Publicidade - Revista O Setor Eltrico
Publicidade - Revista O Setor Eltrico

Revista O Setor Elétrico


Atitude Editorial

 

 

Facebook - O Setor Elétrico Twitter - O Setor Elétrico You Tube - O Setor Elétrico RSS - O Setor Elétrico

Linhas elétricas de baixa tensão e média tensão

Edição 38, Março de 2009

Por Hilton Moreno

Uma visão geral das normas ABNT NBR 5410 e ABNT NBR 14039

O tema linhas elétricas ocupa uma posição de destaque nas normas técnicas e é, sem dúvida, um item de extrema relevância no projeto, na instalação e na manutenção das instalações elétricas, sejam de baixa ou de média tensão.

Conforme a norma ABNT NBR IEC 60050 (826), de 1997, Vocabulário eletrotécnico brasileiro, capítulo 826, Instalações elétricas em edificações, “linha elétrica é o conjunto constituído por um ou mais condutores, com os elementos de sua fixação e suporte, se for o caso, de proteção mecânica, destinado a transportar energia elétrica ou a transmitir sinais elétricos”.

Normalização técnica

No caso de instalações elétricas de baixa tensão (até 1.000 V em corrente alternada), as linhas elétricas são tratadas na norma ABNT NBR 5410:2004 em 6.1.5.2. Com relação às instalações de média tensão (acima de 1.000 V e até 36,2 kV inclusive), as linhas elétricas são consideradas em 6.2 da norma ABNT NBR 14039:2003.

Enquanto a NBR 5410 traz, na Tabela 33, a indicação de 49 tipos diferentes de linhas elétricas, a NBR 14039 abrange nove tipos de linhas elétricas na Tabela 25.

Tabela 33 da NBR 5410

A regra para a instalação dos condutores nas linhas elétricas contida na NBR 5410 é que os condutores providos unicamente de isolação (condutores isolados) devam ser instalados dentro de condutos fechados, ao passo que cabos que possuem cobertura (cabos unipolares e multipolares) podem ser utilizados em condutos abertos, condutos fechados, diretamente fixados, etc.

São exemplos de condutos fechados os eletrodutos (metálicos ou não metálicos, lisos ou corrugados, rígidos ou flexíveis), as eletrocalhas (perfil em “U” com tampa, liso ou perfurado), os perfilados com tampa, as canaletas com tampas, etc.

São exemplos de condutos abertos as bandejas (perfil em “U” sem tampa, liso ou perfurado), os leitos (escadas para cabos), as prateleiras, as eletrocalhas aramadas, os perfilados sem tampa, etc.

Tabela 25 da NBR 14039

A NBR 14039 trata da instalação de cabos unipolares e cabos multipolares nas maneiras mais usuais utilizadas em média tensão, a saber: cabos ao ar livre (bandejas, leitos, suportes, prateleiras), cabos em eletrodutos aparentes e cabos no solo (banco de dutos, eletrodutos diretamente enterrados, cabos diretamente enterrados, canaletas fechadas).

Especificação de condutores

Baixa tensão

Quanto à especificação dos condutores, a norma de baixa tensão considera, no item 6.2.3, os condutores com isolação em PVC, EPR, XLPE e os condutores livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça, conforme segue:

- cabos unipolares e multipolares com isolação de EPR: conforme a NBR 7286;

- cabos unipolares e multipolares com isolação de XLPE: conforme a NBR 7287;

- cabos unipolares e multipolares com isolação de PVC: conforme a NBR 7288 ou a NBR 8661;

- condutores isolados com isolação de PVC, não-propagantes de chama: conforme a NBR NM 247-3;

- condutores isolados, cabos unipolares e cabos multipolares não-propagantes de chama, livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos: conforme a NBR 13248.

Na prática, os catálogos dos fabricantes mencionam as normas que os seus produtos atendem. Além disso, o número da norma do produto deve ser gravado sobre a isolação (condutores isolados/cabos unipolares) e sobre a cobertura (cabos multipolares) dos produtos, facilitando a especificação e a inspeção dos cabos a serem utilizados nas instalações elétricas.

Média tensão

Em relação à especificação dos condutores, a norma de média tensão prescreve, em 6.2.3, que os condutores com isolação em PVC, EPR e XLPE devem atender às prescrições da NBR 6251.

Note que, embora a NBR 14039 indique em algumas situações o uso de cabos de média tensão unipolares e cabos de média tensão multipolares não-propagantes de chama, livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos, não há nenhuma referência a qual norma estes produtos devem atender. No caso de ser necessário utilizar estes cabos, deve-se consultar o fabricante para entendimentos em relação a qual norma/especificação o produto deverá atender.

Em particular, a norma destaca que, nos locais AD8 (submersão), independentemente do tipo de cabo, é obrigatório o emprego de condutores com construção bloqueada, visando impedir a propagação longitudinal de água pelo cabo.

Atenção deve ser dada ao requisito de que, nas instalações com tensão nominal superior a 3,6/6 kV, não é permitido o emprego de cabos com isolação em PVC ou em polietileno termoplástico (PE).

Influências externas

Seja em baixa, seja em média tensão, um fator fundamental a ser considerado no projeto e na instalação refere-se às influências externas a que as linhas elétricas estão submetidas ao longo de sua existência. Tanto na baixa quanto na média tensão, as influências estão divididas em três categorias: condições ambientais, utilizações e construções das edificações.

Baixa tensão

As condições de influências externas estão indicadas na Tabela 34 e os casos mais críticos são os seguintes:

- AA1 a AA3: baixas temperaturas ambientes (abaixo de +5oC);

- AD7, AD8: linhas elétricas imersas ou submersas;

- AF4: presença de substâncias corrosivas ou poluentes;

- AG3: choques mecânicos severos;

- AH3: vibrações severas;

- AN3: radiação solar alta;

- BD2, BD3, BD4: fugas das pessoas em emergência;

- CB3, CB4: estruturas das edificações sujeitas a movimentações.

Média tensão

As condições de influências externas estão indicadas na Tabela 24 e os casos mais críticos são os seguintes:

- AA1 a AA3: baixas temperaturas ambientes (abaixo de +5oC);

- AD7, AD8: linhas elétricas imersas ou submersas;

- AF4: presença de substâncias corrosivas ou poluentes;

- AG3, AG4: choques mecânicos significativos e muito significativos;

- AH3: vibrações significativas;

- AN2: radiação solar significativa;

- BD2: fugas das pessoas em emergência;

- CB2: propagação de incêndio.

Normas técnicas citadas no texto

- ABNT NBR 5410:2004 – Instalações elétricas de baixa tensão;

- ABNT NBR 14039:2003 – Instalações elétricas de média tensão de 1,0 a 36,2 kV;

- ABNT NBR 7286:2001 – Cabos de potência com isolação extrudada de borracha etileno-propileno (EPR) para tensões de 1 kV a 35 kV – Requisitos de desempenho;

- ABNT NBR 7287:1992 – Cabos de potência com isolação sólida extrudada de polietileno reticulado (XLPE) para tensões de isolamento de 1 kV a 35 kV – Especificação;

- ABNT NBR 7288:1994 – Cabos de potência com isolação sólida extrudada de cloreto de polivinila (PVC) ou polietileno (PE) para tensões de 1 kV a 6 kV – Especificação;

- ABNT NBR 8661:1997 – Cabos de formato plano com isolação extrudada de cloreto de polivinila (PVC) para tensão até 750 V – Especificação;

- ABNT NBR NM 247-3:2002 – Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750 V, inclusive – Parte 3: Condutores isolados (sem cobertura) para instalações fixas (IEC 60227-3,MOD);

- ABNT NBR 13248:2000 – Cabos de potência e controle e condutores isolados sem cobertura, com isolação extrudada e com baixa emissão de fumaça para tensões até 1 kV – Requisitos de desempenho;

- ABNT NBR 6251:2006 – Cabos de potência com isolação extrudada para tensões de 1 kV a 35 kV – Requisitos construtivos.

Hilton Moreno é engenheiro eletricista, consultor, professor universitário e membro de comissões de estudo da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Veja também:

Itens relacionados:
Itens mais atuais:
Itens mais antigos:


Pesquisas de Mercado e Guias Setoriais desta edição