Indústria de Materiais de Construção considera início de 2020 “regular”, com potencial de crescimento

fev, 2020

Termômetro da ABRAMAT indica setor moderadamente otimista

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulga nessa segunda-feira, 03, a nova edição do Termômetro da Indústria de Materiais de Construção, pesquisa de opinião realizada com as lideranças das empresas associadas. O estudo aponta início de ano “regular”, a partir da análise das vendas em janeiro. A publicação também destaca o crescimento do otimismo, refletido na opinião das empresas sobre ações governamentais e em suas pretensões de investimento nos próximos 12 meses.

O termômetro da ABRAMAT aponta que para 65% das empresas associadas, o faturamento no mês de janeiro foi considerado “Regular”. Para 22%, o período foi “bom” ou “muito bom”, enquanto os demais 13% consideraram o primeiro mês do ano “ruim” ou “muito ruim”.

As projeções para o mês de fevereiro indicam desempenho mais positivo: 48% esperam um mês “bom”, 48% acreditam em um mês regular”, enquanto 4% projetam um mês “ruim” ou “muito ruim”.   O setor, que registra crescimento consecutivo no otimismo em relação ao governo desde outubro do ano anterior, chegou, em janeiro, a 44% das empresas associadas. A indiferença, no entanto, ainda é o sentimento da maioria: 52%.  A pretensão de investimentos para o longo prazo registrou 78%, se aproximando ao mais alto patamar registrado nos últimos meses.

Ainda que sujeito à muitas externalidades, o sentimento da indústria para 2020 nesse momento é de um otimismo moderado, com um cenário de manutenção de um varejo forte, conjuntura econômica positiva e novas medidas de financiamento para o setor imobiliário, fazendo com que se aumente o investimento. Ainda falta um importante componente que é a efetiva retomada de obras paradas e as de infraestrutura. De qualquer forma, acreditamos que teremos um ano ainda mais positivo para a indústria de materiais de construção do que 2019, trazendo sustentabilidade para a retomada iniciada em 2018”, pontuou Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT.

Comentários

Deixe uma mensagem