Publicidade - Revista O Setor Eltrico
Publicidade - Revista O Setor Eltrico

Revista O Setor Elétrico


Atitude Editorial

 

 

Facebook - O Setor Elétrico Twitter - O Setor Elétrico You Tube - O Setor Elétrico RSS - O Setor Elétrico

 


Luiz Fernando ArrudaLuiz Fernando Arruda

é engenheiro eletricista, pós-graduado em gestão de negócios. Na Cemig, por 20 anos, trabalhou nas áreas de medição e proteção da receita. É assistente do presidente das Empresas de Distribuição da Eletrobrás, representa a IURPA (International Utilities Revenue Protection Association) no Brasil e é professor do curso sobre perdas não técnicas da Funcoge.


Redes inteligentes: algumas contribuições

E-mail Imprimir

Edição 95 - Dezembro de 2013
Por Luiz Fernando Arruda 

Na edição anterior, abordamos o tema “redes inteligentes” pelo prisma da audiência pública do dia 13 de novembro de 2013, convocada pela Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados em Brasília e dissemos que esta iniciativa reabre as esperanças para aqueles que sonham em ter mais inteligência a serviço do sistema interligado nacional.

Luz no fim da Câmara

E-mail Imprimir

Edição 94 - Novembro de 2013

Por Luiz Fernando Arruda 

No dia 13 de novembro de 2013, uma audiência pública da Comissão de Minas e Energia, na Câmara dos Deputados em Brasília, tratou do tema “redes inteligentes”.

Com presença chapa branca completa (Aneel, MME, MCTI, etc.), Abinee, Abradee e conselho de consumidores da Cemig, a discussão do tema tem, a meu ver, um ponto que se destaca: como até agora nada há na legislação que viabilize o investimento pelas concessionárias de distribuição de forma segura, quem sabe um decreto lei venha disciplinar e pacificar o tema.

Condições gerais para ter o smart grid sonhado

E-mail Imprimir

Edição 93 - Outubro de 2013
Por Luiz Fernando Arruda 

Comentei, na edição passada, que já era hora do setor legislativo ou qualquer outro órgão de abrangência nacional determinar certas ações que podem alavancar o uso de mais inteligência na gestão da distribuição de energia elétrica no Brasil.

Depois disto recebi comentários que me encorajaram a arriscar algumas sugestões concretas sobre o assunto como se eu fosse um legislador. Na verdade, a ideia é provocar a discussão do assunto e receber mais sugestões, pois só assim chega-se a um ponto comum e com grandes chances de acerto. Assim, inicialmente vou alinhavar seis pontos:

Página 3 de 13