O CINASE na terra do vento e do sol

maio, 2018

Não existe lugar mais oportuno para se iniciar as edições do CINASE de 2018. Fortaleza tem a vocação natural, um enorme potencial de geração de energia limpa com um time técnico e mercado de primeira (universidades, profissionais e empresas) que se prepara há pelo menos duas décadas para viver este momento. Não por acaso os temas relacionados às energias renováveis abrirão o congresso que promete ainda muita informação técnica para a nossa comunidade de eletricidade e energia. O encontro trará temas diversos como os aspectos de especificação, manutenção e operação de subestações e sistemas de baixa tensão, barramentos blindados e cabos, proteção atmosférica e a ABNT NBR 5419, NR 10, aspectos da ABNT NBR 5410, qualidade de energia, compensação reativa, eficiência energética e outros temas associados. Certamente, uma excepcional oportunidade para os profissionais, empresas e mercado da região. O encontro se inicia com a premiação de projetos de empresas e profissionais locais que, seguramente, possuirão boas novidades a apresentar.

Em paralelo, 2018 caminha com boas promessas de recuperação da economia, carecendo ainda de confiança e ambiente para bons investimentos. Parece que até para as eleições em outubro e a posse do novo governo teremos que ter paciência. A recente dança das cadeiras promovida pela incompatibilização obriga a troca de governadores, ministros e prefeitos candidatos, mas trata-se de cumprimento de protocolo, não se podendo esperar grandes modificações por enquanto, até por que não há tempo hábil para qualquer mudança decente.

Fato é que esperamos melhores pautas para discussão como os investimentos em infraestrutura, motor da nossa economia. Ficar discutindo as posições equivocadas do judiciário, dos advogados, dos promotores e se os agentes públicos devem ser mantidos presos ou soltos pelas benesses dos que deveriam fazer justiça não está fazendo mais sentido, nem mesmo a roubalheira da final do campeonato paulista vale a pena comentar. Chega de verborragia jurídica, precisamos de trabalho e planejamento de estado, feito por gente de fato vocacionada!

 

Comentários

Deixe uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: