4 passos para identificar potenciais de economia por meio da gestão de dados de energia

jul, 2019

Por Mathieu Piccin

 

Para facilitar a compra de energia e maximizar economias, é preciso ter uma compreensão granular do portfólio da sua empresa e do mercado de energia no qual sua empresa se encontra. E o que eu quero dizer com “compreensão granular”? Ter a informação certa, no momento certo, tanto no nível macro quanto no micro!

Há quatro passos que sua organização pode dar para melhorar o programa de gestão de energia por meio da melhor gestão de dados. Cada recomendação é acompanhada de uma pergunta, para que você possa refletir sobre o que conhece dos seus próprios custos de energia.

 

Passo 1: centralizar

Você precisa direcionar seus recursos para as oportunidades com maior retorno sobre o investimento. Parece intuitivo, mas nem sempre é simples. Para garantir que você não perca a próxima grande chance de redução de custos, todos seus dados precisam estar integrados e acessíveis.

Um bom software de gestão e visualização permite que sua organização capture e analise seus dados de energia em um único sistema. Isso fornece uma visão global dos custos e do consumo de todas as commodities, não apenas energia elétrica ou gás natural.

Agora, eu pergunto: dentro de todo seu portfólio de sites, qual é a diferença de competitividade entre as opções de compra atualmente utilizadas pela sua empresa (mercado livre convencional, mercado livre incentivado, curto ou longo prazo, geração distribuída, tarifa branca…)?

 

Passo 2: localizar

Mas o primeiro passo não era centralizar? Sim, mas é muito importante que você não perca os detalhes durante esse processo. Centralização não é a mesma coisa que a abordagem “tamanho único para todos”.

As organizações precisam de uma abordagem de baixo para cima para capturar todos os itens registrados nas faturas. Embora uma visão resumida em nível corporativo da informação seja ideal para uma revisão inicial, as economias estão nos detalhes – fatura por fatura, item por item.

Assim, que proporção da sua conta está relacionada a custos que não têm a ver com a geração e comercialização de energia? Como isso se diferencia de estado para estado? Como isso vem evoluindo ao longo do tempo?

 

Passo 3: contextualizar

Gastos de energia não dizem respeito só a opções de compra e preço. Outro elemento essencial é o quanto de energia você usa, algo que pode variar de acordo com o tipo de instalação ou operação. Por exemplo, um varejista pode ter quatro tipos de lojas, bem como centros de distribuição, escritórios e data centers. Cada instalação tem um perfil de energia único e, consequentemente, um potencial de economia único.

Nesse caso, as organizações precisam entender os padrões de consumo e identificar oportunidades comparando as instalações similares. Elas podem integrar métricas operacionais e de facilities que são chave, como metragem quadrada ou custo de mercadorias vendidas além do uso de energia.

Vamos às perguntas: quanta energia sua empresa consome por produto vendido ou produzido? Como isso varia dentro do seu portfólio?

 

Passo 4: analisar

Você pode concluir os passos 1, 2 e 3 com uma plataforma flexível de gestão dos dados de energia – para transformar os itens das faturas em informações acionáveis. Em paralelo, as empresas estão indo além das faturas para entender o que impulsiona o consumo. Saber como e quando você usa energia abre novas oportunidades de economia.

Isso não apenas fomenta o menor uso, mas também ajuda a transferir cargas para períodos mais baratos ou perfis de carga mais adequados para evitar custos caros de demanda de ponta.

E na sua empresa, quanta energia é consumida nos períodos de ponta? Quais são os horários de ponta, e como eles impactam sua conta?

Economizar por meio de uma melhor gestão dos dados de energia é possível para todas as organizações. Colocar todos seus dados em um lugar só e, então, disponibilizá-los para seus colaboradores trarão ganhos de curto e longo prazo.

E, o melhor de tudo, essa aproximação não requer necessariamente um investimento significativo de estatística e tecnologia. Um bom entendimento das suas operações e do impacto de energia consumida coloca você em uma posição mais confortável para melhorar o desempenho, suas previsões e seus orçamentos.

 

P.S.: Se você respondeu a alguma das minhas perguntas com “eu não sei” ou “me dê um mês que talvez eu consiga te dizer”, talvez seja hora de contatar um especialista.

 

Mathieu Piccin é diretor da área de Serviços de Energia e Sustentabilidade da Schneider Electric para América Latina. A Schneider Electric é líder global na transformação digital em gestão da energia elétrica e automação.

 

Comentários

Deixe uma mensagem