia ano após ano, vários deles têm produção de energia renovável no local, e em alguns casos microgrids e armazenamento de energia. A inovação do carbono zero é tecnologicamente possível hoje e faz sentido economicamente. Esses sites são casos reais dos benefícios do gerenciamento de energia digital com nosso design e plataforma EcoStruxure, ” afirma Xavier Houot, Senior Vice President de Global Safety, Environment, Real Estate da Schneider Electric.

Para entregar essa transformação, a Schneider Electric aproveita o conhecimento de seu setor de Energy Sustainability Services, consultando equipes, a partir de uma estratégia com parceiros para cumprir sua ambição de eficiência energética e fontes renováveis.

Schneider Electric se torna membro da Câmara Regional do Conselho Mundial de Construção Sustentável na Ásia-Pacífico

“Estou muito orgulhoso de fazer parte da diretoria do Conselho Mundial de Construção Sustentável na câmara da região Ásia-Pacífico. Nós apoiamos a ambição do WorldGBC de transformar o ambiente da construção o tornando saudável, energeticamente eficiente e mais sustentável. Os edifícios têm grande potencial de ajudar a diminuir a emissão global de CO2, com o futuro em mente para desenhar os novos empreendimentos e modernizar o material de construção existente,” comenta Tommy Leong, President, East Asia & Japan da Schneider Electric.

Comentários

Deixe uma mensagem