Eletricidade estática em atmosferas explosivas – Riscos, controle e mitigação – Parte 08/08

abr, 2020
  1. Avaliação e mitigação dos riscos da eletricidade estática em equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”: ABNT NBR ISO 80079 36

A norma técnica brasileira adotada ABNT NBR ISO 80079-36, relaciona 13 diferentes fontes possíveis de ignição em atmosferas explosivas, sendo a eletricidade estática uma delas. De acordo com aquela norma, as centelhas capazes de gerar ignições devido à eletricidade estática podem ocorrer em atmosferas explosivas sob determinadas condições.

O centelhamento de partes isoladas eletrostaticamente e carregadas pode facilmente levar a descargas  capazes  de causar uma ignição. Com partes eletrostaticamente carregadas fabricadas de materiais não condutivos (como a maioria dos plásticos), podem ocorrer descargas ramificadas. Em  alguns  casos específicos, durante  processos de separação rápida (como em  filmes  em movimento sobre roletes, correias transportadoras, operações com braços de carregamento e transferências de grandes quantidades de hidrocarbonetos) ou por combinação de materiais condutivos e não condutivos, é também possível a propagação de descargas ramificadas. Descargas propagantes podem ocorrer também em material a granel.

A norma ABNT NBR ISO 80079-36 apresenta em seus Anexo B (Explanação do procedimento de avaliação do  risco de ignição), Anexo C (Exemplos de avaliação de risco de ignição) e Anexo E (Considerações sobre utilização indevida que possa ser razoavelmente prevista durante o procedimento de avaliação de risco) procedimentos detalhados para a avaliação de equipamentos elétricos e mecânicos destinados a serem instalados em atmosferas explosivas com relação às suas fontes potenciais de ignição (incluindo a eletricidade estática), as quais necessitam ser devidamente mitigadas de forma a não se tornarem ativas.

A norma ABNT NBR ISO 80079-36 apresenta também  informações  sobre eletricidade estática em seus Anexo D (Ensaios de carregamento com materiais não condutivos) e Anexo F (Desenvolvimento de diferentes tipos de descargas eletrostáticas capazes de gerar ignição).

  1. Referências bibliográficas

ANP – Relatório de investigação do incidente de explosão ocorrido em 11/02/2015 no FPSO Cidade de São Mateus

Livro O ciclo total de vida das instalações em atmosferas explosivas, Paco Editorial

ABNT NBR IEC 60079-0: Atmosferas explosivas – Parte 0: Equipamentos – Requisitos gerais

ABNT NBR IEC 60079-7: Atmosferas explosivas – Parte 7: Proteção de equipamento por segurança aumentada “e” ABNT NBR IEC 60079-14: Atmosferas explosivas – Parte 14: Seleção de equipamentos e montagem de instalações elétricas

ABNT NBR IEC 60079-17: Atmosferas explosivas – Parte 17: Inspeção e manutenção de instalações elétricas ABNT NBR ISO 80079-36: Atmosferas explosivas – Parte 36: Equipamentos não elétricos para atmosferas explosivas – Métodos e requisitos básicos

IEC TS 60079-32-1: Atmosferas explosivas – Parte 32-1: Riscos eletrostáticos – Orientações

IEC 60079-32-2: Atmosferas explosivas – Parte 32-2: Riscos eletrostáticos – Ensaios

ABNT DIRETIVA 3: Adoção de documentos técnicos internacionais http://conexaodt.abnt.org.br/wp-content/uploads/2018/01/ABNTDIRETIVA3_2017.pdf

Subcomitê SCB 003:031 da ABNT/ CB-003 – Atmosferas explosivas http://cobei-sc-31-atmosferas-explosivas.blogspot.com

Comentários

Deixe uma mensagem