As instalações elétricas aplicadas em uma “obra de arte”

fev, 2019

A RD3 Engenharia foi convidada a participar da revitalização do ícone da arquitetura do Rio de Janeiro, o “Hotel Nacional”, em seus 34 andares, da renomada arquitetura de Oscar Niemeyer. O hotel, inaugurado em 1972, foi tombado pelo patrimônio municipal em 1998 e, em 1999, foi fechado.

Em 2015 iniciou-se a reforma desta obra de arte, desafiando todos os envolvidos, onde os projetos devem manter os traços da arquitetura alinhando com as novas tecnologias em projetos.

Ao total, temos 468 quartos e, em alguns andares, suítes serão ampliadas, com sua modernidade, atendendo às novas exigências do corpo de bombeiro e do setor hoteleiro.

Os projetos de instalações elétricas foram iniciados em março de 2015 e o hotel foi inaugurado em dezembro 2016.

A RD3 Engenharia (www.rd3engenharia.com.br) foi criada em 2010 com o sonho e experiência de mais de 20 anos na área de projetos de instalações dos engenheiros e irmãos Paulo Marcelo e Pedro Antônio. A empresa nasce para colocar em prática o desejo em comum dos fundadores: fazer projetos com excelência e preocupação sempre em atender cada cliente com excelência.

A RD3 vem a cada dia se consolidando mais no mercado e firmando parcerias com clientes fiéis e comprometidos com a filosofia, sempre olhando para frente, buscando melhorias e aperfeiçoamentos para que possamos continuar nesse caminho.

 

Uma nova distribuição elétrica para a “obra de arte”

Entrada de energia

Uma nova entrada de energia foi projetada com a modernidade das novas tecnologias aliadas às preconizações de operação e manobra da regulamentação da concessionária LIGHT, que promoverão o aumento da segurança das instalações elétricas.

Distribuição elétrica

Desenvolvemos o projeto elétrico com a tecnologia de projeto utilizada em grandes centros comerciais, onde preconizamos a execução de subestações secundárias junto aos pontos de grande consumo elétrico “centro de carga”.

Ao total temos quatro subestações secundárias distribuídas no empreendimento.

Busway

O atendimento elétrico para a torre do hotel contará com a distribuição elétrica através de barramentos blindados “busway”, garantindo neste cenário redução nos custos de execução elétrica e rapidez na implementação das prumadas elétricas.

Centro de medição lojas

No pavimento de acesso ao hotel, foram disponibilizados pontos de entrega para lojas que serão atendidas com centro de medição exclusivo permitindo assim medição do consumo unitário de cada unidade e, desta forma, disponibilizar rateio conforme o consumo “kwh” e não através de rateio por m2.

Grupo geradores

A RD3, em seu projeto elétrico, considerou a utilização de uma “Usina Elétrica”, formada por grupos geradores a diesel que irão disponibilizar atendimento elétrico em média tensão no horário de ponta ou em caso de falta de energia da concessionária.

Atendimento da concessionária

Neste projeto foi solicitado a concessória LIGHT o atendimento com dupla alimentação, ou seja, um ramal principal e um ramal reserva.

Subestação da entrada de energia

Nesta subestação, temos o painel de entrada de energia de média tensão, que vai receber da concessionaria os dois ramais em média tensão.

O sistema de transferência entre estes ramais foi projetado para ser automático, seguindo as preconizações da LIGHT quanto ao tempo para efetuar a transferência entre o ramal principal e o ramal reserva.

A transferência só ocorre quando temos falta de energia no ramal principal.

Subestação principal

Na subestação principal, é local onde temos o painel geral de média tensão “PGMT”, responsável em prover o atendimento em média tensão para as subestações secundarias
Responsável também pelo sistema de transferência entre a energia proveniente do painel de media tensão da entrada de energia e da energia proveniente da “USINA” de grupos geradores.

Subestações secundárias

Neste projeto foram disponibilizadas subestações secundárias

próximas às grandes cargas. Teremos desta forma:

  • subestação localizada junto à central de ar condicionado;
  • subestação dedicada para o futuro centro de convenções;
  • subestação localizada no telhado para atendimento à casa de máquina dos elevadores, serviço condominial e as unidades de hotelaria “quartos” referente à “Zona Alta”;
  • subestação secundária integrada à subestação principal onde teremos os atendimentos às operações da cozinha industrial, administração e as unidades de hotelaria “quartos” da “Zona Baixa”.

A distribuição das subestações secundárias foi estratégica, visando aproximar a subestação secundária dos equipamentos elétricos com valores elevados de potência elétrica, como por exemplo a central de ar condicionado, centro de convenção e das casas de mánas dos elevadores, desta forma reduzimos os encaminhamentos de condutores elétricos ao longo da distribuição horizontal.

Tensão de distribuição

Neste projeto foi preconizado o uso da tensão de distribuição em baixa tensão em 380 / 220 volts, garantindo assim redução da corrente nominal nos pontos de distribuição das utilidades em relação ao nível 220/127 volts. Consequentemente redução na seção dos condutores elétricos.

Principais componentes utilizados em projetos

 Condutores livres de gases halogenos

Em projeto foram preconizados a utilização de condutores livres de gases halogêneos, conforme NBR 5410.

Busway

Foi praticado a utilização de barramento blindado na distribuição elétrica vertical para os 34 pavimentos do hotel, garantimos a eliminação de desperdícios de materiais em comparação à utilização de condutores elétricos, aumento na eficiência energética, rapidez na execução e de eventuais manutenções.

A utilização de Busway tem atributos que garantem junto ao LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) notas para eficiência energética e também quanto a políticas de reciclagem.

O barramento blindado de baixa tensão é praticado com invólucro de chapa de aço com grau de proteção IP-31 de baixa impedância para a redução de perdas no transporte de energia.

Construído de forma a ser um sistema modular para fácil instalação e manutenção. Configuração para barras internas: 3F + N (PE carcaça).

Painéis elétricos de baixa tensão

Os painéis de baixa tensão foram fabricados com grau de proteção IP31, seguindo as preconizações da NBR 60439-1 60439-3.

Painéis elétricos de média tensão

Os painéis de média tensão foram fabricados com grau de proteção IP30.

Transformadores

Transformador a seco onde as bobinas de alta tensão são encapsuladas a vácuo , utilizando resina epóxi. Núcleo de silício em grão orientado com grau de proteção IP 00.

Ilumicação com tecnologia em LED

Foi praticada a utilização de lâmpadas com tecnologia em LED e Drive´s com alto fator de potência (0,99) com controle ativo de PFC.

Aspectos de proteção elétrica considerados

Proteções elétricas

Foram preconizadas as proteções elétricas em seus diversos níveis de corrente, seja no lado de média tensão e de baixa tensão em todos os painéis elétricos.Proteção especifica de terra “GFP”

Nos disjuntores principais dos painéis elétricos das subestações, foi preconizado a proteção GFP seguindo a NEC em sua seção 230-95.

Corrente de fuga da instalação

Foram também incluídos o sistema de monitoramento da corrente de fuga em painéis elétricos específicos, como medida de prevenção de princípio de incêndio e de certa forma também “escutando” a integridade da isolação dos condutores elétricos envolvidos.

Proteção contra surtos

Foi praticada a utilização de protetores contra surtos específicos nos painéis gerais de baixa tensão.

Proteção de falta de fase

Nos painéis elétricos para atendimento a motores / bombas, foram implementadas, proteções de falta de fase conforme preconizada pela NBR 5410.

Projeto de Proteção contra Descarca Atmosférica “PDA”

Foram implementados os subsistemas de “Captação”, “Descida” Subsistema de “Aterramento”, conforme NBR 5419, uso de protetores contra surtos nos painéis elétricos e da equipotencialização no BEP de todas as barras locais “BEL” das subestações secundárias.

Aspectos de outras fontes de energia considerados

Entrada de energia

Para atendimento ao hote, a concessionária disponibilizou dois circuitos de média tensão, sendo um efetivo e um reserva. O painel de entrada de energia em média tensão possui sistema de transferência automática entre estes dois circuitos.

Grupo Geradores “Usina”

O Projeto da RD3 preconizou a utilização de grupos geradores para prover energia nos momentos de falta da concessionária e também para permitir a operação em horário de ponta.

Sistema de transferência

A “Usina” possui sistema de transferência automático para entrada em operação em horário de ponta e nos eventos de falta de energia da concessionária em ambos os circuitos de atendimento.

Operação em horário de ponta

O sistema permite a operação em horário de ponta com o uso da “Usina” que pode prover vantagem econômica e, em alguns casos, abrir a possibilidade de negociação da tarifa junto a concessionária.

Sistema de iluminação

Atendimento aos pontos de iluminação em área condominial de convivência

O projeto elétrico realizou o atendimento a todos os pontos de luminárias indicados nos projetos de arquitetura e projeto luminotécnico.

Em áreas de convivência do hotel, como por exemplo salão do restaurant, o projeto luminotécnico preconizou o acionamento e comando dos pontos através do uso de “Driver´s dimerizados”.

Driver´s dimerizados digitais

Estes driver´s possuem tecnologia para acionamento dos led´s com o uso de sinal digital, como por exemplo.

No salão do restaurant, a “forma da luz” poderá ser alterada em função dos eventos ali realizados, café da manhã, almoço, jantar ou algum evento especial.

Atendimento aos pontos de iluminação em área condominial de serviço

O projeto elétrico da RD3 disponibilizou, nos painéis elétricos de atendimento, a iluminação do serviço condominial, a utilização de contatoras associadas a estes circuitos para permitir a operação manual ou automática.

A operação automática é através da supervisão predial do hotel que poderá definir o acendimento da iluminação em função de:

horário de operação do hotel;

taxa de ocupação do hotel;

eventos especiais.

Atendimento aos pontos de iluminação no interior das unidades “quartos” da hotelaria

No projeto da RD3, foi projetado o acionamento dos pontos de iluminação através de interruptores convencionais.

Como se trata de “quarto” para hospedes, temos a utilização de cartão para o acesso à unidade. O projeto da RD3 disponibilizou um “porta cartão” no interior do quarto próximo á entrada.

O hospede, ao depositar o cartão, habilita o acionamento da iluminação, tomadas de uso geral e ar condicionado.

Automação das instalações e do projeto

Painéis elétricos

Nos painéis elétricos foram disponibilizados, para os circuitos de iluminação condominial, a possibilidade de acionamento remoto via automação predial.

Os medidores de grandeza elétricas no interior dos painéis elétricos possuem saída para monitoramento a distância via automação predial.

 

Descrição da distribuição de energia e circuitos terminais

Armário para “chave a gás” da concessionária LIGHT

Armário destinado para a concessionária instalar as “chaves a gás”.

“Chave a gás” trata-se de painel de média tensão com chaves seccionadoras compactas com isolamento a gás SF6 para possibilitar manobras dos dois ramais de média tensão.

Estas manobras, operações e manutenções são de responsabilidade da concessionária LIGHT. As saídas desta chave atendem ao painel de média tensão da entrada de energia

PMT (Painel de Entrada de Energia de Média Tensão)

Na subestação de entrada, temos o painel de entrada de energia em média tensão com dupla alimentação e seu sistema de transferência automática, módulos para medição da concessionária, medição de qualidade, disjuntor de média tensão e sua proteção secundária. A saída deste painel atende ao painel geral de média tensão.

PGMT (Painel Geral de Média Tensão)

Na subestação principal temos o PGMT, onde possui os módulos para a energia proveniente da concessionária e módulos para a energia proveniente da “Usina”, sendo assim o sistema pode operar em horário de ponta com a energia proveniente da “Usina” e o sistema de transferência é em “rampa”, desta forma a transição é imperceptível para o usuário.
Tambem possui módulos para a distribuição de média tensão para as quarto Subestações Secundárias distribuídas no empreendimento.

Painel de média tensão nas subestações secundárias

Foi praticado o uso de painéis de média tensão em cada subestação secundária com módulos de entrada e saídas para atendimento aos transformadores, provendo assim aumento na segurança nas operações de manutenção.

PGBT (Painel Geral de Baixa Tensão)

Em cada subestação secundária, temos o PGBT, que é o provedor da distribuição de baixa tensão para os painéis de distribuição elétrica “PDE” estrategicamente distribuídos pelo empreendimento em função do “centro de carga”

PDE (Painel de Distribuição Elétrica)

O PDE é o provedor dos circuitos terminais de atendimento aos pontos de utilidades em baixa tensão, como por exemplo: luminárias, tomadas, pontos de força de motores, bombas etc.

Infraestrutura

 Distribuição elétrica horizontal

A distribuição elétrica horizontal é realizada através de condutos (eletrocalhas, eletrodutos e perfilados).

 

Vantagens obtidas pelas equips de manutenção decorrentes das definições de projeto

 Monitoramento da corrente de fuga

Em projeto foram preconizados a utilização de supervisores da corrente de fuga em determinados painéis elétricos para o monitoramento “On-time”, permitindo a equipe de manutenção na antecipação de eventos que podem colocar em risco a integridade das instalações.

Busway

Foi praticado a utilização de barramento blindado na distribuição elétrica vertical para os 34 pavimentos do hotel, garantimos rapidez e facilidade em eventuais manutenções.

*Eng. Pedro Antônio é

Comentários

Deixe uma mensagem