Equalizando os potenciais

jan, 2019

A estruturação de nossa Economia depende do cumprimento dos conhecidos fundamentos desta ciência que nos governa e possibilita nos mantermos vivos e ativos. Se alguém acha que dinheiro aceita desaforo, e ainda não quebrou a cara, com certeza irá quebrar.

As equações podem parecer complicadas, mas uma simples operação primária explica tudo isso. Se o que se gasta não for menor daquilo que se arrecada teremos problemas. O não atendimento a este preceito milenar da Economia nos colocou nesta situação e a falta de coragem para agir compromete nosso futuro. A dependência política e dos políticos para manter de pé nossa economia, requer coragem e transparência destes últimos.

As cartas estão na mesa, a previdência está quebrada, servidores dos setores privados, públicos e militares deverão abrir mão do que seriam seus direitos. A máquina pública está inchada e deve ser modernizada da mesma forma que as empresas privadas o fazem ininterruptamente. Se o equilíbrio não ocorrer, perderemos confiabilidade e segurança jurídica para novos investimentos, estes mesmos investimentos que alavancam nosso mercado e o sucesso de novas atividades.

É necessário que as forças da sociedade estejam em fase, com os mesmos propósitos e com seus potenciais equalizados. Esta condição de equilíbrio parece ser uma condição básica para passarmos desta etapa de estruturação ou reestruturação. É necessário coragem, determinação, colaboração, trabalho e bons propósitos.

Se o antagonismo das forças políticas prevalecer em relação à necessidade de ajustes dos aspectos econômicos e outros relacionados ao desenvolvimento não haverá o que fazer e a turma do “quanto pior melhor” vai ficar rindo à toa. Rindo de que? Não só na Economia, mas meio ambiente, segurança, infraestrutura, educação e saúde aguardam soluções, ainda fundamentalmente sustentáveis.

Jogar “contra” causará transientes, distorções, desequilíbrios e afundamentos e não teremos filtros para estes distúrbios. Quem não quiser ajudar, por favor não atrapalhe, desconecte! Esperamos juízo, competência, transparência e muito trabalho. Boa sorte a todos e uma boa regulação de tensão!

Comentários

Deixe uma mensagem