Grupo Luminae Energia conclui emissão de debêntures e fará expansão de fábrica

fev, 2020

Companhia captou R$ 80 milhões no seu primeiro acesso ao mercado de capitais e reforçou a capacidade de financiamento dos clientes

São Paulo, 11 de fevereiro de 2020 –  O Grupo Luminae Energia, focado em eficiência enérgica que tem a maior empresa de iluminação profissional do país, concluiu emissão de R$ 80 milhões em debêntures e caminha para a inauguração de nova fábrica em Osasco (SP) com o objetivo de dobrar a capacidade produtiva da companhia e alcançar R$ 280 milhões de faturamento em 2020, o que representa um crescimento de 50% sobre o resultado de 2019. A meta é atingir R$ 500 milhões em 2022.

Esse foi o primeiro acesso da empresa ao mercado de capitais e com a operação a Luminae reduziu em mais de 30% o custo de captação de dívida. As debêntures têm prazo de 4 anos e a oferta foi coordenada pelo Itaú BBA. “A operação nos permitiu atingir um novo patamar de custo de captação, por isso a emissão foi tão importante. Ela ajudou também a reforçar a credibilidade do modelo de negócio e potencial de crescimento da empresa para os próximos anos”, afirma Rodrigo Giacometti, CFO da Luminae.

O executivo explica que a companhia teve ótima aceitação e interesse por parte dos investidores. A empresa conseguiu alocar mais de 85% da oferta a mercado, mostrando o bom apetite do investidor pela companhia.

Os recursos estão sendo usados para reforçar a capacidade da empresa de financiar os clientes e na ampliação das linhas de produção. Na prática, a Luminae avalia como seu projeto pode reduzir o custo de energia e o cliente pode pagar com a economia obtida. Para isso, a Luminae criou uma estrutura financeira para financiar o cliente durante todo o payback, que é curto, entre um ano e um ano e meio. Além disso, esse valor também irá pré-pagar dívidas com custo mais elevado e alongar o prazo médio do endividamento da empresa. “A expansão da fábrica de luminárias eficientes também é beneficiada pela emissão de debêntures pois financia a aquisição de maquinário e a necessidade de capital de giro”, completa André Ferreira, fundador e presidente da Luminae.

A Luminae está ampliando a sua capacidade produtiva de luminárias eficientes com nova fábrica para responder à forte demanda do mercado ao longo de 2019. A ideia foi replicar a primeira fábrica para, assim, sustentar o crescimento do negócio, que expandiu cerca de 50% a 70% ano após ano desde o início de sua operação, e atender os clientes no prazo que a empresa acha adequado. Com investimento de R$ 5 milhões, o novo espaço terá 4 mil m². O objetivo é produzir um milhão de luminárias eficientes em 2020, frente às 600 mil produzidas em 2019, e aumentar 30% o número de funcionários em 2020. Vale ressaltar que em 2019 a empresa dobrou seu quadro de colaboradores em relação ao número de 2018.

Comentários

Deixe uma mensagem