Enie 2010 – Foco na segurança

jul, 2010

A 13ª edição do Enie trouxe à tona discussões que vinham permeando diversos eventos do setor elétrico: a segurança de equipamentos e das instalações elétricas.

O setor elétrico sempre demonstrou preocupação com a qualidade e a consequente segurança de equipamentos e das instalações elétricas. Essa discussão passa por diversas variáveis, como a conformidade de produtos e de instalações com as normas aplicáveis, a qualidade do ensino e da mão de obra disponível, entre outros.

Nos últimos meses, a segurança das instalações elétricas passou a receber atenção ainda maior pelo setor e isso foi percebido na 13ª edição do Encontro Nacional de Instalações Elétricas (Enie), que aconteceu entre os dias 29 de junho e 1º de julho na capital paulista.

O motivo para os holofotes estarem voltados para a segurança das instalações pode ser justificado pela divulgação das primeiras instalações certificadas pela Associação Brasileira de Certificação de Instalações Elétricas (Certiel Brasil) – instituição pioneira para esta finalidade. Tanto que o superintendente da associação, Eduardo Daniel, esteve presente no congresso – ocorrido simultaneamente à feira – para uma palestra em uma tarde voltada especialmente para o debate sobre a avaliação da conformidade.

Entre os números mostrados por ele consta uma pesquisa publicada neste ano pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e feita por meio do DataSus (base de dados do Ministério da Saúde) sobre acidentes com eletricidade.

De acordo com o estudo, de janeiro de 1996 a dezembro de 2007, houve 15.418 mortes diretas – sem internação – por exposição do indivíduo à corrente elétrica. De janeiro de 1998 a setembro de 2009, a exposição à eletricidade levou a 16.825 internações, que resultaram em 455 óbitos.

A pesquisa ainda traz um comparativo entre as principais causas de mortes de crianças que passaram por hospitais conveniados ao SUS. O índice de mortalidade infantil por choque elétrico é maior do que naquelas causadas por complicações cirúrgicas ou assistência médica.

 

Comparativo do número de mortes a cada 100 crianças internadas em hospitais do SUS

 

Agressão

2,14 morrem

 

Acidentes de transporte

1,90 morrem

 

Choque elétrico

1,61 morrem

Complicações cirúrgicas/assistência médica

1,34 morrem

 

Fonte: DATASUS (base de dados do Ministério da Saúde)

O lado chinês do Enie

É consenso que uma instalação bem feita de nada adiantará se os equipamentos não atenderem às normas vigentes que garantem qualidade e seu bom funcionamento. Quem visitou a feira do Enie este ano pôde perceber uma participação maciça de estandes do pavilhão chinês. Foram 220 expositores no total, sendo 83 chineses – 38% dos estandes –, enquanto a última edição não contou com a participação de empresas estrangeiras.

O número de expositores chineses chegou a incomodar algumas empresas nacionais presentes na feira por terem a indesejável fama de trazer produtos que não atendem às normas vigentes em território nacional. Sem passar por testes de conformidade em laboratórios acreditados pelo Inmetro, empresários brasileiros afirmam que esses equipamentos têm preços mais baixos que os de produção nacional, levando à concorrência desleal.

A equipe da Revista O Setor Elétrico visitou alguns estandes de empresas chinesas para conferir como anda a conformidade dos produtos oferecidos. Um dos expositores presentes, por exemplo, trazia tomadas de corrente com padrão NEMA proibido no Brasil – e disjuntores para uso residencial sem o selo obrigatório do Inmetro. Questionado sobre a não-conformidade de seus produtos, o expositor respondeu que estava na feira em busca de distribuidores nacionais que também cuidassem da certificação.

Em outro estande, no entanto, foram encontradas extensões que atendem ao novo padrão brasileiro de plugues e tomadas (ABNT NBR 14136) e possuem certificação do Inmetro. Sinais de que nem todos os chineses trazem qualquer produto para vender por aqui se aventurando em feiras do setor elétrico.

Inclusive, há quem tenha levado o mercado a sério e se preparado para atender aos consumidores brasileiros. A JNG, por exemplo, possui unidade no Brasil desde 1998 e começou importando 150 produtos de sua fábrica na China. Atualmente, segundo a empresa, há mais de dois mil produtos em sua linha, que seguem todas as certificações compulsórias e até mesmo as voluntárias, como é o caso dos minidisjuntores de 80 A a 100 A.

A empresa deve implantar um parque fabril em território nacional nos próximos dois ou três anos. “Os chineses estão percebendo que o mercado brasileiro é exigente e não procura somente preço”, afirma o gerente comercial da JNG, Law Hwan Huei, que também acredita que a unidade brasileira permite maior controle sobre os produtos importados.

Além da falta de normalização dos equipamentos trazidos e da pirataria, outro argumento para os preços mais baixos dos produtos de origem chinesa seria o subsídio concedido pelo governo para a vinda dos empresários para feiras setoriais como o Enie.

De acordo com o diretor-comercial da empresa estatal Pax Electricity, Xu Yongmin, o governo ajuda apenas as pequenas empresas, cujo faturamento anual com exportações seja de – no máximo – US$ 5 milhões. Ainda assim, o subsídio seria apenas com alguns custos do estande, ficando o transporte e outros gastos por conta do empresário. “A maior parte das empresas que estão aqui no Enie vieram por investimento próprio”, completa Yongmin.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Veja as principais novidades apresentadas durante a feira:

A. cabine

Um dos destaques da A Cabine foi o conjunto de proteção em média tensão completo CPMT Integrado. O sistema é comporto por: chave seccionadora, transformador de potencial, transformador de corrente, relés de proteção, disjuntor a váculo motorizado, para-raios e nobreak. Para instalá-lo são necessárias três ligações RST na entrada, três na saída RST e um conector de aterramento.

Alubar

A Alubar divulgou, durante a feira, os cabos de alumínio cobertos com XLPE, com classe de tensão de 15 kV, 25 kV e 35 kV. Os cabos são fabricados com fios de alumínio compactados, apresentando bloqueio contra a penetração longitudinal de água (opcional) e blindagem semicondutora obrigatória para os cabos de 35 kV. Os cabos de 15 kV e de 25 kV estão disponíveis com seções de 35 mm² a 300 mm² e os de 35 kV podem ser encontrados em seções de 70 mm² a 300 mm².

Carbinox

A empresa destacou em seu estande seus eletrodutos e conexões rígidos feitos de aço carbono disponívei

s nas versões zincadas, galvanizado a quente conforme NBR 5624/93, zincada conforme NBR 13057/93. Também possui eletrodutos e conexões de alumínio SCH 40 NPT e SCH 40 BSP.

Cemar Legrand

Certificados por meio de sete ensaios diferentes e em conformidade com as normas NBR IEC 60439-1 e NBR IEC 60439-3, os quadros e painéis de distribuição XL³ tipo TTA são modulares. Com amplo espaço para cabos e áreas largas de conexões, o equipamento facilita a configuração do sistema de acordo com as necessidades do cliente. Oferece, inclusive, uma diversa gama de acessórios, como chapas de fixação e placas planas, que facilitam a integração dos dispositivos DMX³ dentro dos painéis XL³.

ADS

O destaque foi para o disjuntor com polos separados a vácuo, instalação abrigada e apropriados para acionamentos manual e motorizado. Está disponível nos tipos DAU 17 kV, DAU 25 kV e DAU 36 kV, correspondentes à tensão nominal, todos com corrente nominal de 1200 A.

Conmel

Destacou sua linha elétrica, com foco no conector tipo cunha ramal que exerce pressão para a fixação do cabo. Feito de chapa de latão com acabamento estanhado.

Conex

Destacou o projetor redondo à prova de explosão, fabricado em alumínio injetado com alta resistência mecânica. Possui cúpula de vidro temperado para proteção do super LED e alça reforçada feita de aço de alta resistência com pintura eletrostática preta. Produto projetado para resistir a vibrações em ambientes industriais e públicos. Disponível nas potências 50 W, 80 W, 100 W e 120 W.

Continet

Deu destaque para a luminária 7108 com 24 LEDS de 1 w cada, com corpo feito de chapa de aço com conjunto ótico de alumínio anodizado.

Cordeiro

O cabo Cordfix inversor de potência, lançamento da Cordeiro, possui um condutor adicional disposto de forma concêntrica aos condutores fase atuando simultaneamente como neutro/retorno do sistema. Apresenta uma fita de cobre com a finalidade de reduzir a interferência eletrostática, o que, segundo a empresa, garante melhor desempenho. O cabo é indicado para instalações elétricas em geral, especialmente em automação industrial. Segue as recomendações na ABNT NBR NM 280 e a ABNT NBR 7286.

Crimper

Destacou o CR53, que é um alicate de compressão à bateria, desenvolvido para compressão de terminais e luvas tubulares de 10 mm2 a 240 mm2. As matrizes possuem gravadas as bitolas a serem utilizadas, facilitando a identificação com os terminais e condutores a serem comprimidos. O seu sistema de bateria permite aproximadamente 150 crimpagens antes da próxima carga, que dura em média 30 minutos e o operador não precisa fazer esforço físico durante o processo de crimpagem.

Delta P

Destacou os sistemas de purificadores termo vácuos de pequeno porte – óleos isolantes para transformadores nos modelos MV 500 SC, MV 1000 SC, MV 2500 SC e MV 5000 SC. Indicados para trabalhos em campo ou em fábricas

Dispan

Lançou a terceira versão do DPCAD, um aplicativo gratuito que possibilita o desenvolvimento de projetos de infraestrutura metálica para distribuição de cabos. Com uma biblioteca 3D ampla e parametrizada, é possível desenvolver projetos elétricos, permitindo ate mesmo a criação de detalhes típicos de instalações, além de gerar uma tabela no próprio projeto ou planilha eletrônica com a lista de materiais utilizados, inclusive calculando emendas, parafusos, porcas e arruelas necessárias para uma instalação segura.

Eletromar

Um dos destaques da empresa foram os disjuntores abertos HWT até 6300 A. Os produtos apresentam dupla isolação e três possibilidades de conexão: frontal, traseira horizontal e traseira vertical. Os disjuntores podem ser encontrados nas versões fixa e extraível e sua capacidade de interrupção é de 65 A a 120 kA.

Elos

Destacou as cabines de distribuição tipo pedestal ECDP – 250 destinadas para linha subterrâneas de média tensão para derivar e conectar várias linhas de transmissão com cabos blindados. São fabricadas em poliéster com fibra de vidro e possuem de três a quatro conexões elétricas do tipo desconectáveis conforme norma EN 50180 com buchas de passagem formato “A”, bem como ANSI IEEE 386 para correntes de até 250 A e tensão até 24 kV que permitem sua submersibilidade.

Enercabos

Destacou os cabos de potência e controle e condutores isolados sem cobertura, com isolação extrudada e com baixa emissão de fumaça modelo Enerflex Atox 90 0,6/1kV. Atendem a NBR 13248, possuem baixa emissão de monóxido de carbono e de fumaça e não emitem gases halogenados.

Exatron

A empresa lançou a luminária de emergência de parede de 22 LEDs. Ela realiza o acendimento automático dos LEDs na falta de energia elétrica, permanecendo ligada por cinco horas com 12 LEDs ligados ou por duas horas com 22 LEDs. Tem consumo máximo de 2,5W e é bivolt automática 127/220Vac/50-60 Hz. Possui LEDs de alto brilho 22 x 2.500 MCD e sistema de proteção contra sobrecarga da bateria e lente óptica inclinada especial para uso na parede rente ao teto.

Ferraz Shawmut

A linha Protec-Stor 1000 V / 800 V de fusíveis para proteção de semicondutores foi destaque da Ferraz Shawmut no Enie 2010. Em conformidade com as normas DIN 43653 e DIN 43620, a linha – composta por 13 itens – abrange os tamanhos 1 e 2, com correntes de 32 A a 710 A e é indicada para uso em bases e também direto no barramento.

Finder

A linha de produtos Série 18 da Finder conta agora com uma versão com a configuração de “contato seco”, ou seja, contato de saída isolado da alimentação podendo chavear cargas com sinais elétricos diferentes da alimentação do sensor, ideal para aplicações onde é necessária a comunicação com CLP ou SGP (Sistema de Gerenciamento Predial). A Série 18 na versão de “contato seco” está disponível para montagem em teto, nas versões de sobrepor ou embutir. Com alimentação de 110VAC e 220VAC e 24V AC/DC com contatos de saída conectados à alimentação do sensor.

Fluke

O novo multímetro digital com visor removível Fluke 233 Ture-RMS permite que o seu operador esteja em dois lugares ao mesmo tempo. Para isso, basta posicionar o visor onde possa vê-lo e coloque o medidor em um local conveniente, especialmente, no caso de locais difíceis de serem alcançados. O equipamento permite medições de até 1000 V CA e CC e de até 10 A (20 A durante 30 segundos), entre outras.

Full Gauge

A empresa destacou o instrumento microprocessado para monitoramento da rede elétrica e proteção de equipamentos elétricos trifásicos e monofásicos PhaseLog Plus. O equipamento possui voltímetro sequencial e monitora a rede elétrica via internet, celular ou computador, mede as tensões reais eficazes (True RMS) e possibilita a emissão de relatórios gráficos com o histórico da instalação.

HDS

A empresa lançou a linha de nobreaks Newtri com sistema de dupla conversão e tecnologia DSP (Processador Digital de Sinal), capaz de processar até 10 milhões de amostragens por segundo, no mesmo instante em que é recebido. Fornece energia ininterruptamente, possui proteção contra descarga das baterias, contra sobrecarga, curto-circuito e sobreaquecimentono conversor, subtensão e distorção harmônica na rede elétrica. Indicado para aplicações críticas.

Holec

As chaves seccionadoras tripolares VP, VPR, WP e WPR foram as novidades da Holec. Os modelos VP e WP são operados por meio de um punho de acionamento localizado na tampa frontal e os modelos VPR e WPR podem
ser comandados através de acionamento rotativo externo. As versões WP e WPR não possuem porta-fusíveis incorporados. Disponíveis com capacidades de 125 A e 160 A.

Home Eletric

Destacou eletrocalhas fabricadas em chapa de aço com comprimento máximo de 3.000 mm e largura máxima de 1.000 mm. Outros materiais disponíveis sob encomenda são alumínio, latão, aço inoxidável ou chapa pré-galvanizada. Os acabamentos disponíveis são pintura, galvanização eletrolítica ou à fogo.

IMS

A empresa lançou o transdutor trifásico de grandezas elétricas PowerNet T-500 que coleta informações de consumo e qualidade de energia em diversos pontos de uma instalação, monitorando remotamente as grandezas elétricas. Opera interligado em rede de equipamentos com protocolo Modbus-RTU por meio de saída RS485 e acompanha software de configuração e leitura das medições.

Intelli

Destacou o terminal pré-isolado tipo Ilhós Duplo (TID), fabricado em cobre com camada de estanho, isolado com luva em nylon. Apropriado para uso em componentes eletro-eletrônicos que exigem a aplicação de dois condutores, onde possuem reduzidas dimensões para contato, com excelente resistência às vibrações. Possui padrão de cores conforme norma DIN-46228 e é indicado para redes de baixa tensão até 760 V. Disponível para cabos de bitolas de 0,5 mm² a 16 mm².

Itaipu

A empresa lançou os transformadores ecológicos compatíveis com as normas de materiais e componentes isolantes para transformadores, com os procedimentos e equipamentos de processamento de fluído. Apresentam características térmicas com viscosidade próxima ao óleo de transformador convencional e o tratamento do óleo pode ser realizado na mesma planta usada atualmente para óleos minerais.

JNG

Lançou a linha de contatores CJ19 especialmente desenvolvido para aplicação em banco de capacitores. O produto pode ser utilizado em AC 400Vac e é produzido conforme a norma IEC/EN 60947-4-1. Disponível em quatro modelos para controle do capacitor nas potências de 6Kvar, 9 Kvar, 10 Kvar e 15 Kvar em 220 VAC ou 12Kvar, 18Kvar, 20Kvar e 30 Kvar em 380/400 Vac.

Kanaflex

O já conhecido Kanalex – duto de polietileno de alta densidade (PEAD) – chegou ao Enie com uma novidade: agora o produto está disponível em 8” e em 200 mm (nominal) e diâmetro interno de 206,0 mm. Flexível e com corrugação helicoidal, o Kanalex é amplamente utilizado na infraestrutura de redes de telecomunicações, indústrias, ferrovias, rodovias, aeroportos, entre outras aplicações.

Kotek

Destacou as fontes de alimentação compactas com níveis variados de potência com proteções contra curto-circuitos, sobretensão e sobrecorrente. Alguns dos modelos disponíveis são próprios para montagem em trilho DIN.

Montar

Lançou o Remote Power Panel com medição principal e por polos; avançada, local e remota. Possui interface amigável e em português, histórico de um milhão de eventos, distribuição trifásica + neutro + terra e possibilidade de comunicação via rede. Tem garantia de um ano e está em conformidade com NR 10.

Novemp

Recém-certificada pelas ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001, a Novemp desenvolve painéis elétricos TTA (NBR IEC 60439-1) com corrente nominal de até 3.200 A, corrente suportável nominal de crista podendo chegar até 96 kA e corrente de curta duração adm de 25KA. A empresa oferece a solução completa dos painéis elétricos com os barramentos blindados de cobre e alumínio para baixa e média tensão, em conformidade com a norma NBR IEC 60439-2.

Palle Elétrica

A empresa deu destaque para as cabines primárias blindadas classes 15 kV e 25 kV, fabricadas em sistema modular de alumínio anodizado sobre base de aço galvanizada a fogo

Peveduto

Destacou o Peveduto HD (Heavy Duty) – duto corrugado de polietileno de alta densidade para infraestrutura – que é homologado pela AES Eletropaulo, CPFL, Cemig, Light, Rioluz e Celesc, entre outras. O produto é fabricado em 40 mm, 50 mm, 63 mm, 90 mm, 110 mm, 125 mm, 140 mm, 160 mm, 180 mm e 200 mm.

Pextron

O destaque da empresa foram os relés de proteção multifunção para geradores URP 6000 e URP 6001.  Com quatro entradas de corrente e de tensão, os equipamentos possuem seis entradas lógicas isoladas e seis saídas relés (cinco configuráveis e auto-check). Podem ser adquiridos na corrente nominal de 1 A ou 5 A e com duas portas para comunicação serial: USB e bornes RS485 (modelo URP 6000) e RS232 (modelo URP 6001).

Pevesol

A Pevesol destacou os dutos de parede lisa MND. Em conformidade com a ABNT NBR 15155-1, os dutos destinam-se a instalações elétricas subterrâneas por método não destrutivo, ou seja, elimina a necessidade de escavação. Fornecido em barras, o duto já é homologado pela AES Eletropaulo.

Press Mat

Destacou o painel de média tensão PAC – 17,5 kV/31,5kA, que é um cubículo para dispositivo de interrupção do tipo a vácuo extraível com possibilidade de utilização de chave de terra para curto-circuitar o alimentador e classificação IAC. Atende a norma NBR-IEC-62271-200.

RDI

A RDI apresentou para seus clientes e visitantes a nova família de Dispositivos Supervisores de Isolamento (DSI). A série DSIADT75/ E75/ GSE75 é indicada para supervisão do isolamento com dois níveis de alarme para emprego universal em todos os sistemas isolados (IT), para supervisionar a conexão ao sistema e a terra e verificar o funcionamento do dispositivo ou do sistema de supervisão, assim como cuidar da segurança funcional por meio de auto-testes automáticos. A empresa oferece ainda as séries DSIADT75B/ E75B / GSE75 (com display de texto LC iluminado) e DSIADGSE75 (com Leds de alarme).

Schneider Electric

A empresa lançou os painéis Prisma Plus Sistema P de baixa tensão até 4000 A para edifícios terciários e industriais. Possuem conexões pré-fabricadas que permitem a distribuição de corrente em ambas as partes do barramento e os painéis estão em conformidade aos ensaios de tipo da norma ABNT NBR IEC 60439-1 e possuem grau de proteção IP 30,31 e 55.

Sec Power

O destaque da Sec Power, durante o Enie, foi a bateria de níquel-cádmio construída em elementos individuais de 1,2 V e capacidades a partir de 20 Ah a 1500 Ah. Apresenta vida útil superior a 20 anos e é produzida em conformidade com a norma IEC 60623. A bateria é amplamente utilizada em sistemas DC, sistemas de comunicação em ferrovias, em telecomunicações, em UPS, em sinalização e outras aplicações.

Siemens

O grande destaque da companhia foram as novas linhas de interruptores e tomadas Delta mondo LX e Delta mondo LX Crystal. As peças, produzidas com materiais nobres como vidro temperado, alumínio escovado e madeira proveniente de áreas de reflorestamento, podem ser personalizadas com legítimos cristais austríacos. Destinadas à construção civil de alto padrão, aliam bom gosto, sofisticação e funcionalidade à estrutura elétrica do ambiente e seguem o novo padrão brasileiro de tomadas, de acordo com a norma NBR 14.136.

SIL

Lançou o cabo flexível Silnax 0,6/1kV HEPR 90º multipolar, disponível com duas, três ou quatro veias e nas seções nominais que vão de 2×1,5 mm² a 2×16 mm², 3×1,5 mm² a 3×120 mm² e de 4×1,5 mm² a 4×120 mm². É recomendado para instalações elétricas fixas de até 1 kV e possui isolação das veias extrudada e feita de EPR.

SPTF

Destacou o conduíte Conflex com trançado 3/8″ a 2″, indicado para máquinas operatrizes ou cabo de chicote para fiação el

étrica industrial, motorização de elevadores e etc. Sua flexibilidade permite movimentos, acompanhando o vai e vem das máquinas, mas não é impermeável a líquidos e seu uso está restrito a ambientes internos.

Steck

A Steck destacou, durante o evento, suas tomadas de painéis Kick, produzidas em material termoplástico auto-extinguível, com correntes de 10 A a 20 A. Estão disponíveis nos modelos tomada com borne, tomada fasto n e tomada com cabo de 2 mm². As tomadas estão de acordo com a ABNT NBR 14136.

Termotécnica

Destacou as hastes de aterramento acobreadas – alta camada com núcleo de aço carbono SAE 1010/1020 com revestimento de cobre eletrolítico de pureza mínima de 95% sem traços de zinco. A camada de cobre que constitui o revestimento do aço é obtida por meio de processo de eletrodeposição anódica de modo a assegurar uma união homogênea e inseparável entre os dois metais. Produto conforme NBR 13571

Testo

Lançou o software IRSoft, que auxilia na exata localização da área com problemas, define o nível de transparência e regula a intensidade do infravermelho. Faixas críticas de temperatura podem ser marcadas introduzindo limites de temperatura e áreas com problemas podem ser diretamente localizadas e o status de temperatura do objeto medido é exibido. A imagem sobreposta é inserida no relatório para fins de documentação.

Vepan

A novidade apresentada pela empresa foi o sistema Vepact de painéis de distribuição de baixa tensão. A solução permite a compartimentação do invólucro em qualquer um dos tipos previstos por norma. A ABNT NBR IEC 60439-1 define os tipos de compartimentação (formas construtivas), que são obtidas por barreiras ou divisões internas destinadas à proteção das pessoas e das instalações.

VMG

A empresa apresentou sua linha de painéis TTA que seguem a NBR IEC 60439-1, com destaque para o modelo SW-1600, que possui tensão nominal de operação de até 440 V e corrente nominal  de até 1600 A. Tem corrente suportável de curta duração de até 40,5 kA/1s e corrente suportável de crista de até 84 kA e grau de proteção IP 31.


Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: