Revisão da ABNT NBR 5413 é encaminhada à consulta pública

ago, 2012

Edição 78 – Julho de 2012

Por Juliana Iwashita

 

No mês de julho a Comissão de Estudo para Aplicações Luminotécnicas e Medições Fotométricas da ABNT/CB-03 – CE-03:034.04 aprovou o texto final da revisão da norma brasileira ABNT NBR5413: Iluminância de interiores. A atual norma, datada de abril de 1992, estabelece os valores de iluminâncias médias mínimas em serviço para iluminação artificial em interiores. Desatualizado em relação às práticas recomendadas internacionalmente, o documento é a principal norma que rege os projetos luminotécnicos de interiores.

 

O texto aprovado foi encaminhado ao Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações (Cobei) e será disponibilizado para consulta pública por um período de dois meses. Interessados poderão acessar, visualizar, imprimir e apresentar sugestões no site http://www.abntonline.com.br/consultanacional/.

A Comissão de Estudo contou com a participação total de 68 profissionais, representantes de instituições como Abilux, CIE Brasil, Eletrobras, Procel, Inmetro, Fundacentro, universidades, arquitetos, lighting designers, fabricantes de equipamentos de iluminação, laboratórios e concessionárias de energia elétrica.

O texto foi baseado na Norma Internacional ISO 8995-1: Lighting of work places – Part 1: Indoor, elaborada em conjunto com a CIE (Commission Internationale de l’Eclairage) e abordará aspectos quantitativos e qualitativos da iluminação para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente com conforto e segurança.

Entre os principais aspectos da revisão, podem ser destacados os seguintes requisitos:

1. Iluminância mantida para área da tarefa e entorno imediato;

2. Controle de ofuscamento através do Método UGR – UnifiedGlare Rating – Índice de ofuscamento unificado;

3. Reprodução de cor mínima (Ra) para as diversas atividades e tarefas.

Estes três aspectos são recomendados para cada interior, tarefa ou atividade, fazendo com que o projeto luminotécnico seja tratado de forma mais qualitativa.

Quanto à conservação de energia a norma faz a seguinte consideração: “Convém que a instalação do sistema de iluminação atenda aos requisitos de iluminação de um ambiente específico, de uma tarefa ou de uma atividade sem desperdício de energia. Entretanto, é importante não comprometer os aspectos visuais de uma instalação de iluminação simplesmente para reduzir o consumo de energia”.

A norma recomenda a seleção criteriosa do sistema de iluminação e a utilização de acionamento automático ou manual ou a dimerização das lâmpadas priorizando a luz natural disponível para economizar energia.

Visando a melhor compreensão da norma, a comissão de estudo trabalhou na elaboração de um guia orientativo com a explanação dos principais requisitos da norma. Este guia foi baseado na publicação ZVEI Guideto DIN EN 12464-1 – Lightingofworkplaces Part 1: Indoor workplaces.

Na forma de quatro anexos informativos, o guia orientativo traz orientações e detalhes sobre:

A. Áreas de tarefa e áreas do entorno;

B. Grade de cálculo para projeto do sistema de iluminação;

C. Controle do ofuscamento; e

D. Manutenção do sistema de iluminação.

Estes anexos informativos têm o objetivo de assessorar a aplicação da norma, de forma a não alterar o conteúdo da norma ISO 8995-1. Assim, a norma, se aprovada, deve ter seu nome alterado para ABNT NBR ISO 8995-1: Iluminação de ambientes de trabalho – Parte 1: Interior, sendo previstos o cancelamento e a substituição das normas ABNT NBR 5413:1992 – Iluminância de interiores e ABNT NBR 5382:1985 – Verificação de iluminância de interiores.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: