Revisão da ABNT NBR 5419 – Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas – Uma vista d’olhos no novo texto

maio, 2012

Edição 74 / Março de 2012
Por Jobson Modena

Neste artigo são comentadas algumas alterações que a comissão de estudos 64.10 pretende realizar no texto durante a revisão da ABNT NBR 5419:2005, documento que normaliza a proteção contra descargas atmosféricas no Brasil.

A revisão tem como base o texto da IEC 62305:2010 – Lightning Protection – partes 1 a 4 e tem nova previsão de publicação para início de 2013.

Como já divulgado, depois de revisada, a norma será bem diferente da atual, tanto na forma quanto no conteúdo. Conceitos e diretrizes existentes em outros documentos foram compilados e farão parte da “nova NBR 5419”.

Incluído nas alterações, pode-se destacar o novo formato que, seguindo tendência atual, prevê a existência de quatro partes distintas no mesmo documento, em que os assuntos estão assim divididos:

  • Parte 1 – Vinculada ao desenvolvimento de conceitos e apresentação da teoria envolvida no processo, necessária para melhor compreensão e para a confecção de estudos, projetos, análises, etc. Não há texto correspondente a esta parte na norma atual.
  • Parte 2 – Responsável por direcionar uma análise de risco criteriosa e abrangente que, além de determinar a necessidade técnica da existência do Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) no local, também fornecerá os parâmetros para a determinação do nível de proteção adotado. O anexo B da norma atual é o responsável pela definição da necessidade técnica da existência de SPDA nas estruturas.
  • Parte 3 – Normaliza as dimensões, os tipos de instalação, os tipos de métodos de cálculo e tudo o que envolve o SPDA externo, bem como parte do SPDA interno. A maioria do texto existente na norma atual tem correspondência com esta parte.
  • Parte 4 – Sem nenhuma correspondência na norma atual, esta parte define a correta utilização da proteção interna, notadamente o conceito de Zona de Proteção contra Raios (ZPR), proporcionando o aumento da proteção das instalações elétricas e, principalmente, dos equipamentos por ela servidos contra os efeitos indiretos das descargas atmosféricas.

 Dentre as muitas alterações de conteúdo podem-se destacar:

  • Os procedimentos para o cálculo da captação pelo método do ângulo de proteção (Franklin), em que, ao invés dos ângulos serem fixos para cada situação de nível de proteção, eles passam a ser obtidos através de curvas;
  • As dimensões para a disposição dos módulos (quadrículas) no método das malhas (Faraday);
  • O espaçamento das descidas;
  • As dimensões de vários materiais utilizados no SPDA, principalmente os condutores de cobre nu.

 Ao se ler o texto da nova versão da ABNT NBR 5419, nota-se que a maioria das alterações é consequência de um trabalho constante que busca adotar medidas que aumentem a segurança no SPDA e resultem em um texto mais apurado e abrangente.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: