Novas Normas ABNT NBR ISO 80079 – Partes 36 e 37: avaliação de riscos e tipos de proteção para equipamentos mecânicos “Ex” – Parte 02/02

jun, 2019

Avaliação dos riscos de ignição de equipamentos mecânicos “Ex”: Segundo a ABNT NBR ISO 80079-36, o fabricante do equipamento mecânicos “Ex” deve efetuar uma avaliação de risco de ignição de forma a demonstrar que o equipamento não possua fontes efetivas de ignição durante falhas raras de ocorrer ou durante falhas que possam ser esperadas ou durante operação normal do equipamento, dependendo do nível de proteção de equipamento (EPL – Equipment Protection Level) pretendido. De acordo com os resultados de avaliações e ensaios realizados por organismos de certificação e por laboratórios de ensaios, é atribuído ao equipamento mecânico “Ex” sob avaliação o EPL Ga/Da, Gb/Db ou Gc/Dc.

Os equipamentos mecânicos “Ex” com EPL Ga/Da podem ser instalados em áreas classificadas do tipo Zona 0 / Zona 20. Os equipamentos mecânicos “Ex” com EPL Gb/Db podem ser instalados em áreas classificadas do tipo Zona 1 / Zona 21. Os equipamentos mecânicos “Ex” com EPL Gc/Dc podem ser instalados em áreas classificadas do tipo Zona 2 / Zona 22.

Esta avaliação de risco deve ser feita com uma abordagem escalonada, a ser seguida pelo fabricante do equipamento mecânico “Ex”. No início da avaliação de risco, o fabricante deve decidir qual das seguintes 13 possíveis fontes possíveis de ignição são aplicáveis, isto é, estão relacionadas com o equipamento e presentes, para o equipamento mecânico “Ex” sob avaliação:

  1. Superfícies quentes;
  2. Chamas ou gases aquecidos, incluindo partículas quentes;
  3. Faíscas geradas mecanicamente;
  4. Dispositivos elétricos;
  5. Correntes parasitas ou proteção catódica de corrosão;
  6. Eletricidade estática;
  7. Descargas eletrostáticas;
  8. Radiofrequência ou ondas eletromagnéticas;
  9. Radiação óptica;
  10. Radiação ionizante;
  11. Ultrassom;
  12. Compressão adiabática e ondas de choque;
  13. Reações exotérmicas, incluindo a autoignição de poeiras combustíveis

A nova Norma ABNT NBR ISO 80079-37 especifica os requisitos para o projeto e a fabricação de equipamentos mecânicos destinados para instalação em atmosferas explosivas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis, protegidos pelos tipos de proteção por segurança construtiva – Ex “c”, controle de fontes de ignição – Ex “b” e por imersão em líquido – Ex “k”.

Os tipos de proteção Ex “c”, Ex “b” e Ex “k” especificados na Norma ABNT NBR ISO 80079-37 podem ser utilizados de forma individual ou em combinação entre si, de forma a atingir os requisitos pretendidos de EPL (Equipment Protection Level) para equipamentos do Grupo I (Minas subterrâneas de carvão), Grupo II (Gases inflamáveis) e Grupo III (Poeiras combustíveis), dependendo dos resultados da avaliação de risco de ignição, de acordo com o indicado na ABNT NBR ISO 80079 36 – Equipamentos não elétricos para atmosferas explosivas – Métodos e requisitos básicos.

De acordo com a Norma ABNT NBR ISO 80079-37, os tipos de proteção Ex “c”, Ex “b” e Ex “k” para equipamentos mecânicos “Ex” possuem as seguintes características básicas:

  • Segurança construtiva Ex “c”: Tipo de proteção contra ignição onde medidas construtivas são aplicadas de forma a prover proteção contra a possibilidade de ignição a partir de fontes quentes, faíscas de origem mecânicas ou compressão adiabática gerada por partes móveis.

 

  • Controle de fonte de ignição Ex “b”: Tipo de proteção contra ignição onde dispositivos elétricos, eletrônicos ou mecânicos são utilizados em conjunto com equipamentos mecânicos, de forma reduzir, automaticamente ou manualmente a possibilidade de uma fonte potencial de ignição de se tornar uma fonte efetiva de ignição. Podem ser citados como exemplos destes dispositivos, um sensor de nível para alarmar a perda de nível de óleo de lubrificação ou um sensor de temperatura para alarmar a existência de um mancal aquecido ou um sensor de rotação para alarmar uma rotação acima do normal.

 

  • Imersão em líquido Ex “k”: Tipo de proteção onde as fontes potenciais de ignição são tornadas não efetivas ou separadas de atmosferas explosivas por meio de submersão total destas fontes de ignição em um líquido de proteção, ou por submersão parcial e recobrimento contínuo das superfícies ativas desta fontes de ignição com um líquido de proteção, de forma que uma atmosfera explosiva que possa estar presente acima do líquido de proteção, ou no lado externo do involucro do equipamento “Ex”, não possa entrar em ignição.

Comentários

Deixe uma mensagem