GE anuncia plataforma de armazenamento de energia

jul, 2018

A plataforma Reservoir permite a utilização de energia renovável e melhora o desempenho da rede

As energias renováveis vêm ganhando um papel de destaque cada vez mais na matriz energética do Brasil. A energia eólica foi introduzida no Brasil em 2009 e em menos de dez anos o país tornou-se o 8º maior gerador do mundo, segundo o ranking do Global World Energy Council (GWEC) de fevereiro de 2018.

Diante desse cenário e contribuindo para uso das energias renováveis, a GE anunciou uma nova plataforma de armazenamento de energia, o GE Reservoir. Com a possibilidade de se integrar a toda rede elétrica, a solução permite a complementariedade da energia renovável com a tradicional, podendo melhorar o desempenho da rede e permitir uma geração mais distribuída, além de potencialmente reduzir custos.

A inovação está no sistema de gestão das baterias (BMS), que é de propriedade da GE e chamado de Blade Protection Unit (BPU), bem como na utilização de contêineres pré-fabricados que são montados com as baterias em fábrica, sendo enviados já prontos para a instalação à planta do cliente.

O sistema de baterias pode ser conectado diretamente no barramento de corrente contínua, DC, das plantas solares.

“A plataforma permite distribuição, armazenamento e utilização de energia mais limpa onde e quando for mais necessária. Ela se adapta em praticamente todos os locais, desde sistemas de rede centralizados até comunidades mais remotas”, explica Rodrigo Salim, líder de Baterias e Soluções de Armazenamento de Energia da GE Power. “A modularidade da solução permite que diferentes valores de potência e energia, MW e MWh, respectivamente, possam ser fornecidos aos clientes, mantendo o processo de montagem e instalação do sistema extremamente simples. A montagem do sistema em fábrica também garante potencialmente ao sistema da GE uma das maiores densidades de MWh/m2 do mercado”.

Com o Reservoir, também é possível “conectar o sistema de baterias diretamente no barramento de corrente contínua, DC, das plantas solares”, comenta Rodrigo. “Com isso, a eficiência total do processo de armazenamento de energia, incluindo carga e descarga, pode crescer de maneira significativa, permitindo também que as perdas por sombreamento ao longo do dia, no início da manhã e no início da noite, sejam potencialmente reduzidas, pois o conversor DC-DC do sistema de baterias pode trabalhar com tensões mais baixas, carregando as baterias mesmo em momentos de pouca irradiação, quando não se pode injetar energia na rede”.

A solução também é equipada com sensores que coletam informações sobre o estado de carga, temperatura, tensão, corrente e outros fatores. Os dados podem ser enviados para um centro remoto de operações, onde modelos de degradação são utilizados, também proprietários e desenvolvidos no Centro de Pesquisas Global da GE, em Niskayuna (Estados Unidos), para determinar a vida útil do sistema de baterias. Com isto, poderia ser possível antecipar potenciais falhas, e potencialmente garantindo uma disponibilidade maior do sistema, podendo também determinar se a degradação do sistema está conforme o planejado, ou com taxas distintas ao projetado.

Comentários

Deixe uma mensagem