Perspectivas para 2013

mar, 2013

Edição 84 – Janeiro 2013

Por Juliana Iwashita Kawasaki

O ano de 2013 se inicia e com ele novas metas e objetivos são traçados, sejam metas pessoais, sejam profissionais, todos idealizamos novos desafios. No setor de iluminação não é diferente. As empresas se planejam para aumentar suas vendas, lançar mais produtos e inovações tecnológicas, fazer mais projetos, adquirir mais capacidade técnica, ganhar mais mercado etc.

 

Em 2013, o Brasil continuará tendo grande visibilidade em função dos eventos esportivos (Copa das Confederações, Olimpíadas e Copa do Mundo), com centenas de obras de infraestrutura. Muitas obras novas e revitalizações estão ocorrendo pelo Brasil todo, sejam nos estádios, hotéis, shoppings, hospitais, aeroportos, além das obras públicas.

 

Em 2012, vimos o mercado de iluminação se abrir cada vez mais à tecnologia Led, percebido tanto pela penetração de muitos produtos importados, como pelo desenvolvimento de várias indústrias brasileiras com a tecnologia. Vimos o preço dos produtos cair em relação ao ano anterior e mais obras interessadas em usar a tecnologia, motivada pela eficiência energética, pela durabilidade e pelos aspectos de sustentabilidade.

 

Este ano não deverá ser diferente neste aspecto. A tecnologia Led tende a ser cada vez mais viabilizada e mais empresas deverão entrar para competir neste mercado. Atenção, entretanto, deverá ser dada à qualidade dos produtos. Este ano deverá ser o ano para consolidação de várias normas técnicas brasileiras relacionadas aos Leds e início do programa de etiquetagem para luminárias públicas e lâmpadas de Led. Com isso, espera-se que o produto chegue ao consumidor final com maior garantia de qualidade e de durabilidade.

 

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria da Iluminação (Abilux), em 2012, houve um crescimento da indústria brasileira de 4% em relação a 2011, índice abaixo do estimado, que era de 7%. Segundo a entidade, para 2013 é esperado um crescimento de mais 4% em relação a 2012. O aumento dos custos dos insumos importados pela variação cambial, a falta de financiamento para os projetos de eficiência energética, a burocracia gerada pelas regras nas esferas municipal, estadual e federal e a guerra fiscal entre Estados foram e ainda são os principais entraves para que a indústria brasileira deixe de alcançar o desempenho desejado nos mercados interno e externo.

 

Novas oportunidades, entretanto, deverão ser motivadas em 2013 pelas obras do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, além das linhas de financiamento de material de construção prometidas do FGTS e Banco do Brasil, que, se viabilizadas, podem contribuir para melhorar o acesso ao crédito e aumentar a demanda de construções.

 

Vejo o ano de 2013 com otimismo. Será o ano de consolidação de muitas obras e investimentos e, consequentemente, de crescimento do mercado de iluminação. Diversos eventos em que o tema iluminação terá destaque já estão sendo planejados e muitos eventos técnicos para disseminação de conhecimento prometem acontecer neste ano.

 

Planejo transmitir um pouco desse conhecimento nesta coluna e, como todos têm planos de ano novo, aguardem as novidades que estamos organizando: treinamentos presenciais com grandes especialistas em iluminação. 

 

Comentários

Deixe uma mensagem