Ensaios de rotina em transformadores elétricos

abr, 2010

Edição 48, Janeiro de 2010

Por Densitel Transformadores

As empresas que fornecem serviços de revitalização, conserto e repotencialização são muito questionadas quanto aos tipos de testes efetivos e necessários que atestam as condições elétricas em que se encontra o transformador após a execução desses serviços. Esclarecemos a seguir a relação dos testes recomendados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para a certificação dos equipamentos:

 

1. Resistência elétrica dos enrolamentos

Finalidade: verificar se não há irregularidades nos enrolamentos, contatos, soldas, etc.

 

2. Relação de tensões

Finalidade: verificar se não há irregularidades nos enrolamentos quanto ao número de espiras.

3. Resistência de isolamento

Finalidade: verificar a isolação entre enrolamentos e terra para atestar a secagem da parte ativa.

 

4. Polaridade

Finalidade: verificar se o sentido dos enrolamentos está correto.

 

5. Deslocamento angular e sequência de fase

Finalidade: verificar se a conexão dos enrolamentos está correta de acordo com o diagrama fasorial.

 

6. Perdas em vazio e corrente de excitação

Finalidade: verificar perdas no ferro e corrente de magnetização do núcleo.

 

7. Perdas em carga e Impedância de curto circuito

Finalidade: verificar pewrdas nos enrolamentos e o valor da impedância de curto circuito.

 

8. Tensão aplicada (75% para transformadores usados e reparados)

Finalidade: verificar se as isolações entre enrolamentos e terra suportam as tensões especificadas de testes de acordo com o nível de isolamento dos enrolamentos.

9. Tensão induzida (75% para transformadores usados ou reparados)

Finalidade: verificar as isolações entre espiras do próprio enrolamento.

Valor teste = 2 x tensão nominal do enrolamento (durante 7.200 ciclos)

 

10. Determinação do fator de potência (FP)

Finalidade: verificar a qualidade do processo de secagem da parte ativa. Não se trata de ensaio de rotina, mas em transformadores com tensão igual ou superior a 36,2 kV, é recomendado fazê-lo.

 

Estes testes devem ser contemplados em quaisquer tipos de serviços em transformadores elétricos e exigi-los, além das análises completas do estado do óleo em suas diversas fases, não deverá comprometer nenhum valor orçamentário, pois se trata da verificação da qualidade destes serviços e comprovação normatizada de seu uso.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: