Pelotas Parque Tecnológico receberá instalação de usina fotovoltaica com geração de energia sustentável

jan, 2020

Um novo projeto irá mudar a forma do Pelotas Parque Tecnológico se relacionar com o meio ambiente e a energia graças à instalação de uma usina de geração solar fotovoltaica no local. A assinatura para o início da sua execução aconteceu em 09 de janeiro, na Prefeitura Municipal de Pelotas, que também participará com uma contrapartida sob a gestão da Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Inovação. A operação municipal é da Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG). O investimento total será de cerca de R$ 425.000,00.

A implementação da usina é resultado de uma emenda parlamentar de responsabilidade do senador Lasier Martins, que destinou R$ 420.774,00 em recursos. O senador havia visitado as obras de Pelotas Parque em 2015 e se comprometido em buscar verbas para potencializar o empreendimento visando o desenvolvimento sustentável. Para o representante gaúcho no Senado, que é um entusiasta do trabalho que vem sendo realizado, o Parque se destaca a nível nacional. “É um ambiente fomentador de pesquisa, inovação, geração de renda e empregos e significa muito dentro das novas tecnologias e economias”, afirma. A prefeitura municipal também é parceira da instalação da usina com uma contrapartida no valor de R$ 4.250,24.

Ao todo, serão instalados 245 painéis solares que irão gerar 109.000 kWa/ano, formando um teto com estrutura para 32 vagas de estacionamento coberto. Nos recursos também estão previstos os custos com a compra de outros equipamentos necessários e toda a infraestrutura do projeto elétrico. Para o Presidente do CONSAD – Conselho de Administração do Pelotas Parque, Mauro Meireles Leite, o impacto irá gerar uma economia de 90% no consumo das áreas comuns utilizados pelas empresas, parceiros e comunidade .

Vantagens competitivas

O desenvolvimento sustentável sempre se enquadrou entre as vertentes do Pelotas Parque Tecnológico. Com a instalação da usina, o empreendimento passará a ganhar condições de ainda mais competitividade. Além da questão de diminuir os custos na fatura de energia elétrica, essa será uma energia limpa, abundante, gratuita e renovável.

Já quanto a sua instalação, a usina se caracteriza por não emitir ruídos e também poder ser ampliada pelo fato de ser modular. Portanto, se houver necessidade de mais placas devido ao aumento de consumo, isso também será possível. A manutenção otimiza ainda mais os custos: as placas necessitam apenas de lavagem de seis em seis meses.

Mauro Meireles destaca também que a instalação valoriza o próprio imóvel, além de ser combinado a uma nova estrutura coberta para o estacionamento dos veículos para 50% das vagas existentes, o que hoje não existe no local. As obras devem iniciar no segundo trimestre deste ano, após a tramitação do projeto na Caixa Econômica Federal e processo de licitação.

Estiveram presentes no Gabinete da Prefeita Paula Mascarenhas, além do presidente do CONSAD, o vice-prefeito de Pelotas, Idemar Barz; representantes da SEPLAG – Secretaria de Planejamento e Gestão; Caixa Econômica Federal; representantes da SDETI – Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Inovação, Lisandra Cardoso e Diego Knorr e os Diretores do Pelotas Parque Tecnológico, Cristian Kuster, João Carlos Deschamps e Rosâni Ribeiro.

Comentários

Deixe uma mensagem