Proteção contra efeitos térmicos

jun, 2015

Edição 112 – Maio de 2015
Espaço 5410

Esta seção é dedicada a transmitir um resumo do que vem sendo discutido nas reuniões de 2015 de revisão da norma ABNT NBR 5410:2004, com base nas alterações do texto da IEC correspondente e nos pontos apresentados pelos participantes. É importante sempre ressaltar que as citações desta coluna constituem um relato do que foi discutido e que foram aprovadas na reunião plenária pela Comissão de Estudos, porém, a aprovação como parte oficial do Projeto de Norma somente será feita antes de o texto ser enviado para consulta nacional.

Algumas seções que serão complementadas somente ao final dos trabalhos de revisão (por exemplo, referências normativas) não estão descritas aqui.

GT Sistemas fotovoltaicos

As atividades do GT estão em andamento e, após a elaboração da minuta do texto, será apresentada à plenária da CE. A reunião teve início com duas apresentações sobre a correlação das normas citadas com a nota 2 da seção do item 5.2.3.2.1 do projeto de revisão da NBR 5410 e as normas brasileiras que levam aos produtos correlatos, que são:

– Canaletas e Condutos (ABNT NBR IEC61084) e Eletrocalhas (ABNT NBR IEC61537);

– Eletrodutos (IEC61386/NBR15465).

Essas apresentações estarão disponibilizadas no livelink da ABNT. A apresentação sobre o AFDD (Arc Fault Detection Device) será feita quando a tradução da Emenda n° 1:2014 da IEC60364-4-42 estiver pronta.

A revisão da norma ABNT NBR 5410 seguiu com a análise do texto base e das sugestões recebidas a partir da seção 5.2.2.2.4 da norma vigente, sobre proteção contra efeitos térmicos, comparativamente à IEC 60364-4-42, com avanço do documento.

O texto aprovado nas seções correspondentes encontra-se a seguir:

5.2.3 Precauções em caso de riscos específicos de incêndio

5.2.3.1 Generalidades

5.2.3.1.1 A instalação de componentes elétricos deve ser restrita àqueles necessários para o uso do local considerado, à exceção das linhas elétricas, conforme 5.2.3.3.5.

5.2.3.1.2 Os componentes elétricos devem ser selecionados e instalados de tal modo que sua temperatura, em caso de uso normal e de aquecimento previsível em caso de falta, não dê origem a um incêndio.

Estas disposições podem resultar da construção do componente ou das suas condições de instalação.

Nenhuma medida especial é necessária quando a temperatura das superfícies não for suscetível de provocar a ignição dos materiais nas proximidades.

5.2.3.1.3 Os dispositivos de desligamento térmico devem permitir somente religamento manual.

5.2.3.2 [5.2.2.2] Proteção contra incêndio em locais BD2, BD3 e BD4

Nota: As condições BD2, BD3 e BD4 são dadas na Tabela 21.

5.2.3.2.1 Nas condições BD2, BD3 e BD4, as linhas elétricas não devem se situar nas rotas de fuga, salvo se forem providas de cobertura, invólucro ou recurso equivalente. As linhas elétricas situadas em rotas de evacuação devem ser dispostas fora da zona de alcance normal ou possuir proteção contra danos mecânicos que podem ocorrer durante uma evacuação.

As linhas elétricas em rotas de fuga devem ser tão curtas quanto possível e devem ser não propagadoras de chama. As linhas elétricas não podem atingir temperatura alta o suficiente para inflamar materiais adjacentes [alínea b de 5.2.2.2.2].

Nas condições BD2, BD3 e BD4, as linhas elétricas que alimentam circuitos de segurança devem possuir uma resistência ao fogo durante o tempo prescrito pela regulamentação dos elementos de construção ou então durante 1 h, na ausência de tal regulamentação.

5.2.3.2.2 [5.2.2.2.3] Em áreas comuns, em áreas de circulação e em áreas de concentração de público, em locais BD2, BD3 e BD4, as linhas elétricas embutidas devem ser totalmente imersas em material incombustível, enquanto as linhas aparentes e as linhas no interior de paredes ocas ou de outros espaços de construção devem atender a uma das seguintes condições:

  • No caso de linhas constituídas por cabos fixados em paredes ou em tetos, os cabos devem ser não propagantes de chama, livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos.

No caso de linhas constituídas por condutos abertos, os cabos devem ser não propagantes de chama, livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos. Já os condutos, caso não sejam metálicos ou de outro material incombustível, fumaça e gases tóxicos.


* Eduardo Daniel, consultor da MDJ Assessoria e Engenharia Consultiva, superintendente da Certiel Brasil e coordenador da Comissão de Estudos 03:064-001 do CB-3/ABNT, que revisa a norma de instalações de baixa tensão ABNT NBR 5410.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: