Projeto Recycling Service Nexans engaja 60% da cadeia de valor da divisão de redes LAN no Brasil

jun, 2019

São Paulo, junho de 2019 – Anunciado em abril, o Projeto Recycling Services Nexans, que envolve um amplo esforço de reciclagem, processamento e reaproveitamento do lixo (fios, cabos e acessórios) gerado em projetos de energia, integrando a cadeia de distribuidores, instaladores e implantadores de rede de comunicação de dados LAN, já engaja mais de  60% de agentes de sua cadeia.

O serviço Recycling Nexans já faz parte do portfolio dos principais canais da Nexans em todo o Brasil, com foco maior no estado de São Paulo, porém com planos de expansão já em execução para atender a outras regiões do país.

De acordo com dados da ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), a média de produção de lixo per capta no Brasil atinge cerca de de 1kg/dia (dados de 2016). Em 2016 geramos, no Brasil cerca de 78 milhões de toneladas.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal 12.305/2010) determina que todo material produzido pelas atividades domésticas e comerciais que serão possíveis de coleta pelos serviços de limpeza pública, deve ser encaminhado para destinação final apenas quando não é possível seu reaproveitamento. Porém, do volume produzido em 2016, quase 30 milhões de toneladas não tiveram a destinação adequada, o que representa um percentual de 41,6% do total gerado, o que transforma os resíduos sólidos em um grave problema ambiental.

Atualmente, de todo lixo produzido no Brasil, 30% tem potencial para ser reciclado, porém apenas 3% deste total é efetivamente reciclado

Assim, toda iniciativa que minimize e ajude o Poder Público nesse esforço redunda em um avanço adicional na preservação do patrimônio ambiental do Brasil.

A inovação do Recycling Services Nexans se dá pelo total compromisso e responsabilidade assumidos pela Nexans com todo o ciclo sustentável do Projeto. Caberá a Companhia gerenciar a reinserção do resíduo das obras, na forma de nova matéria-prima reciclada (para variados reusos), no processo econômico da cadeia de valor econômica.

O processo envolve a entrega de bags para o recolhe do resíduo gerado nas obras aos integradores/instaladores; a entrega no centro de recolhimento (os distribuidores); o transporte às unidades de separação, reciclagem e transformação (dos componentes mais danosos ao meio ambiente presentes nos cabos e acessórios como o PVC, o plástico e o cobre) e a reinserção da “nova” matéria prima, de 2ª linha, gerada para reaproveitamento para outros fins. A presença da Nexans é finalizada nesta etapa.

Todas as etapas e os custos gerados pelo Recycling Services Nexans serão assumidas pela Companhia francesa e objetiva implantar no país a consciência sustentável de toda a cadeia, ampliando a responsabilidade externa, implantando ações diretas no presente com vistas à preservação na vida no futuro. A proposta diferenciada não se sustenta na implantação de moedas de troca como demais as normalmente disponíveis, mas foca na geração e valor econômico sustentável angariando e envolvendo, nesse esforço, todos os seus parceiros bem como os clientes– aplicando investimento próprio.

O lixo produzido por obras de redes de energia – seja em telecom, comunicação de dados, elétrica – é altamente tóxico ao meio ambiente se não for tratado e recuperado. Ele é um dos descartes com maior índice de toxicidade – como o plástico, o PVC e o cobre. O cobre, porém, é um dos poucos materiais que podem ser reciclados e reutilizados sem qualquer perda de desempenho. A reciclagem do metal ajuda a suprir a demanda anual de cobre, preserva recursos naturais valiosos, economiza energia e reduz as emissões de CO2.

Comentários

Deixe uma mensagem