Extra-extra: notícias históricas!

dez, 2019

A Fundação Energia e Saneamento, ao longo de seus 21 anos de história, vem tratando  e disponibilizando ao público o acervo de mais de um século de energia no Brasil. Desde seu início, a Fundação tem buscado preservar e difundir a documentação referente à energia e ao saneamento, tornando-se uma das maiores referências em documentação  histórica no setor elétrico.

O mais recente projeto iniciado, vencedor do Edital de Apoio à Digitalização de Acervos da Secretaria de Cultura de São Paulo, está tratando, digitalizando e disponibilizando o acervo de clippings da Light, cujas notícias datam desde a chegada da Light no Brasil, 1900,  até matérias sobre a sua sucessora, Eletropaulo, em 1997.

Para entender a complexidade e singularidade da documentação, é necessária a compreensão do que ela abrange. O nome clipping vem do inglês, do verbo to clip, recortar. Trata-se do processo contínuo de gestão da marca e da reputação das empresas por meio do monitoramento das notícias veiculadas na mídia. A Light foi uma das empresas pioneiras no Brasil a realizar esse tipo de ação, tendo como principal foco os jornais, documentação da época. Pelo pioneirismo da Light em gerir a sua imagem, que chegou até a criar, em 1914, um Departamento de Relações Públicas, a coleção de clippings constitui uma importante fonte de informação sobre a história da empresa, do setor energético, da transformação urbana e da expansão de serviços para o interior do Brasil com as Estradas de Ferros e dos impactos com os povos nativos, além das transformações no cotidiano das grandes cidades.

Profissionais da Fundação Energia e Saneamento durante a conservação de clippings.

O projeto de digitalização de clippings teve início em abril de 2019, com ações de tratamento, catalogação  e disponibilização para consulta de, aproximadamente, 350 mil páginas, de 150 jornais diferentes e em variadas línguas, como  português, italiano, alemão e inglês. Uma vez que o jornal impresso era o principal veículo de comunicação e o maior influenciador de opiniões, principalmente nas colônias imigratórias, no início do século XX, a empresa buscou diversificar suas fontes de informação. Mesmo após o surgimento e posterior popularização  do rádio e da televisão, os jornais sempre foram uma fonte fidedigna de informação, explicando assim o porquê da continuidade  do projeto de clippings mesmo após sua estatização.

As reportagens não contêm referências somente à Light, mas também informações sobre as suas principais concorrentes (como a Guinle & Co), movimentações políticas e econômicas, entre outros assuntos.

Página do clipping de 1912, com a imagem da construção do edifício para o depósito, oficinas e escritório da Light & Power na Vila Mariana (SP).

Além do tratamento  técnico, serão feitas ações de preservação e difusão do acervo com pesquisadores e pessoas interessadas sobre a história de uma das mais importantes empresas do setor elétrico que atuou no País. Esse trabalho apresenta alguns desafios, como o estado de conservação de alguns álbuns de clippings, dada a fragilidade inerente do papel jornal. Sendo um acervo de mais de 100 anos, ações de conservação e restauros estão sendo necessárias, como a higienização para controle de sujidades e poeiras, inerentes ao papel jornal. Todas essas atividades são realizadas por uma equipe especializada.

Além disso, está sendo realizada profunda pesquisa para entender a história da Light no Brasil, as empresas que foram adquiridas ao longo do tempo, como a Bahia Tramway, Light, Power and Co, uma filial da Light na Bahia comandada por Percival Farquhar, figura importante na história das construções das ferrovias no Brasil e societário da The São Paulo Tramway, Light, Power & Co.

Carta de Dezembro de 1906 para que seja iniciada a seleção e montagem dos álbuns de notícias.

Alguns clippings já podem ser vistos pelo público, na exposição “Rodas e Trilhos: Eletricidade nos Transportes”, no qual abordará a história dos transportes,  desde a transição dos bondes de tração animal ao bonde elétrico, até uma reflexão de como será o futuro dos transportes. O restante da coleção será disponibilizado ao longo da execução do projeto, e poderá ser acessado no site:

http://acervo.energiaesaneamento.org.br/consulta/


*Ana Júlia Santos é estudante de História e estagiária da Fundação Energia e Saneamento.


*Danieli Giovanini é historiadora e analista do Núcleo de Documentação e Pesquisa da Fundação Energia e Saneamento.


*Rubens Magalhães, Artes Visuais e catalogador do Projeto “Catalogação da série de clippings do Fundo Eletropaulo”.


*Tatiana Ishikawa é bibliotecária e catalogadora do Projeto “Catalogação da série de clippings do Fundo Eletropaulo”.


Fundação: energiaesaneamento.org.br

Comentários

Deixe uma mensagem