CINASE – Circuito Nacional do Setor Elétrico Qualidade técnica é destaque no CINASE Rio Grande do Sul

set, 2018

Engenheiros, técnicos e tecnólogos tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre as mais recentes tecnologias do setor elétrico durante a 31ª edição do CINASE – Circuito Nacional do Setor Elétrico, realizado nos dias 8 e 9 de agosto de 2018, em Canoas. O evento reuniu cerca de 800 profissionais do segmento de instalações elétricas do Rio Grande do Sul, que tiveram acesso a inovações e tecnologias, fizeram networking e iniciaram alguns negócios.

A qualidade técnica das apresentações no Congresso foi um dos auge do evento, na opinião dos participantes com os quais a revista O Setor Elétrico conversou. Boa parte enalteceu o conteúdo mostrado pelos palestrantes e a oportunidade de ter tido acesso a tecnologias, dirigidas a um público seleto e de altíssimo nível de conhecimento. Além disso, o CINASE Rio Grande do Sul contou com o apoio de empresas da região Sul, como a Exatron, ABT Elétrica, Filippon Engenharia, universidades como ULBRA e  UNISINOS, importantes associações de classe, como  CREA-RS,  SINTEC RS, AECEEE e o GETEQ – Grupo de Estudos em Tecnologia e Qualidade do Rio Grande do Sul e as concessionárias locais, como a RGE e RGE Sul, pertencentes à CPFL Energia.

“O evento veio não só para valorizar o setor de engenharia elétrica do Estado, mas também seus principais protagonistas, como profissionais liberais, empresas de projetos, execução, universitários e pesquisadores, por meio do Prêmio O Setor Elétrico (OSE) de qualidade das instalações elétricas”, comentou Daniel Filippon, da Filippon Engenharia, uma das empresas que apoiaram tecnicamente o evento.

Durante os últimos meses, muitas informações e contatos foram realizados pelas organizadores e comissão técnica, que ajudaram a trazer uma gama de projetos para o evento. “Foi um privilégio participar da análise de todo esse material tão rico. Percebemos que o nosso Estado está bem representado, com trabalhos de muita qualidade e com inovação tecnológica. O objetivo principal era trazer conhecimento e este foi cumprido”, complemento Filippon.

A cerimônia de abertura foi feita pelo idealizador e diretor da Editora Atitude, da revista O Setor Elétrico e do CINASE, Adolfo Vaiser, que comentou o porquê da existência de um road show para o setor elétrico.  “Cada região tem suas características e temos de mostrá-las ao seu público. Recentemente, realizamos um CINASE em Fortaleza e agora chegou a vez de mostrar o que acontece no Sul. Há muito tempo, o Rio Grande do Sul não tinha uma reunião de especialistas como conseguimos reunir nesses dois dias de evento.”

“A receita do bolo do CINASE é a grande ação de divulgação do evento. Além do contato com toda a cadeia do setor, por conta do prêmio ser ainda uma novidade, também precisamos fazer um trabalho ativo de divulgação para que todos os projetos importantes para o crescimento do setor possam concorrer à premiação”, ressaltou Adolfo.

Compartilha da mesma opinião Simone Vaiser, diretora responsável por toda a organização da infraestrutura do evento. “O ponto chave e o mais prazeroso é o plano de divulgação anterior ao evento. É o momento em que colocamos todo o nosso esforço para o seu sucesso. Por meio do nosso material de divulgação digital e impresso, fazemos um grande trabalho de visita aos patrocinadores e apoiadores, contatando diversas indústrias, engenheiros, técnicos e todas as entidades do setor elétrico”, afirmou Simone.

Em seguida, foi a vez de Regis Sell Haubert, diretor regional da Abinee Sul (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) e da Exatron, dar as boas-vindas e fazer um panorama desta indústria, tão importante para a economia brasileira. “Estamos vivendo a era da Internet das coisas e da Indústria 4.0, e este evento veio nos mostrar essa evolução, por meio da palestras e da idealização do Prêmio OSE”, afirmou.  A Exatron foi convidada a participar do CINASE como uma indústria local e também foi patrocinadora master, possibilitando uma visibilidade maior. “O retorno do evento foi algo surpreendente, totalmente acima das nossas expectativas. Ficamos orgulhosos de participarmos desse modelo de evento e encontramos no CINASE uma forma diferente de mostrar a Exatron. Aproveitamos o CINASE para divulgar que a companhia está de mudança para um parque tecnológico novo, em Canoas, acreditando no mercado brasileiro e na profissionalização do setor”, disse.

“Além da localização privilegiada e da organização impecável, o CINASE Rio Grande do Sul nos surpreendeu também pela quantidade e capacitação do público presente no evento. Tivemos a oportunidade de apresentar pela primeira vez na região um produto exclusivo, o BusFrame, um barramento tubular perfilado, e a reação do público foi altamente positiva, tendo demonstrado reconhecimento das vantagens técnicas e da importância trazida pela inovação”, afirmou Fabricio Gonçalves, da Kitframe.

Homenagens

Um dos pontos auge da cerimônia de abertura do Prêmio OSE foram as homenagens prestadas a duas sumidades do Rio Grande do Sul, que se dedicaram anos à engenharia elétrica da região gaúcha. A primeira, a Ernani Maglia, com mais de 58 anos de profissão, membro fundador do GETEQ e da Maglia Engenharia e, a segunda, in memorian, a Guilherme Dias, referência na engenharia elétrica e de segurança do trabalho brasileira nos últimos 40 anos.

“Gostaria de agradecer aos meus ex-alunos, familiares, parceiros e ao Adolfo, que me impressionou bastante ao me dar a oportunidade de conhecer esse trabalho maravilhoso na área de instalações. Nós engenheiros técnicos temos uma formação cartesiana, que às vezes dá a impressão de sermos pessoas duras, mas não é verdade. Acredito que o relacionamento humano talvez seja o único luxo que o ser humano pode se dar”, comentou Maglia.

A sessão solene também anunciou os vencedores do Prêmio O Setor Elétrico (OSE), com os melhores projetos do Rio Grande do Sul em seis categorias (veja mais detalhes em Premiação).

Participações especiais

Além de toda a programação técnica, que contou com diversos especialistas do setor e das empresas patrocinadoras, ocorreram workshops e palestras com convidados especiais da região Sul, como o GETEQ, que tratou sobre as tendências da engenharia elétrica no Rio Grande do Sul; a Filippon Engenharia, com Daniel Filippon, que destacou as mais novas tecnologias e soluções BIM nas instalações elétricas prediais; José Carlos Saciloto Tadiello, presidente da RGE e RGE Sul, e Rafael Lazzaretti, diretor de estratégia e inovação do Grupo CPFL Energia, que falaram sobre processo de unificação e inovação no setor de energia; e Afonso Carlos Aguilar, da ABEEólica, que mostrou um panorama da energia eólica no País e na região gaúcha.

Palestras técnicas

A programação do CINASE Rio Grande do Sul contou ainda com palestras de oito especialistas que fazem parte do road show que percorre o Brasil. Foram eles:

  • Cláudio Mardegan, especialista em proteção, membro sênior do IEEE e CEO da Engepower Engenharia, que falou sobre Operação, Manutenção & Ensaios em Subestações;

  • Cláudio Rancoleta, diretor da Urkraft e membro da comissão do Cobei/ABNT que revisa normas sobre transformadores de potência, abordando sobre Transformadores;

Juliana Iwashita, coordenadora da comissão do Cobei/ABNT e diretora da Exper Soluções Luminotécnicas, com o tema Certificação em produtos de iluminação – Lâmpadas LED & Luminárias públicas;

  • Paulo Barreto, engenheiro eletricista, com experiência nas áreas de ensino, projeto, execução, manutenção, inspeção e perícia em instalações elétricas, sobre Panorama Normalização Baixa Tensão: NBR 5410 – A revisão e o panorama da NBR 5410;

  • Nunziante Graziano, mestre em energia e doutor em Business Administration. É diretor da Gimi Pogliano Blindosbarra e da Gimi Quadros Elétricos, falando sobre Conceitos modernos de especificação de painéis de média tensão e a revisão da NBR- IEC- 62271-200;

José Starosta, mestre em Engenharia Elétrica, membro do IEEE, diretor da SBQEE e da Ação Engenharia, apresentando sobre Qualidade de Energia – Compensação Reativa & Eficiência Energética na Indústria;

  • Jobson Modena, coordenador da comissão do Cobei/ABNT que revisa a norma de proteção contra descargas atmosféricas e diretor da Guismo Engenharia, destacando a NBR 5419:2015 e Proteção em áreas abertas – novidades e tendências na PDA –Proteção de descargas atmosféricas;

  • João Barrico, membro do GTT-10 do MTE, diretor da Engeletric e professor de engenharia de segurança, abordando sobre Segurança do Trabalho, as NR´s;


*Por Adriana Dorante

Edição: Cristiane Pinheiro

Fotos: Rogério Martins

Comentários

Deixe uma mensagem