Leilão de energia às avessas

jun, 2018

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) promoveu, durante o mês de maio, três reuniões com agentes, autoridades e interessados nos Leilões de Eficiência Energética no Brasil, objeto da Consulta Pública nº 7/2018, que propõe um projeto-piloto em Roraima para testar o modelo. Roraima foi escolhida, pois é um estado isolado do Sistema Interligado Nacional (SIN) e dependente de importação de energia e de geração local, a diesel, de alto custo e poluente.

Nas reuniões, foram apresentadas e debatidas as principais características do que seria um “leilão de geração de energia às avessas”. Nesse leilão, a Aneel definiria o montante anual cujo consumo se pretende reduzir ao longo do programa, e os empreendedores competiriam pelo menor preço para se comprometerem com a redução de um percentual desse montante. Os vencedores do leilão seriam uma nova espécie de agente regulado, o Agente Redutor de Consumo (ARC).

O “leilão às avessas”, algo inédito no Brasil, permitiria que diversos atores concorressem entre si pelo menor preço, por meio de diferentes carteiras de projetos de redução no consumo de energia (por exemplo, troca de lâmpadas, geladeiras ou condicionadores de ar, instalação de geração distribuída, modernização de iluminação pública).

O estudo estima, no cenário moderado, um potencial de eficientização de 4 MW médios anuais a partir de ações nos segmentos residencial, comercial, poder público e instalação de geração solar distribuída. A proposta é a de que cada competidor tenha que ofertar pelo menos 0,5 MW médio e no máximo 1 MW médio, assegurado o mínimo de quatro ARCs vencedores.

Para mais informações sobre a Consulta Pública e sobre o novo leilão, acesse www.aneel.gov.br

 

Comentários

Deixe uma mensagem