ABB instala a primeira subestação digital de 500 kV do mundo na América do Sul

fev, 2020

A subestação permitirá que a Enel Green Power forneça eletricidade, sem emitir carbono, a partir da maior planta fotovoltaica do Brasil, de forma segura, confiável e sustentável

Quando a ABB entregou a primeira subestação digital da América Latina no Brasil, em 2018, a Enel Green Power tomou nota. A empresa, líder global no setor de energia limpa, decidiu digitalizar suas operações e processos de ativos para melhorar a eficiência energética, diminuir os custos com manutenção e aumentar o uso de soluções sustentáveis. A melhora na acessibilidade aos sinais e dados no local permite acelerar a tomada de decisões em tempo real para lidar com a instabilidade da energia na irradiação solar devido aos movimentos das nuvens.

Nessa estratégia, a subestação digital da ABB parecia se encaixar perfeitamente. Trabalhando de perto com o cliente, a ABB propôs várias alternativas de projeto e engenharia para encontrar a solução mais vantajosa que atendesse às exigências da Enel Green Power.

 

Maior planta fotovoltaica da América do Sul

A subestação da ABB foi escolhida pela Enel Green Power, para fornecer energia solar livre de emissões à rede de transmissão de 500 kilovolt (kV) a partir do parque solar São Gonçalo, a maior planta de energia solar da América do Sul, localizada no Piauí, nordeste do país. Essa é a primeira subestação digital do mundo para classificação de corrente alternada em 500 kV.

A primeira seção da planta, que possui 475 MW, começou a produzir energia em janeiro deste ano. Quando estiver em pleno funcionamento, será capaz de gerar mais de 1.200 GWh por ano, eliminando a emissão de mais de 600.000 toneladas de CO2 por ano.

A energia fotovoltaica está crescendo no Brasil. A capacidade instalada em 2019 ultrapassou a marca de 3.000 MW, um aumento de mais de 50% em relação a 2018. De acordo com a ABSOLAR, a associação comercial da indústria fotovoltaica brasileira, isso equivale a US$ 1,3 bilhão em investimentos na economia do país, o que se traduz em 15 mil empregos. Dada a situação, os operadores de rede de hoje exigem soluções digitais para lidar com a crescente quantidade de fontes intermitentes de energias renovável que estão sendo integradas à rede.

 

O que é uma subestação digital?

As subestações digitais da ABB fornecem mais controle e confiabilidade aos clientes. Elas usam comunicação digital de dados para transmitir de forma contínua os dados da operação e condição de ativos, permitindo uma tomada de decisão mais rápida e confiável. Elas ajudam a simplificar a implementação de estratégias de manutenção preditiva com base em condições através da aplicação de diagnóstico e serviços remotos. Com o uso de fibra ótica em vez de cabos de cobre, a tecnologia da ABB possibilita operações mais seguras nas subestações, além de reduzir o tempo de instalação e o custo total de propriedade.

ABB entregou a primeira subestação digital do mundo em 2009. Desde então, foram entregues mais de 30 para concessionárias e indústrias em todo o mundo.

 

Envelhecimento dos ativos do sistema

Os ativos do sistema elétrico brasileiro estão velhos e precisam ser modernizados, substituídos ou monitorados para evitar que falhem ocasionando um blackout ou qualquer outro na transmissão de energia. Essa substituição depende da aprovação de uma regulamentação (revisão das regras de substituição) que remunere as concessionárias incentivando a substituição dos equipamentos em fim de vida. Mercado avaliado em 21 bilhões de reais.

Portanto, com o avanço das fontes renováveis não controláveis somado ao envelhecimento dos ativos do sistema de transmissão nacional, a tecnologia da ABB oferece a solução mais indicada.

Comentários

Deixe uma mensagem