Público qualificado e recorde de participantes marcam o evento CINASE realizado em Belo Horizonte

jun, 2016

Edição 124 – Maio de 2016
Evento: CINASE 2016 – Etapa BHo tecnológica
Por Flávia Lima

 

 

 

Primeira edição do ano do CINASE foi integralmente realizada pela revista O Setor Elétrico. Apoio de instituições regionais foi fundamental para o sucesso do evento.

 

 

 

Entre os dias 26 e 27 de abril, a cidade de Belo Horizonte (MG) recebeu mais uma edição do Circuito Nacional do Setor Elétrico (CINASE), evento itinerante que busca a disseminação do conhecimento técnico na área elétrica em diversas cidades do país. A novidade desta edição é que o evento foi realizado integralmente pela Atitude Editorial, responsável pela revista O Setor Elétrico, o que conferiu mais liberdade para os organizadores e a possibilidade de trabalhar a divulgação do evento regionalmente com o apoio de parceiros locais.

“O resultado não poderia ter sido melhor”, comemora o diretor do evento, Adolfo Vaiser, que afirma que o nível técnico dos participantes foi o melhor de todas as 24 edições já realizadas do CINASE. “Esta foi a etapa que mais contou com participantes qualificados. Além disso, foram cerca de 1.000 inscritos e 460 participantes efetivos”, afirma. Ele explica que isso se deve ao esforço coletivo de apoiadores, patrocinadores e organizadores do evento, que trabalharam a divulgação com antecedência e regionalmente. “Esta é a quarta vez que o CINASE é realizado em Belo Horizonte e, por conhecer muito bem a região, conseguimos contar com a participação de grandes indústrias e entidades importantes dentro do evento”, explica Vaiser.

 

 

O diretor conta que a divulgação pré-evento foi essencial. Foram diversas reuniões e idas a Belo Horizonte para fechar parcerias de apoio e divulgar o evento, trabalho que continuará sendo feito nas próximas edições. Isso permitiu que todos os apoiadores fizessem um grande trabalho de divulgação entre seus associados, clientes, parceiros, além do público em geral, por meio das redes sociais.

 

“De todos os CINASEs que já participei, os ocorridos em Belo Horizonte e um em São Paulo, este com toda a certeza foi o melhor”, avaliou o diretor da Abinee-MG, Alexandre Magno Freitas. Para ele, a criteriosa seleção dos temas abordados aliada à qualidade dos palestrantes fez com que o auditório estivesse sempre cheio durante os dois dias do evento. “Ano a ano observamos uma grande evolução desse projeto, que, com toda a certeza, está se tornando um dos mais importantes fóruns independentes de debates do setor elétrico nacional”, completa.

 

 

Dessa forma, o CINASE contou, então, com os seguintes apoiadores: ABEE-MG (dos engenheiros eletricistas); Abinee (indústria eletroeletrônica), por meio de sua regional; Abracopel (conscientização contra os perigos da eletricidade); Abrasip-MG (engenharia de sistemas prediais); Belo Horizonte Convention Exhibitor Bureau; Cemig; Cobrapi (projetos de engenharia); Crea-MG; Efficientia (grupo de eficiência energética); Gefape (grupo dos fabricantes de painéis elétricos); Loja Elétrica e Sinaees (sindicato da indústria de aparelhos elétricos).

 

Além da divulgação, a programação vem sendo melhorada a cada edição com o intuito de fornecer para o participante informações realmente úteis e atualizadas, que serão utilizadas em suas rotinas de trabalho.


 

 

A estrutura

 

Com o lema “Uma viagem pelo mundo das instalações elétricas”, o CINASE viaja pelo Brasil com a proposta de proporcionar ao participante uma verdadeira imersão ao mundo da energia elétrica, desde a geração, passando pela transmissão e distribuição, até chegar à baixa tensão e, efetivamente, ao consumo da eletricidade. Assim, as palestras são organizadas de modo a abordar diversas temáticas do ciclo da energia elétrica, como a dinâmica dos transformadores, a qualidade da energia, os painéis de média e baixa tensão, a eficiência energética na indústria, a proteção e o aterramento, a segurança do trabalho e a iluminação.

 

 

Na opinião do vice-presidente da Associação Brasileira dos Engenheiros Eletricistas (Abee-MG), Alfredo Marques Diniz, o campo de atuação da engenharia elétrica é muito amplo, mas a nova roupagem do congresso permitiu uma viagem do início ao fim. “Sabe-se que cada modalidade tem uma contribuição a dar para uma sociedade mais justa, mais sustentável, e esta viagem serviu para demonstrar a necessidade da união de todos”, avalia.

 

Dessa maneira, o cronograma é elaborado de forma que, no primeiro dia, sejam abordados temas pertinentes à média tensão e eficiência energética na indústria; e no segundo dia, assuntos envolvendo baixa tensão, aterramento, SPDA e iluminação.

 

 

Diferentemente das últimas edições do evento, em que um executivo da concessionária local é convidado a fazer a abertura oficial do evento, nesta primeira edição do ano, foi realizado um debate com profissionais da área de distribuição de energia da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em que três especialistas fizeram uma breve explanação a respeito do papel do setor elétrico brasileiro face aos desafios regulatórios e de atendimento ao cliente e responderam as dúvidas dos profissionais presentes na plateia.

 

O gerente de Engenharia de Ativos da Distribuição da Cemig, Wagner Araujo Veloso, analisa que o evento foi muito importante para o setor elétrico, pois possibilitou o encontro de fornecedores, concessionária, estudantes e especialistas durante sua realização. “Fiquei animado também com o interesse do público nos temas como geração distribuída, regulação do setor elétrico e medição inteligente”, revela.

 

 

Outro diferencial do evento foi uma palestra sobre energia solar fotovoltaica ministrada pelo especialista da empresa Solenerg, Carlos Alberto Alvarenga, em parceria com a Loja Elétrica. A Efficientia, empresa do grupo Cemig, também teve presença importante no bloco de palestras relacionadas a qualidade da energia elétrica e eficiência energética.

 

Um dos pontos mais esperados e bem trabalhados do congresso foi um debate especial sobre inovação e tecnologia, no que diz respeito a instalações elétricas de baixa tensão, em que a Abrasip, através de cinco de seus diretores, esteve no palco interagindo com o público e com o coordenador técnico do evento, José Starosta, tendo a chance de dividir conhecimento e tecnologia.


 

 

Fizeram parte da mesa o presidente, Rodrigo Cunha Trindade, diretor da Agência Energia; os engenheiros associados Ítalo Batista, da Proerg, e Alexandre Márcio, da Projelet; Carlos Alexandre, da empresa Lumens Engenharia; e Breno Assis, da Viabile Soluções em Projeto.

 

Um dos pontos destacados pelo palestrante Italo Batista é a importância de aprimoramento do BIM (Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção). A tecnologia vem sendo aplicada na construção por várias empresas de projeto e engenharia em Minas Gerais. “Modelamos ao invés de desenhar. Muitas vezes, o que não passava do papel, agora tem novos moldes tecnológicos, com a aplicação de projetos de engenharia. O BIM já é tendência no mercado. Agora, é aprimorarmos ainda mais, para levarmos aos clientes projetos de qualidade”, avalia.

 

 

Para Rodrigo Cunha Trindade, presidente da Abrasip, os profissionais, independentemente do nível de especialização, devem aprimorar seus conhecimentos através das aplicações práticas. “É se baseando nas experiências que nos inspiramos para levar o país ao estágio de produção, gerando riqueza para todos. Vamos aproveitar a atual conjuntura política e econômica do país para aperfeiçoarmos os gargalos e problemas. Quem já viveu um momento como este no mercado, sabe que após a crise, sempre vem a ascensão. Vamos adquirir maturidade, preparando-nos para o momento tão almejado”, diz.

 

A discussão a respeito da nova norma para painéis elétricos também chamou a atenção dos participantes e foi liderada pelo diretor da Abinee-MG, Alexandre Freitas, por especialistas do Gefape e pelo engenheiro Nunziante Graziano. O debate girou em torno da norma IEC 61439, que vem sendo estudada no âmbito da ABNT e que trata da revisão e atualização da família de normas que rege a construção de conjuntos de manobra e controle em invólucro metálico de baixa tensão. A proposta é possibilitar que projetistas e especificadores possam mais facilmente projetar o sistema geral de acordo com as normas, controlar as várias interfaces com sistemas adjacentes, proteger as pessoas contra quaisquer perigos devido às falhas dos painéis e prover capacidade de operação, manutenção e modificação. Isso tendo em conta que as denominações de TTA/PTTA causavam certa confusão de conceitos entre fabricantes, montadores e consumidores.


 

 

Workshop

 

Ao final de cada bloco temático, em que especialistas e patrocinadores explanavam tecnicamente sobre técnicas e tecnologias relativas àquele tema, foi realizado um workshop, que consistia em um debate, em que os palestrantes respondiam às perguntas da plateia e também os especialistas questionavam os congressistas a respeito do que havia sido tratado nas palestras. Esta é uma forma de testar o conhecimento dos participantes e o debate estimulado com prêmios conferidos aos que mais se aproximavam da resposta correta. Foram, no total, sete workshops realizados durante o evento ao fim de cada um dos sete blocos temáticos de palestras.

 

O CINASE aconteceu no Minas Centro, em Belo Horizonte (MG) e contou com uma exposição constituída por 17 estandes e 20 patrocinadores de diferentes segmentos da indústria elétrica: Alto QI, BRVal, Clamper, Flir, Grupo A.Cabine, Itaim, Kian, Loja Elétrica, Lux, Maxibarras, Megabarre, Nansen, Prodesmec, RDI Bender, Rittal, Sel, Tavrida Electric, Termotecnica, Trael e Wago.

 

 

A próxima edição do evento acontecerá nos dias 2 e 3 de agosto, na cidade de Salvador (BA).

 

CINASE app

 

Assim como nas últimas edições do CINASE, os participantes da 24ª etapa do evento puderam contar com uma ferramenta interativa para auxiliá-los em sua programação. O aplicativo que leva o nome do congresso é essencial para o sucesso do congresso, já que permite praticidade e maior interatividade entre congressistas, palestrantes, organizadores e patrocinadores do evento.

 

O aplicativo garante a interação não apenas ao longo do evento, mas possibilita que os participantes se mantenham conectados antes, durante e após o evento. O APP CINASE está disponível gratuitamente nas lojas da Apple (iOS) ou do Google (Android).


Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: