Potencial de eficiência energética no setor público e de serviços são apresentados no COBEE

set, 2019
COBEE também debateu as possibilidades de inserção de tecnologias inteligentes no setor elétrico brasileiro
 

Tiago Reis, para o Procel Info

São Paulo – As oportunidades de ações de eficiência energética voltadas para o setor público foi um dos destaques da 16ª edição do Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE), que foi realizado no mês de agosto, em São Paulo. Tendo como tema principal a “Inteligência Aplicada ao Setor Elétrico e de Eficiência Energética”, o evento, organizado pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco), reuniu durante dois dias representantes do setor elétrico, de governos, órgãos públicos, consumidores, Empresas de Serviços de Conservação de Energia (ESCOs) e da sociedade civil que puderam conferir e debater as principais ações que estão sendo implementadas no setor elétrico brasileiro, como foco na eficiência energética.

Para o presidente da Abesco, Alexandre Moana, o interesse do setor público em buscar soluções para uma melhor gestão do uso da energia elétrica foi o grande diferencial da edição 2019 do COBEE. Para ele, isso se deve ao atual cenário da economia brasileira, associado à escassez de recursos em diversos setores da administração pública. “Num momento de contingenciamento de recursos, a gestão da energia elétrica é crucial. Então, civis, militares e entidades públicas em geral estão cada vez mais interessadas em soluções que proporcionem economia de energia. As empresas privadas, assim como a indústria e o comércio já eram frequentadores habituais do evento. Mas o que surpreendeu mesmo foram as oportunidades para o setor público, que foi a grande diferença para os outros anos”, ressalta Moana.

Ele avalia que essa conscientização dos órgãos públicos se deve principalmente pela cobrança da população por uma melhor gestão do dinheiro público. E a utilização correta da energia elétrica, que em muitas unidades está entre as maiores despesas, é uma medida fundamental. “Uma empresa ou instituição que gastar na sua fatura de energia o mínimo possível para exercer suas funções é um dos termômetros para mostrar a sua boa gestão. Então, o setor público está vendo que a população agora não perdoa se o seu dinheiro, o dinheiro do pagador de impostos, não é bem conduzido”, explica.

Entre as entidades públicas, os projetos implementados pelas Forças Armadas chamaram a atenção do público presente no COBEE 2019. Representantes da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Marinha do Brasil apresentaram os projetos em andamento e os resultados obtidos pelas ações de eficiência energética nas suas instalações. “A presença militar estava muito grande nesse Congresso, porque as bases militares são grandes consumidoras de energia. Tanto a Marinha, o Exército ou Aeronáutica são consumidores de vulto no quesito energia, e esse segmento está bastante interessado em desenvolver e implementar medidas para otimizar o consumo e as despesas com energia elétrica”, explica Moana.

Além do setor público, o segmento de comércio e serviços foi outro que teve grande presença no COBEE 2019. O presidente da Abesco destaca que o cliente com esse perfil de consumo, até pouco tempo atrás tinha poucas possibilidades de fazer a gestão própria da energia fora do mercado cativo. Mas a grande evolução pela qual passa o setor de energia no Brasil e no mundo, com a inserção de novas tecnologias, novas opções de geração e compra, e sistemas de automação e inteligência, mudou o patamar desse setor. Moana lembra que, se antes esse cliente tinha uma posição pouco relevante no mercado de energia, com a evolução tecnológica, ele passa a ganhar cada vez mais protagonismo. “Agora ele sabe que pode ser um produtor de energia. Que a tendência com o tempo é que ele também possa escolher de quem vai comprar a energia. Também temos os projetos de lei na área de portabilidade elétrica. Então, o que aconteceu com essa faixa de cliente é que ele está enxergando um horizonte mais amplo para que possa navegar. Se antes ele estava restrito a ser um pagador de fatura na área de concessão que ele estava inserido, agora ele passa a ter mais oportunidades em comparação com o que ele não tinha antes”, ressalta.

Durante os dois dias de evento, o COBBE também debateu temas como Indústria 4.0, políticas públicas de incentivo à eficiência energética, novas tecnologias para o segmento de iluminação, desenvolvimento sustentável, energias limpas, como biomassa, energia fotovoltaica e biogás. Gestão de energia em empresas de água e saneamento, oportunidades de investimentos em eficiência energética também foram temas debatidos no congresso.

Agentes governamentais, como Ministério de Minas e Energia, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Empresa de Pesquisa Energética (EPE), universidades, associações e confederações, e empresas da área de energia também estiveram presentes no COBEE 2019.

Comentários

Deixe uma mensagem