Equipamentos para iluminação

set, 2014

Edição 103 – Agosto de 2014

Por uma iluminação mais eficiente

Segundo levantamento, 60% dos fabricantes já apontam o Led como a lâmpada mais comercializada do país. Participação pode ser ainda maior com a entrada em vigor da certificação da tecnologia para uso doméstico em geral, prevista para o fim deste ano.

A busca pela eficiência energética vem ganhando cada vez mais espaço no mercado de iluminação do Brasil. Esta tendência está demonstrada na pesquisa desta edição realizada com fabricantes e consumidores de equipamentos de iluminação, que aponta a consolidação da lâmpada Led – que possui baixo consumo energético e alta durabilidade – como produto mais comercializado neste segmento. De acordo com o levantamento, 60% das empresas apontaram esta tecnologia como a lâmpada que mais vem sendo vendida em seus estabelecimentos. Este número já era bastante considerável na pesquisa do ano passado, quando 59% dos fabricantes e distribuidores a citaram.

Entre os consumidores de equipamentos e acessórios para iluminação a popularidade do Led também aumentou. Na categoria lâmpadas, a tecnologia Led foi citada por 70% dos entrevistados como o principal produto comprado e/ou especificado. Na sua frente, foram apontadas as lâmpadas fluorescentes compactas (80%) e tubulares (80%). Na pesquisa do ano passado, somente 62% dos pesquisados consideraram o Led como a lâmpada mais comprada.

A participação da tecnologia Led no mercado de iluminação pode aumentar ainda mais nos próximos anos, caso a falta de normas referente ao produto seja definitivamente solucionada. As perspectivas para isso são boas. Após a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicar, no ano passado, diversas normas para produtos de Led, entre elas, normas de lâmpadas, módulos e controladores, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) publicou regulamento específico de qualidade para Leds usados em iluminação pública viária. Não bastasse isso, a cer tificação para uso doméstico em geral deve entrar em vigor ainda este ano.

Outro fator que deve contribuir para a notória presença de lâmpadas mais eficientes – tecnologia Led incluída – no mercado de iluminação é a decisão por parte do Governo Federal de proibir, a partir do dia 30 de junho de 2014, a fabricação e a importação das lâmpadas incandescentes de 60 W, dando o prazo de que elas deixem de ser comercializadas até o dia 30 de junho de 2015. Além disso, deve influenciar o setor o fato de que o Inmetro proibiu a partir de 1º de julho que o varejo comercialize lâmpadas incandescentes e fluorescentes compactas com potência superior a 60 W, que não atendam aos novos níveis mínimos de eficiência energética.

Clique aqui para fazer o download da pesquisa na íntegra.

Comentários

Deixe uma mensagem