Leilão de transmissão: 20 lotes arrematados com 55% de deságio médio

jul, 2018

Segundo o MME, consumidores terão economia de R$ 14,1 bilhões nos próximos 30 anos

O 1º leilão de transmissão de 2018, realizado no dia 28 de junho, em São Paulo (SP), trouxe resultados positivos para o desenvolvimento do setor elétrico nacional. Os 20 lotes oferecidos foram arrematados, com deságio recorde de 55%. Na prática, quanto maior o deságio, menor o dinheiro pago pelo consumidor para garantir a expansão do sistema de transmissão. Isso significa que, durante o período de concessão às empresas vencedoras, que é de 30 anos, o consumidor terá uma economia de cerca R$ 14,1 bilhões.

O lote 10, que prevê atendimento elétrico à região de Lorena, em São Paulo, foi o que teve o maior deságio: 73,93%. Os empreendimentos que serão construídos vão gerar cerca de R$ 6 bilhões em investimento e 13,6 mil empregos diretos – a maioria deles nas regiões Norte e Nordeste.

“O resultado do leilão foi um passo importante para o setor. Nossa gestão tem possibilitado que os investimentos voltem a fluir. Estamos renovando e melhorando serviços que vão trazer um aumento substantivo na qualidade de vida e nenhum setor da economia pode prosperar sem energia farta e segura”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

O leilão conferiu às empresas vencedoras o arremate de 2562 km de linhas de transmissão e de 12.223 mega-volt-amperes (MVA) de potência de subestações, divididos em 16 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins. O prazo para operação comercial dos empreendimentos varia de 36 a 60 meses, para concessões por 30 anos, contados a partir da celebração dos contratos.

 

Comentários

Deixe uma mensagem