Proteção para reduzir danos físicos e risco de vida

dez, 2015

Edição 118 – Novembro 2015
Por Jobson Modena

Toda estrutura a ser protegida deve estar em uma ZPR 0B ou superior. Isso é conseguido por meio de um sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA), que consiste em um sistema externo de proteção contra descargas atmosféricas e um sistema interno de proteção contra descargas atmosféricas.

Enquanto o SPDA externo evita o impacto direto da descarga atmosférica na estrutura a função do SPDA interno é evitar centelhamento perigoso dentro da mesma, utilizando a ligação equipotencial ou a distância de segurança s (e, consequentemente, isolação elétrica), entre os componentes do SPDA e outros elementos condutores internos à estrutura.

Quatro classes de SPDA (I, II, III e IV) são definidas como um conjunto de regras de construção, baseadas nos correspondentes níveis de proteção. Cada conjunto inclui regras dependentes do nível de proteção (por exemplo, raio da esfera rolante, largura da malha etc.) e regras independentes do nível de proteção (por exemplo, seções transversais de cabos, materiais etc.).

Onde as resistividades superficiais do solo externo e a do piso interno à estrutura forem baixas, o risco à vida devido a tensões de passo e toque pode ser reduzido externamente à estrutura, por isolação das partes condutivas expostas, por equipotencialização no nível do solo, por meio de aterramento com malhas, por avisos de advertência e por restrições físicas. Internamente à estrutura, por ligação equipotencial de tubulações e linhas elétricas que adentram na estrutura (no ponto de entrada).

Proteção para reduzir as falhas de sistemas internos

A proteção contra Lightning EletroMagnetic imPulse (Lemp) para reduzir o risco de falha de sistemas internos deve limitar sobretensões, devido a descargas atmosféricas na estrutura, resultando de acoplamento resistivo indutivo; sobretensões devido a descargas atmosféricas perto da estrutura, resultando de acoplamento indutivo; sobretensões transmitidas por linhas que adentram a estrutura, devido a descargas atmosféricas diretas nas linhas ou próximas a estas; e campo magnético acoplado diretamente aos aparelhos.

O sistema a ser protegido deve estar localizado dentro de uma ZPR 1 ou superior. Isso é conseguido por meio de medidas de proteção contra surtos (MPS) aplicadas aos sistemas elétricos e eletrônicos, as quais consistem em blindagens magnéticas que atenuam o campo magnético indutor ou por meio de encaminhamento adequado da fiação, que reduz os laços sujeitos à indução. Uma ligação equipotencial deve ser provida nas fronteiras entre as ZPRs, para partes metálicas e sistemas que cruzam estas fronteiras. Esta ligação equipotencial pode ser executada por meio de condutores de equipotencialização ou, quando necessário, por dispositivos de proteção contra surtos (DPS). As medidas de proteção para qualquer ZPR devem estar em conformidade com a parte 4 da ABNT NBR 5419.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: