EDP debate transformações do setor elétrico no Energy Talks

nov, 2019

A EDP reuniu players do segmento e clientes nesta terça-feira durante o Energy Talks, evento que abordou as tendências do setor energético nacional. Além de executivos da empresa, o economista Ricardo Amorim apresentou uma abordagem sobre “Economia: como será a próxima década”.

Os executivos Carlos Andrade, vice-presidente de Novos Negócios, Pedro Kurbhi, diretor de comercialização, Daniel Santiago, head de Soluções Comerciais e Energia Solar, e Nuno Pinto, head de Negócios B2C e Mobilidade Elétrica da EDP Smart, falaram sobre as mudanças na matriz energética, perfil dos clientes e transformações pelas quais o segmento continuará passando nos próximos anos.

Dentre os destaques feitos pelos executivos estão as mudanças no perfil dos consumidores. Isso fará com que as empresas de energia passem a oferecer, cada vez mais, soluções personalizadas e adequadas a cada tipo de cliente. A digitalização dos serviços, descarbonização, com aumento na relevância de fontes renováveis, e descentralização, que levará a crescimento de serviços em áreas como o mercado livre, estiveram entre as outras tendências apontadas.

Nova rede de recarga ultrarrápida

A mobilidade elétrica também recebeu destaque.  Em 2019, a EDP anunciou o primeiro e maior projeto da América do Sul de instalação de carregadores ultrarrápidos (150kw e 350kw). Ao todo, serão 30 novos pontos de carregamento que vão cobrir todo o estado de São Paulo e conectar os principais corredores elétricos do País, interligando a capital paulista a Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba e Florianópolis. As marcas Audi, Porsche e Volkswagen serão parceiras da companhia neste projeto, realizando os testes com os seus veículos para homologação da infraestrutura. As empresas ABB, Electric Mobility Brasil e Siemens serão as fornecedoras das soluções de carregamento.

Encerrando o evento, o economista Ricardo Amorim traçou uma perspectiva para a economia brasileira nos próximos anos. Na visão do palestrante, apesar do ambiente conturbado na política, a agenda econômica vem caminhando. Ele acredita que a desburocratização da economia do país, motivada pelas reformas, aliada a fatores com aumento da capacidade de investimento e tendência de aumento de empregos levam a crer em melhoras no ambiente de negócios e atração de investimento para os próximos anos.

Comentários

Deixe uma mensagem