Novos requisitos para classificação de áreas contendo gases inflamáveis – Parte 2

mar, 2016

Edição 121 – Fevereiro de 2016
Por Roberval Bulgarelli

Foi publicada em 09/2015 a edição 2.0 da norma internacional IEC 60079-10-1 – Explosive atmospheres – Part 10-1: Classification of areas – Explosive gas atmospheres. Esta apresenta os requisitos gerais para a classificação de áreas, com base no equacionamento matemático dos fenômenos físico-químicos de dispersão de gases, levando em consideração que a liberação de um gás inflamável gera uma região ao redor da fonte de liberação considerada como uma área classificada.

Dentre as principais alterações incluídas na nova edição 2.0 da IEC 60079-10-1 em relação à edição 1.0 anterior (2008) podem ser indicadas as seguintes:

  • Reestruturação completa e divisão em seções para a identificação de possíveis metodologias para a classificação de áreas e para proporcionar explicações adicionais sobre fatores de avaliação específicos;
  • Introdução de novos termos e definições;
  • Introdução de seções para métodos alternativos para a classificação de áreas;
  • Atualização dos exemplos para a apresentação de classificação de áreas;
  • Atualização dos cálculos para as taxas de liberação;
  • Revisão completa com uma nova abordagem com base no grau de diluição, ao invés do grau de ventilação;
  • Incluído novo Anexo com considerações sobre extensão de zonas;
  • Incluído novo Anexo sobre o hidrogênio;
  • Introduzido novo Anexo sobre misturas híbridas (contendo gases inflamáveis e poeiras combustíveis);
  • Introduzido novo Anexo para referenciar códigos industriais e normas nacionais, com exemplos específicos de classificação de áreas.

Foi introduzido nesta nova edição da IEC 60079-10-1 um novo Anexo K, que faz referência a códigos industriais e normas nacionais de diversos países sobre o tema classificação de áreas. Segundo com este novo Anexo K, em geral, exemplos de classificação de áreas podem ser aceitos de acordo com códigos industriais ou normas nacionais, onde as suas aplicações a tipos de processos particulares são claramente aplicáveis.

São relacionadas neste novo Anexo K normas nacionais de diversos países sobre classificação de áreas, bem como códigos industriais relacionados com este assunto, que são mundialmente utilizados por diversos países e empresas, tais como:

  • IP 15 – Model code of safe practice for the petroleum industry, Part 15: Area Classification Code for Petroleum Installations Handling Flammable Liquids;
  • IGEM/SR/25 – Hazardous area classification of natural gas installations;
  • API RP 505 – Recommended Practice for Classification of Locations for Electrical Installations at Petroleum Facilities classified as Class I, Zone 0, Zone 1 and Zone 2;
  • NFPA 59A – Standard for the Production, Storage, and Handling of Liquefied Natural Gas;
  • NFPA 497 – Recommended Practice for the Classification of Flammable Liquids, Gases, or Vapours and of Hazardous (Classified) Locations for Electrical Installations in Chemical Process Areas;
  • TRBS 2152 – Technischen Regeln f?r Betriebssicherheitsverordnung – Technical Rules for Plant Safety Provision.

De acordo com requisitos indicados na norma brasileira ABNT NBR IEC 60079-10-1, os estudos de classificação de áreas de uma planta industrial devem ser elaborados por uma equipe multidisciplinar de profissionais que possuam os conhecimentos necessários sobre as propriedades dos materiais inflamáveis, os processos e os equipamentos envolvidos com a respectiva instalação ou projeto, com participação, onde apropriado, de profissionais das áreas de processo, segurança, mecânica, manutenção, eletricidade e outras áreas de engenharia.

De acordo com o Documento Operacional IECEx OD 504 (Especificações para a avaliação dos resultados das unidades de competência), são aplicáveis, para as pessoas envolvidas com as atividades de classificação de áreas, os requisitos de conhecimentos, experiências e competências indicadas na Unidade de Competência Ex 002 –  Execução de classificação de áreas, para fins do processo de certificação junto a um Organismo de Certificação de Pessoas (OPC) acreditado.

A Comissão de Estudo CE 03:031.01 do subcomitê SC-31 do Cobei, responsável pelo acompanhamento do desenvolvimento desta norma internacional, participou, em nome do Brazil National Committee for the IEC (Cobei), de todo o processo de atualização, comentários, votação e aprovação da nova edição 2.0 da norma IEC 60079-10-1.

Com a publicação desta nova edição pelo TC-31 da IEC, esta Comissão de Estudo do Cobei passou a executar os necessários trabalhos de revisão e de atualização da respectiva norma brasileira equivalente NBR IEC 60079-10-1, publicada pela ABNT em 2009. Estes trabalhos têm como objetivo manter esta norma técnica brasileira devidamente harmonizada e equivalente, em termos de conteúdo técnico, forma e apresentação, em relação à nova edição da respectiva norma internacional.

Mais informações sobre a norma IEC 60079-10-1 Ed. 2.0, incluindo a visualização das seções Sumário, Prefácio, Listagem das modificações em relação à revisão anterior, Escopo e Referências Normativas podem ser encontradas no website da IEC: https://webstore.iec.ch/publication/23259

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: