Publicidade - Revista O Setor Eltrico
Publicidade - Revista O Setor Eltrico

Revista O Setor Elétrico


Atitude Editorial

 

 

Facebook - O Setor Elétrico Twitter - O Setor Elétrico You Tube - O Setor Elétrico RSS - O Setor Elétrico

Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidade

E-mail Imprimir

Edição 52, Maio de 2010

Por Julian Villelia Padilla

Nos projetos de iluminação industrial, existem diversos tópicos a serem considerados a fim de proporcionar custos operacionais mais baixos do ponto de vista energético. As oportunidades de economia estão presentes na escolha do conjunto lâmpadas e luminárias, na definição de sua altura de fixação, nos automatismos de comando (sensores de presença, temporizadores e sensores de iluminação), na distribuição dos circuitos elétricos, no aproveitamento da iluminação natural e na localização dos interruptores para atender às necessidades de iluminação do local e de seus usuários.

O ponto de partida para um projeto de iluminação é definir o nível de luz do ambiente, que leva em consideração as atividades que serão realizadas e o público a ser atendido. A norma brasileira ABNT NBR 5413 – Iluminância de interiores define a quantidade de lux necessária para diversos locais. Considerando que há uma subjetividade importante na percepção de uma boa iluminação, é essencial que as recomendações normativas sejam atendidas. Para confirmar a correção da iluminação, é necessário realizar uma verificação prática por meio da medição do nível de iluminação com um luxímetro e comparar com os valores normativos para dirimir qualquer dúvida quanto à qualidade da iluminação.

Os fabricantes têm apresentado desenvolvimentos expressivos com a intenção de proporcionar produtos cada vez mais eficientes e duráveis. Hoje existem alternativas energeticamente mais eficientes na iluminação industrial, que englobam lâmpadas e luminárias com rendimentos luminosos bem superiores aos verificados no passado.

A tabela a seguir apresenta os rendimentos luminosos (lúmens/watt) de diversas fontes de iluminação.

Tipo de lâmpada     Rendimento luminoso
Incandescente                                                                 10 a 15 lm/W
Halógenas                                                                       15 a 25 lm/W
Mista                                                                                    20 a 35 lm/W
Vapor de mercúrio        45 a 55 lm/W
Led                35 a 70 lm/W
Fluorescente comum          55 a 75 lm/W
Fluorescente compacta       50 a 80 lm/W
Multivapores metálicos        65 a 90 lm/W
Fluorescentes econômicas             75 a 90 lm/W
Vapor de sódio             80 a 140 lm/W

Existem algumas considerações a serem feitas para o uso das tecnologias acima em ambientes industriais:

Lâmpadas mistas – Têm rendimento melhor e vida útil maior (6.000 horas) comparadas às incandescentes e apresentam a vantagem de não necessitar equipamento auxiliar de partida, mas, quando a prioridade é minimizar o consumo de energia elétrica, podem ser substituídas pelas lâmpadas fluorescentes compactas de maior potência e pelas lâmpadas de descarga a vapor de mercúrio, sódio e multivapores metálicos.

Lâmpadas a vapor de mercúrio – Possuem vida útil elevada (24.000 horas), custo relativamente baixo e requerem reator para o seu funcionamento. Sua luz é branca e seu índice de reprodução de cores (IRC) é de 40 (luz do sol possui IRC = 100). Podem ser substituídas com vantagem energética pelas lâmpadas a vapor de sódio e de multivapores metálicos.

Lâmpadas a vapor de sódio – Têm vida útil elevada (18.000 a 24.000 horas), custo relativamente baixo e requerem reator para o seu funcionamento. Seu rendimento energético é o melhor das lâmpadas de descarga, porém apresentam o inconveniente de proporcionar uma luz de coloração amarela e um baixo índice de reprodução de cores IRC = 20. Podem ser utilizadas em ambientes industriais em que não haja necessidade de identificação de cores, como fundições, caldeirarias, estoques de matérias-primas, áreas externas e estacionamentos.

Lâmpadas a multivapores metálicos – Apresentam vida útil de 10.000 horas, proporcionam luz branca e boa reprodução de cores (IRC = 80 a 90) e requerem reatores para o seu funcionamento. Seu custo é maior que as outras lâmpadas de descarga de mercúrio e sódio, mas o seu rendimento energético e qualidade da luz justificam o seu uso.

Lâmpadas fluorescentes econômicas – Com vida útil de 7.500 horas, proporcionam boa reprodução de cores (IRC = 80 a 85) e podem utilizar reatores eletrônicos (mais eficientes) para o seu funcionamento. Proporcionam melhores resultados com alturas de fixação de 3 a 4 metros, mas podem ser utilizadas com alturas de fixação de até 5 metros, desde que utilizem luminárias espelhadas. Seu baixo custo e rendimento luminoso justificam o seu uso.

Quanto às luminárias, o aumento do rendimento luminotécnico é alcançado pelas geometrias refletivas adequadas à fonte luminosa, sendo utilizadas superfícies espelhadas para direcionar a luz gerada pelas lâmpadas ao ambiente de trabalho. Em ambientes industriais, é necessário levar em consideração aspectos relacionados com a facilidade de manutenção do conjunto luminária e lâmpada e, caso existir no ambiente industrial a possibilidade de vazamentos de produtos inflamáveis, os invólucros deverão ser à prova de explosão para melhorar a segurança da instalação.

Os fabricantes tradicionais de lâmpadas e luminárias oferecem programas de computador que rapidamente permitem quantificar o número de lâmpadas e luminárias e a sua distribuição física para atender aos níveis de iluminação normalizados e necessários para o ambiente em estudo.

Cabe ao projetista analisar duas ou três alternativas técnicas de iluminação considerando seus custos de implantação e custos operacionais relativos à energia elétrica. Deverão ser discutidas essas alternativas juntamente com os outros profissionais do empreendimento, visando a conciliar os aspectos arquitetônicos e funcionais, investimentos envolvidos, facilidades de operação e manutenção e custos operacionais. O tempo gasto nestes estudos é plenamente justificado pelas economias que podem ser alcançadas em uma análise mais abrangente.

Nem sempre a alternativa que possui o menor investimento inicial é a mais econômica ao longo do tempo. Nesse tipo de avaliação, deve ser considerado para um determinado horizonte de tempo o custo da reposição das lâmpadas (aquisição e mão de obra de substituição) e o custo da energia.

Exemplo prático obtido a partir dos resultados de um software luminotécnico:

Determinar a iluminação (luminárias e lâmpadas) a ser instalada a 1,8 metro do plano de trabalho para proporcionar um nível de iluminação médio de 500 lux. O ambiente possui teto, paredes e piso claros (Reflexões 80%, 70% e 30% respectivamente) e suas dimensões são comprimento = 25 metros e largura = 20 metros:

Opção 1 – Luminária tipo industrial de chapa pintada branca com refletor em alumínio anodizado fosco com lâmpada a vapor metálico de 150 W e reator eletromagnético.

Quantidade de luminárias                         =             56
Iluminância em serviço                             =             558 lux
Potência instalada (lâmpada + reator)       =             9.072 W
Densidade de potência                             =             18,14 W/m2

Opção 2
– Luminária tipo industrial de chapa pintada branca com refletor em chapa pintada branca com duas lâmpadas fluorescentes de 40 W e reator eletromagnético.

Quantidade de luminárias                                    =             81
Iluminância em serviço                                        =             557 lux
Potência instalada (lâmpada + reator)                  =             7.574 W
Densidade de potência                                        =             15,15 W/m2

Opção 3 – Luminária tipo industrial de chapa pintada branca com refletor de alumínio espelhado com duas lâmpadas fluorescentes de 32 W e reator eletrônico.

Quantidade de luminárias                                     =             64
Iluminância em serviço                                         =             523 lux
Potência Instalada (lâmpada + reator)                   =             4.160 W
Densidade de potência                                          =             8,32 W/m2

Considerando um uso mensal de 250 h por mês, os custos da energia consumida para as três opções apresentadas são para um consumidor alimentado em baixa tensão (R$ 0,20 / kWh):

Opção   Consumo mensal (kWh)       Custo energia mensal Percentual
    1                2.268                R$ 454    100%
    2                1.894                  R$ 379       83%
    3                1.040                      R$ 208       46%

Do ponto de vista energético, foi possível reduzir em 54% o consumo de energia e seu correspondente custo por meio da escolha de um conjunto luminária e lâmpada energeticamente mais eficiente, sendo que, neste caso, os investimentos são equivalentes.

A seguir, há algumas recomendações práticas a serem consideradas durante a fase de projeto, objetivando tornar a iluminação energeticamente mais eficiente:

- Aproveitar sempre que possível a iluminação natural. Em galpões industriais, é possível utilizar telhas translúcidas que durante o dia permitem manter a iluminação artificial total ou parcialmente desligada sem comprometer as atividades do local e atender aos níveis de iluminação normativos;

- Distribuir os circuitos de alimentação das luminárias para facilitar os desligamentos parciais conforme a iluminação natural existente.

- A altura de fixação da luminária tem uma influência importante na quantidade necessária de luminárias para atender a um determinado nível de iluminação. A quantidade de lux é função do inverso do quadrado da distância entre a fonte luminosa e o plano de trabalho, de forma que quanto menor for a altura de fixação das luminárias menor será a sua quantidade para atender ao limite normativo de iluminação;

- Uma boa prática dependendo do tipo de indústria é projetar uma iluminação ambiente para circulação das pessoas e movimentação de materiais e adicionalmente pontos de iluminação específica e localizados com as máquinas para proporcionar adequados níveis de iluminação para os seus operadores;

- Escolher criteriosamente o nível de iluminação recomendado por norma para evitar uma quantidade de pontos de iluminação sem necessidade;

- Além do investimento inicial, calcular os custos operacionais (reposição, mão de obra e energia);

- Em ambientes menores ou setores diferenciados, prever interruptores individuais para comando da iluminação;

- Estudar a adoção de automatismos como sensores de presença e sensores de iluminação para desligar a iluminação artificial quando esta não for efetivamente necessária.

As grandes oportunidades de conservação de energia na iluminação estão na fase do projeto e requerem uma análise cuidadosa e criteriosa para selecionar as alternativas mais econômicas. Um projeto energeticamente mal concebido depois de instalado requer novos investimentos e nem sempre é possível aproveitar o que já foi instalado.

Uma iluminação industrial bem projetada melhora o ambiente de trabalho, aumenta a segurança dos funcionários, proporciona melhor produtividade, reduz custos operacionais e, principalmente, contribui para a preservação do meio ambiente.

Julian Villelia Padilla é engenheiro eletricista, engenheiro de segurança, pós-graduado em administração de empresas, com diversas especializações na área de eletricidade e conservação de energia. É diretor da Enerenge Engenharia e Informática Ltda.

 

 

Veja também:

Itens relacionados:
Itens mais atuais:
Itens mais antigos:


Comentários  

 
0 #9 Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidadefive hand 2014-10-07 17:30
Greetings! I've been reading your web site for
a long time now and finally got the courage to go ahead and give you a shout out from Humble Tx!
Just wanted to say keep up the good work!
Citar
 
 
0 #8 Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidadeworld series of 2014-07-30 15:06
In October 2006, but his role has now become the next 72 card five internet poker
room hours. I was given a receipt for his crossover hit The Sweetest
Feeling. With so many advantages to boarding a casino.
Its got 243 different ways to win the hand he's got jack-two here.
The hearings set for August and he was too drunk to legally play.
John Ascuaga's NuggetJohn Ascuaga's Nugget called the casino.

Like the young, hopeful voices of the money, you can try your luck.
Citar
 
 
+5 #7 RE: Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidadeClaudinei 2014-02-17 18:40
Boa noite Professor Julian Villelia Padilla !
Trabalho com instalações elétricas Industriais e gostaria de saber mais sobre iluminação industrial a LED compensa ou não comparado com as lâmpadas a descargas?
Citar
 
 
+2 #6 Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidadeJair Lazaro Felix 2013-10-01 08:42
Muito bom ter acesso facil para ver artigos técnicos tão interessantes como este.
Parabens ao Setor Elétrico.
Citar
 
 
0 #5 dúvidajose duarte 2013-09-05 13:17
Muito bom. Mas qual seria a opção mais indicada para o caso de as luminárias serem instaladas a 4,20m do plano de trabalho?
Citar
 
 
+1 #4 LAMPADAS DE INDUÇÃOPAULO ARRUDA 2013-08-28 12:06
TRABALHAMOS COM LAMPADAS DE INDUÇÃO.
PRODUTO QUE OFERECE AO SETOR ELETRICO INDUSTRIAL INUMERAS VANTAGENS SOBRE OS PRODUTOS TRADICIONAIS.
ENTRE SUAS VANTAGENS APARECEM A ECONOMIA( MESMA LAMPADA METALICA DE 400W PODE SER SUBSTITUIDA POR UMA DE 250W DE INDUÇÃO).
VIDA DA LAMPADA, INDUÇÃO CHEGA TER VIDA DE 100.000HS ENQUANTO A CONCORRENTE 20.000 HS.(A ECONOMIA FEITA EM MANUTENÇÃO É A DIFERENÇA).
ALEM DESTAS VANTAGENS A LAMPADA DE INDUÇÃO OFERECE OUTRAS VANTAGENS.
ATT PAULO ARRUDA
Citar
 
 
+1 #3 RE: Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidadeAdauto Freitas Jr 2013-06-22 07:48
Gostei muito do seu texto. Prático e objetivo. Parabéns!!
Citar
 
 
-2 #2 asdasdasdasd 2012-07-12 11:06
Citar
 
 
+3 #1 RE: Como elaborar projetos de iluminação industrial visando à redução do consumo de eletricidadePaulo Dalben 2012-07-03 10:52
Segue material sobre iluminação industrial
Citar
 

Adicionar comentário


Security code
trocar