Consumo de energia na indústria aumentou durante a Copa do Mundo

ago, 2018

Setores de extração de minerais metálicos, químico e de metalurgia registraram demanda por energia acima da referência em dia útil normal

A produção de commodities da pauta de exportação brasileira manteve atividade, mesmo em dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo da Rússia, realizados em dias úteis e que provocaram expediente reduzido em grande parte das empresas do País. É o que revela estudo da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que observou o comportamento do consumo de energia do país nos dias de jogos da seleção brasileira.

Apesar de o consumo de energia no Brasil ter reduzido no geral, nos dias dos jogos da seleção, o estudo revelou que os ramos da indústria química, de metalurgia e produção de metais, e de extração de minerais metálicos (como ferro, zinco e outros) registraram consumo de energia acima do observado no mesmo dia da semana anterior ao início da Copa, valor de referência do estudo.

O destaque foi para a indústria de Extração de Minerais Metálicos que aumentou o consumo em 10% em relação ao valor de referência, na quarta-feira, 27/6, dia em que maior parte das empresas do país dispensou funcionários no início da tarde em razão do jogo Brasil x Sérvia.

Na indústria de Químicos, o aumento de consumo de energia no mesmo dia foi de 2%, enquanto na de metalurgia houve incremento de 1% (ambos comparados ao valor de referência).

Mesmo sendo indústrias eletrointensivas (que normalmente já exigem alto consumo de energia), o crescimento acima do valor de referência ratifica o não impacto no consumo de energia na Copa, o que pode se observar no crescimento no ramo de Extração de Minerais Metálico.

O comportamento da indústria de commodities contribuiu para amenizar quedas nos níveis de consumo de energia no país quando observado o Sistema Interligado Nacional (SIN), que inclui residências e grande parte dos setores de comércio e serviços. No dia do jogo Brasil x Costa Rica, ocorrido em uma sexta-feira, às 9h, do dia 22/06, o consumo de energia do país recuou 2,9% no dia em relação ao valor de referência; já no jogo da quarta-feira, 27/6, contra a Sérvia, ocorrido às 15hs, também houve diminuição de 3,6%, no resultado geral do dia.

Consumo Brasil versus Europa

O estudo da CCEE também observou o consumo de energia de outros países da Europa no dia dos jogos das suas respectivas seleções. A avaliação é que, como os jogos da seleção brasileira ocorreram em horários comerciais (e em dias úteis), o Brasil sentiu mais os efeitos no consumo de energia, quando comparado aos países europeus.

Na França, por exemplo, o segundo jogo da seleção de Mbappé (e cia) contra o Peru ocorreu em uma quinta-feira, 21/6, às 17hs (horário de Paris), praticamente não alterou o consumo de energia do país – que se manteve similar ao observado na média na comparação com a média das segundas-feiras do mês (excluindo-se a data do próprio jogo). Situação similar ocorreu durante os jogos, realizados em dias úteis, em países como a Espanha e a Inglaterra que pouco sentiram impactos no consumo de energia.

Exceção foi no dia da estreia da Bélgica na Copa, o que ocorreu, em uma segunda-feira, dia 18/6, às 17hs (horário local). Neste dia, muitas empresas aparentemente anteciparam a produção, possibilitando a parada de suas atividades para acompanhar a seleção dos craques Hazard, Lukaku e De Bruyne, produzindo uma queda de 10% no consumo de energia, no horário do jogo, mas que se refletiu numa queda de apenas 0,5% no consumo do dia.

Comentários

Deixe uma mensagem