Grupo Energisa assume distribuidora do Acre

jan, 2019

Aquisição consolida estratégia de crescimento da companhia e sua operação no Norte do País. Grupo fará aumento de capital de R$ 238,8 milhões na empresa e ainda investirá R$ 228 milhões em 2019

O Grupo Energisa assumiu o controle da Eletrobras Distribuição Acre (antiga Eletroacre – Companhia de Eletricidade do Acre), que foi adquirida em leilão realizado pelo BNDES, na B3, em agosto deste ano. Com a aquisição, a Energisa passa a contar com 11 distribuidoras, que atenderão a 7,6 milhões de clientes em 862 municípios de 11 Estados, em todas as regiões do Brasil. A área atendida pela empresa representa agora, aproximadamente, 25% do território nacional e abrange cerca de 10% da população brasileira.

O presidente do Grupo Energisa, Ricardo Botelho, reforça que as prioridades serão a retomada da sustentabilidade da concessão (com a garantia da continuidade do fornecimento de energia para o Estado), a melhoria da qualidade dos serviços, o atendimento a regiões ainda não plenamente supridas – com redução das áreas que estão nos sistemas isolados no Estado que, hoje, correspondem a 25,61% dos clientes do Acre – e a redução do furto de energia, que ultrapassa os 20% na área de concessão. Também serão feitas aproximadamente 8,7 mil ligações até 2022 como parte do Programa Luz Para Todos, concluindo a universalização de energia no Estado.

“Uma das prioridades será a interligação de alguns sistemas isolados ao Sistema Interligado Nacional (SIN), o que ajudará, inclusive, a reduzir o uso de termelétricas no Estado. Todo esse trabalho melhorará, sensivelmente, a qualidade do fornecimento de energia no Acre, apoiando o desenvolvimento econômico e social da região”, afirma Botelho.

A aquisição, segundo o executivo, está em linha com a estratégia de crescimento da Energisa e reforça a política de sinergia entre concessões do Grupo, buscando ativos em Estados próximos às suas operações – o Grupo opera também a concessão vizinha de Rondônia e ainda as distribuidoras de energia de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, e Tocantins.

Ricardo Botelho explica que a nova distribuidora passará por uma série de mudanças que permitirão uma grande transformação na empresa, a exemplo do que ocorreu em outras concessionárias adquiridas pelo Grupo nos últimos anos em processos de privatização.

“Somos um dos maiores grupos do setor elétrico, com mais de 100 anos de atuação neste mercado, DNA de inovação e grande experiência em recuperação de distribuidoras em dificuldades, colocando-as, em poucos anos, entre as melhores do Brasil. Implementaremos, no Acre, um grande programa de transformação e entregaremos uma energia de qualidade ao Estado, permitindo que a economia regional cresça com mais segurança no fornecimento. Nosso objetivo é tornar a Eletroacre uma das melhores do País”, afirma o executivo.

Em 2019, a Energisa planeja investir R$ 228 milhões no Estado para melhorar a qualidade do serviço para os consumidores e expandir o sistema de distribuição para regiões ainda não atendidas. Esse montante é mais de quatro vezes o que foi investido pela Eletroacre em 2017 e três vezes o valor aportado em 2016. A empresa ocupa hoje um dos últimos lugares no ranking de qualidade da Aneel entre distribuidoras com menos de 400 mil clientes (posição 23 entre 25 empresas), o que demonstra a sua baixa eficiência. O objetivo é que esses investimentos coloquem a Eletroacre, em poucos anos, dentro dos limites regulatórios de qualidade e perdas elétricas da agência reguladora.

Para melhorar a saúde financeira da concessionária e regularizar dívidas, a Energisa aportou R$ 239 milhões na distribuidora do Acre em um movimento de aumento de capital. A Eletroacre possui um prejuízo acumulado da ordem de R$ 939 milhões e conta ainda com uma dívida líquida, após capitalização realizada pela Eletrobras, prevista no processo de privatização, de R$ 748 milhões. Apenas com fornecedores, incluindo compra de energia, a dívida da empresa chega a R$ 140 milhões.

Comentários

Deixe uma mensagem