Desenvolvimento do mercado de gás natural é debatido no Instituto de Engenharia

out, 2019

Segunda edição do seminário de Petróleo e Gás discutiu o avanço do gás também na matriz energética brasileira

Com o tema “O Desenvolvimento do Novo Mercado de Gás Natural”, o Instituto de Engenharia (IE) realizou na terça-feira (15), a segunda edição do evento de Petróleo e Gás no Estado de São Paulo. Para o presidente do IE, Eduardo Lafraia, o setor ainda precisa ser muito debatido no país e o Instituto pode receber qualquer tema que envolva o desenvolvimento da infraestrutura no Brasil.

“Somos uma instituição isenta e aberta para discutir soluções para o país, pois acreditamos que no seu crescimento e com isso acontecendo a engenharia avança junto”, comentou Lafraia.

O secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, realizou uma apresentação no início do encontro sobre as iniciativas do Estado para o desenvolvimento da distribuição do gás natural em São Paulo e a importância da interiorização desse modal energético para o País. “São Paulo foi o primeiro Estado do país a realizar a concessão da distribuição do gás, regulamentar os consumidores livres, assim como os autoprodutores, sempre com transparência no cálculo tarifário para que este serviço seja levado de maneira justa ao consumidor”, disse Penido.

Já o consultor técnico da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Gabriel de Figueiredo da Costa, falou sobre a atenção que a monetização do potencial de gás exige em toda a sua cadeia e também sobre o novo mercado. “Esperamos um aproveitamento melhor do gás do pré-sal e de outras áreas, com investimento principalmente em métodos modernos de escoamento, processamento e transporte do gás natural. Com esses pontos vamos conseguir atrair o interesse de indústrias e um aumento da geração termoelétrica a gás com redução do preço de energia”, frisou Figueiredo.

“A oferta de gás cresceu muito tanto no Brasil como no mundo. Em nosso país, tivemos duas grandes notícias, a primeira é o pré-sal, que foi uma descoberta incrível e a segunda foi que o governo nacional decidiu que a Petrobras vai ter menos poder e dar acesso neste mercado. Com isso, outras empresas vão poder trabalhar e desenvolver gás natural”, concluiu o diretor do CBIE, Adriano Pires.

Participaram também do encontro, o diretor da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), Marcelo Mendonça; o diretor da Zenergas Consultoria em Energia e Regulação, Zevin Kann; a diretora de Regulação Técnica e Fiscalização dos Serviços de Gás Canalizado da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), Paula Campos e o engenheiro João Carlos Meirelles.

Este evento foi uma iniciativa do Instituto de Engenharia com apoio institucional da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo. A próxima edição está marcada para o dia 25 de novembro.

Comentários

Deixe uma mensagem