Como um alarme pode ajudar a manter a chegada da energia na sua casa

jan, 2020

Subestações elétricas são responsáveis por transformar, proteger, controlar e manobrar a energia recebida antes de ela ir para as residências e comércios. O bom funcionamento delas é ponto forte para que o consumidor nem sinta sua falta

As torres elétricas a já fazem parte do cenário de qualquer cidade e, muitas vezes, nem são mais percebidas. Mas basta acabar a energia para que todos fiquem em pane. Quando isso acontece, nem imaginamos que a queima de um transformador em uma subestação pode ocasionar este problema, geralmente a queima do transformador ocasiona o vazamento de óleo nele contido.  Por isso, ter equipamentos modernos, criados e pensados para aperfeiçoar o trabalho do homem são fundamentais hoje em dia.

Adelfo Braz Barnabé, diretor do CGTI, explica que o setor elétrico brasileiro iniciou a implantação de controle e supervisão digitais no final da década de 1990, e que a partir do ano de 2000 as subestações de energia elétrica começaram a ser tele-assistidas, proporcionando maior controle de operação de subestações e Linhas de Transmissão, melhorando os índices de qualidade de energia para os consumidores.

Todo esse empenho em criar um dispositivo separador que ajuda no controle de vazamento e emite um alarme, caso isso aconteça, contribui para que as subestações sejam, cada vez mais, locais de trabalho seguro e eficiente.

Aprimoramento – Graças a projetos do Programa de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) ANEEL, o CGTI desenvolveu um Dispositivo Separador Óleo Água, que foi lançado no XXV SNPTEE, em novembro de 2019, e que tem, como um dos seus diferenciais, a operação sem a necessidade de controle presencial. “Ao constatar o vazamento, o dispositivo emite um alarme via display no hardware do dispositivo e envia  em tempo real no centro de operação da concessionária, sinalizando o problema”, comenta Barnabé. Ele destaca que esta comunicação mais eficaz permite um monitoramento remoto, otimizando a equipe e evitando que um profissional precise ficar fazendo inspeção visual, atualmente para fazer a inspeção da caixa separadora convencional é necessário abrir a tampa de inspeção e descer num ambiente confinado. Ele, explica, também que atualmente todo equipamento que surge destinado às subestações de energia deve ter a condição de integrar junto ao sistema de controle e supervisão digital das subestações, melhorando a performance dos equipamentos principais de uma subestação tais como: transformador, disjuntor, religador e equipamentos de medição.

Subestação – As subestações de distribuição são as unidades responsáveis pela recepção da energia elétrica proveniente de redes de subtransmissão em alta tensão. Elas estão localizadas nos próprios centros urbanos, já que são elas que distribuem a energia para as redes de distribuição. Já as subestações de transmissão são aquelas localizadas nos pontos de conexão com geradores, consumidores e empresas distribuidoras. Nos pontos de conexão com geradores, a função das subestações é elevar o nível de tensão da energia elétrica gerada para centenas de milhares de Volts. Já nos pontos de conexão com consumidores ou distribuidoras, a função das subestações de transmissão é rebaixar os níveis de tensão para dezenas de milhares de Volts.

Para saber mais sobre o dispositivo separador óleo água, acesse https://www.dispositivoseparador.com.br/

Comentários

Deixe uma mensagem