Mercado de fios e cabos prevê crescimento de 19% em 2010

fev, 2010

Edição 48, Janeiro de 2010

Por Atitude Editorial

Pesquisa exclusiva realizada pela revista O Setor Elétrico ouviu 57 empresas do segmento e mais 115 fabricantes e distribuidores de linhas elétricas e de acessórios para fios e cabos, os quais esperam crescimento médio de 16,7% e 18,3% para os respectivos mercados. Levantamento inédito averiguou ainda os tipos de materiais elétricos mais utilizados pelos clientes

Inauguramos nesta edição um novo formato de guia de produtos. Além de informações sobre fabricantes e distribuidores de determinados produtos ou equipamentos, trazemos acoplada a este e aos próximos guias uma pesquisa de mercado acompanhada de uma análise dos números obtidos. Este levantamento não tem a intenção de substituir nenhum outro estudo de mercado. Trata-se de uma pesquisa realizada com empresas de nichos específicos que respondem a uma série de questionamentos sobre atuação, atendimento, certificados, percepção de mercado, etc., dados qualitativos não encontrados facilmente nas pesquisas já existentes, representando, nesse sentido, um complemento aos números divulgados por associações e outras entidades do setor.

 

 

As respostas das empresas participantes foram, ao fim, compiladas e se confabulam nas avaliações que trazemos a seguir. É importante acentuar que informações estratégicas de cada empresa, como, por exemplo, faturamento, são preservadas, revelando-se apenas os números totais. Dessa forma, esperamos adquirir cada vez mais confiabilidade e agregar a cada pesquisa um número maior de participantes.

 

Esta pesquisa é dividida em três partes. A primeira é constituída de uma análise dos dados coletados de fabricantes e de alguns distribuidores de fios e cabos, de acessórios para fios e cabos e de linhas elétricas. São constatações sobre atuação e faturamento das empresas, percepções de tamanhos de mercado de cada nicho de produtos, canais de vendas mais utilizados, certificações obtidas, entre outros dados, demonstrados graficamente a seguir.

 

A segunda parte é o registro da percepção do outro lado do mercado, o dos consumidores, isto é, usuários (indústrias e montadores de painéis), empresas de engenharia e de instalação e distribuidores, que dão a sua contribuição com o objetivo de mensurar os tipos de materiais elétricos mais utilizados em baixa e em média tensão.

 

Por fim, a terceira parte traz o guia efetivamente, com informações sobre quais tipos de produtos – entre fios, cabos, acessórios e linhas elétricas – cada uma das aproximadas 200 empresas consultadas fabrica ou distribui. Além disso, divulgamos a área de atuação e informações sobre certificações, canais de vendas empregados, projetos de responsabilidade ambiental, importação, exportação e suporte técnico de cada uma das participantes.

 

Ao todo, 258 empresas participaram da pesquisa. A proposta é que este estudo seja mais uma fonte de consulta e referência para as empresas do setor que querem conhecer mais e melhor os mercados em que atuam.

 

Números

Diante do cenário econômico positivo que se figura para o ano de 2010, os fabricantes de fios e cabos, de linhas elétricas e de acessórios para fios e cabos estão otimistas e prevêem crescimento nos seus respectivos faturamentos. Em média, as empresas de fios e cabos estimam elevação de 19% nos seus faturamentos.  Da mesma maneira, fabricantes de acessórios para fios e cabos e de linhas elétricas esperam elevação semelhante do seu faturamento neste ano. Confira as estimativas:

 

Participaram desta pesquisa 172 empresas fabricantes – e alguns distribuidores – de fios e cabos, de acessórios para fios e cabos e de linhas elétricas. Mensuramos estes três mercados e foi calculada a média do faturamento bruto anual de cada segmento. 35% das empresas de fios e cabos que responderam a pesquisa faturam anualmente mais de R$ 80 milhões, ao passo que a maior fatia dos fabricantes de acessórios e de linhas elétricas está na casa dos R$ 5 milhões por ano.

 

A seguir, mostramos as áreas de atuação das empresas. Entre os 57 fabricantes de fios e cabos, 77% atuam na área industrial. No total, 79% das pesquisadas – dos três mercados – fornecem produtos para o segmento industrial. No entanto, a faixa de intersecção entre os setores é larga. Para se ter ideia, 33% das empresas de linhas elétricas, por exemplo, produzem equipamentos para as áreas industrial e comercial.

 

Entre as certificações de processo que garantem qualidade de gestão, a ISO 9001 é, sem dúvida, a mais procurada. Nos três mercados consultados, 73% das pesquisadas afirmaram possuir a certificação. O mesmo não acontece com a ISO 14001, relativa à gestão ambiental. Das 172 empresas que participaram deste estudo, apenas 32 disseram ter o certificado, o que equivale a 18%. Veja a seguir o percentual de empresas que possuem as certificações para os três segmentos pesquisados e confira nas tabelas publicadas nas próximas páginas quais companhias possuem ou não os atestados de qualidade.

 

São diversos os canais de venda utilizados pelas empresas dos setores pesquisados e são distintos também os mais e os menos utilizados entre eles. Os distribuidores e atacadistas são, por exemplo, o canal mais empregado pelos fabricantes de acessórios para fios e cabos, diferentemente das especializadas em fios e cabos e em linhas elétricas, das quais a maior parte – 94 empresas (89%) – vende diretamente ao cliente final. Cabe lembrar que a maioria das pesquisadas utiliza dois ou mais canais de venda. É o caso dos fabricantes de acessórios para fios e cabos, dos quais 51% afirmaram vender para distribuidores, atacadistas, revendedores, varejistas e cliente final.

 

Percepção dos fabricantes e distribuidores de fios e cabos sobre o tamanho dos mercados específicos em que atuam

 

Pelas informações levantadas, que se baseiam na percepção dos fabricantes, o mercado de fios e cabos com isolação termoplástica é aquele em que os fabricantes parecem ter um melhor conhecimento, uma vez que praticamente metade das respostas aponta o tamanho do mercado acima de R$ 500 milhões por ano. No entanto, o mesmo não acontece com as outras famílias de cabos, em que a grande dispersão em relação à percepção do tamanho do mercado indica que ainda não existe um consenso sobre qual seriam os tamanhos mais prováveis desses mercados.

 

Percepção dos fabricantes e distribuidores de acessórios para fios e cabos sobre o tamanho dos mercados específicos em que atuam

 

Aparentemente, o mercado de emendas para baixa tensão fatura anualmente até R$ 30 milhões. Esta é a percepção de 74% dos fabricantes e distribuidores que atuam neste setor. Quando se trata, entretanto, de empresas de terminais e de fitas isolantes plásticas, para mesma tensão, a
visão não é tão homogênea, pois há diversas opiniões significativas, como podem ser observados nos gráficos.

 

Em relação ao faturamento anual dos mercados de fitas isolantes de auto-fusão, de terminais e de emendas – todos para média tensão –, é possível perceber que a maior parcela do setor elétrico acredita que estes mercados faturam anualmente até R$ 30 milhões.

 

A pesquisa aponta que o faturamento anual do mercado de terminações enfaixadas para média tensão é de até R$ 10 milhões, conforme afirmaram os players deste setor. Da mesma maneira, boa parte dos fabricantes de terminações desconectáveis, contráteis a frio, modulares, de porcelana e termocontráteis também acredita que o faturamento do setor não ultrapasse os R$ 10 milhões, embora muitos afirmem que esse valor chegue aos R$ 30 milhões.

 

De acordo com as respostas obtidas, é possível concluir que os setores de emendas enfaixadas e à base de molde e resina faturam até R$10 milhões por ano, enquanto que os mercados de emendas desconectáveis, termocontráteis e contráteis a frio faturam, em média, até R$ 30 milhões por ano.

 

 

Percepção dos fabricantes e distribuidores de linhas elétricas sobre o tamanho dos mercados específicos em que atuam

 

O mercado de canaletas de sobrepor na parede para baixa tensão tem um faturamento anual de até R$ 50 milhões, segundo a percepção de 64% dos fabricantes e distribuidores. Dos setores de perfilados lisos ou perfurados e de barramentos blindados, ambos para baixa tensão, não se pode ter uma conclusão final, visto que as empresas não têm impressões homogêneas sobre os seus respectivos mercados.

 

Observando os dados obtidos em relação ao faturamento anual dos mercados de eletrodutos metálicos e isolantes, bandejas e leitos, eletrocalhas lisas ou perfuradas, todos de baixa e média tensão, além dos barramentos blindados de média tensão, notam-se disparidades entre os números relatados, de forma que ainda não é possível chegar a uma conclusão sobre a dimensão destes segmentos. Veja os números.

 

Levantamento dos materiais elétricos utilizados pelos clientes

 

Com o objetivo de conhecer os produtos mais utilizados do setor elétrico na baixa e média tensão, perguntamos a diferentes consumidores – usuários (montadores de quadros e painéis), distribuidores e empresas de engenharia e de instalação – suas preferências e necessidades na concepção das instalações elétricas. Confira os resultados.

 

Percentual de uso de cabos isolados quanto ao tipo de material da isolação (BT)

 

Nos três segmentos pesquisados é possível perceber a preferência absoluta pela isolação termoplástica. É possível constatar que as empresas de engenharia e de instalação, assim como os consumidores finais (usuários) empregam mais a isolação termoplástica em suas instalações. Esta preferência é confirmada pelo gráfico dos distribuidores, que afirmam vender mais este tipo de produto em detrimento dos outros pesquisados.

 

Percentual de uso dos cabos isolados até 10mm2 quanto à flexibilidade (BT)

 

Os números demonstram o que já é percebido no mercado há alguns anos, os fios rígidos estão perdendo cada vez mais espaço para as versões flexíveis. Prova disso é que a média do consumo de fios rígidos alcança apenas 11% do mercado pesquisado. Observe que também os distribuidores também trabalham mais com os cabos flexíveis.

 

 

Percentual de uso de produtos em emendas e derivações de cabos (BT)

 

Os resultados neste caso são equilibrados, contudo, analisando os consumidores individualmente notou-se que cada empresa tem uma notável preferência, na maior parte dos casos, por um ou outro produto. Nas empresas de engenharia e de instalação, por exemplo, 17 delas preferem a fita isolante, enquanto nove usam os terminais e conectores. A preferência pela fita isolante se repete no segmento de distribuição, em que 14 pesquisados vendem este material, enquanto apenas sete trabalham mais com os terminais e conectores pré-fabricados. A situação é proporcionalmente inversa para os usuários, em que apenas seis afirmaram que usam a fita isolante e 11 preferem os materiais pré-fabricados.

 

Percentual de uso de eletrodutos quanto ao material (BT)

 

Outro resultado equilibrado, em que 27 pesquisados relataram aplicar – ou revender, no caso dos distribuidores – os eletrodutos metálicos e isolantes em proporções muito semelhantes nas instalações elétricas de baixa tensão. Contrabalanceando, 11 empresas já utilizam ou revendem eletrodutos isolantes em mais de 90% dos casos.

Percentual de uso de eletrodutos quanto à flexibilidade (BT)

 

Para contrabalancear os resultados similares encontrados nas empresas de engenharia, instalação e distribuidoras, em que os eletrodutos rígidos e flexíveis apresentam certo equilíbrio, os usuários ainda usam material rígido em quase dois terços das instalações elétricas.

 

Percentual de uso de cabos isolados quanto ao tipo de material da isolação (MT)

 

Entre os usuários de produtos de média tensão, os cabos com isolação EPR são dominantes. A maioria dos pesquisados, nos três casos exibidos abaixo, evidenciou a predileção por este produto. Os cabos com isolação XLPE também apresentam boa aceitação. Mais recentes no mercado, os cabos com baixa emissão de fumaça começam a ser empregados, apresentando maior aprovação entre os usuários finais – indústrias e montadores de quadros e painéis.

Percentual de uso de cabos quanto ao tipo de material do condutor (MT)

 

O cobre tem larga preferência entre os pesquisados, conforme evidenciam os gráficos.

 

Percentual de uso de produtos na realização de terminações de cabos (MT)

 

Destaque para a larga preferência pelas terminações contráteis a frio em detrimento dos outros tipos. Confira os números.

 


Percentual de uso de produtos na realização de emendas e derivações de cabos

 

Os produtos mais utilizados por consumidores para a realização de emendas e derivações de cabos de média tensão são os contráteis a frio. Tanto para usuários finais (como indústrias e montadores de quadros e painéis) quanto para empresas de engenharia e de instalação preferem esse produto. Entre os distribuidores, este produto também apresenta grande saída.

 

Percentual de uso de eletrodutos quanto ao material

 

No caso de eletrodutos utilizados nas instalações de média tensão, os mais empregados por usuários finais são os de material isolante (54,7%), assim como os distribuidores (55%). Já, para empresas de engenharia e de instalação, a situação é oposta: o material de eletrodutos mais usado por esses consumidores é o metálico, totalizando 57,8%.

 

Percentual de uso de eletrodutos quanto à flexibilidade

 

Todas as categorias de consumidores entrevistados afirmam utilizar mais eletrodutos rígidos de média tensão, em vez de flexíveis. Isso é registrado pelos percentuais da pesquisa. O total de usuários finais, como indústrias e montadores de quadros e painéis, que preferem esses produtos rígidos é de 58,8%; praticamente a mesma saída evidenciada pelos distribuidores (57,3%); mas um pouco menor do que das empresas de engenharia e de instalação, que é de 61,2%.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: