Novas Normas ABNT NBR ISO 80079 – Partes 36 e 37: avaliação de riscos e tipos de proteção para equipamentos mecânicos “Ex” – Parte 01/02

maio, 2019

O risco de ocorrência de uma ignição em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas formadas por gases inflamáveis ou poeiras combustíveis é proveniente da existência de fontes de ignição capazes de gerar centelhas, faíscas ou altas temperaturas. Estas fontes de ignição podem ser representadas por fontes de energia ou condições que são capazes de provocar a ignição de uma determinada atmosfera explosiva de gases inflamáveis ou de poeiras combustíveis que estiver presente ao seu redor.

Em uma instalação industrial, independentemente do tamanho, complexidade ou porte, podem existir muitas outras fontes de ignição, além daquelas associadas com equipamentos elétricos, de instrumentação, de automação ou de telecomunicações.

Desta forma, nas instalações e equipamentos “Ex” envolvendo atmosferas explosivas, avaliações de risco e medidas adicionais são necessárias para mitigar o risco devido a outras fontes de ignição possíveis, incluindo equipamentos mecânicos tais como bombas centrífugas, ventiladores, compressores alternativos, caixas redutoras de engrenagem, esteiras rolantes e elevadores.

Casos históricos de acidentes envolvendo explosões em instalações industriais ocasionadas por ignição gerada por equipamentos mecânicos são registrados desde o início do Século 20. Desta forma, sob o ponto de vista de segurança industrial em atmosferas explosivas, os equipamentos mecânicos também necessitam possuir requisitos construtivos específicos, de forma que não possam gerar faíscas ou centelhas ou pontos quentes, provenientes de atritos de partes móveis, por fricção ou por falta de lubrificação de suas partes constituintes.

Equipamentos mecânicos são reconhecidos como possuindo fontes próprias de risco potencial de ignição. Por este motivo estes equipamentos mecânicos necessitam ser projetados, dimensionados, avaliados, ensaiados em laboratório, certificados e marcados de acordo com os requisitos indicados nas respectivas normas técnicas de tipos de proteção “Ex” para equipamentos não elétricos.

Em 26/10/2018 foram publicadas pela ABNT as seguintes novas normas sobre equipamentos mecânicos “Ex”, elaboradas pela Comissão de Estudo CE 003.031.005 do Subcomitê SC-31 do COBEI:

ABNT NBR ISO 80079-36: Atmosferas explosivas – Parte 36: Equipamentos não elétricos para utilização em atmosferas explosivas – Métodos e requisitos básicos

ABNT NBR ISO 80079-37: Atmosferas explosivas – Parte 37: Equipamentos não elétricos para utilização em atmosferas explosivas – Tipos de proteção não elétricos: segurança construtiva “c”, controle de fonte de ignição “b” e imersão em óleo “k”

A nova Norma ABNT NBR ISO 80079-36 aborda os requisitos básicos e conceitos de proteção “Ex” para equipamentos mecânicos instalados em atmosferas explosivas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis. Até o presente momento, com algumas exceções, somente o projeto, fabricação, instalação e operação de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas tem sido abordado nas Normas ABNT NBR ISO e ABNT NBR IEC.

Podem ser citados como exemplos de equipamentos mecânicos instalados em atmosferas explosivas: acoplamentos, bombas, caixas de engrenagens, freios, motores hidráulicos e pneumáticos e combinação de dispositivos para fabricação de máquinas, elevadores, ventiladores, motores, compressores e montagens de equipamentos.

A Norma ABNT NBR ISO 80079-36 abrange equipamentos mecânicos e montagens de equipamentos destinadas a geração, transferência, armazenagem, medição, controle e conversão de energia ou processamento de material, que são capazes de causar uma explosão devido a suas próprias fontes potenciais de ignição.

As experiências em instalações industriais têm mostrado que é essencial realizar uma avaliação de risco de ignição abrangente dos equipamentos mecânicos “Ex”, de forma a identificar todas as fontes potenciais de ignição e determinar se estes equipamentos podem se tornar fontes efetivas de ignição durante todo o tempo de vida útil prevista do equipamento mecânico.

Uma vez que estes riscos de ignição sejam compreendidos e documentados, é então possível definir as medidas necessárias de proteção “Ex”, dependendo do nível de proteção do equipamento (EPL) requerido, de forma a minimizar a probabilidade destas fontes de ignição se tornarem efetivas.

 

Continua na próxima edição.

Comentários

Deixe uma mensagem