Energia deve receber cerca de R$ 1 trilhão em investimentos

jul, 2010

Edição 54 – Julho de 2010
Por Lívia Cunha

Energia elétrica, gás natural, petróleo e biocombustíveis devem receber os investimentos até 2019, segundo o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2019).

O setor de energia brasileiro deve receber R$ 951 bilhões em investimento em projetos nas áreas de energia elétrica, petróleo, gás natural e biocombustíveis nos próximos dez anos. A projeção elaborada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) está em fase de consulta pública no Ministério de Minas e Energia (MME) e faz parte da atualização anual do Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2019).

As áreas que mais serão beneficiadas são a de petróleo e gás natural, que absorverão 70% dos recursos planejados, o que corresponde a R$ 672 bilhões para investimentos em atividades de exploração, produção e oferta de derivados das duas fontes. Já para o setor elétrico, nos segmentos de geração e transmissão de energia elétrica, são previstos aproximadamente R$ 214 bilhões, o que representa 22,5% do total.

Segundo a EPE, esse investimento é fundamental para garantir um crescimento de 5,1% ao ano da economia brasileira nos próximos dez anos. Para que isso aconteça, entretanto, o Brasil precisará agregar 6.300 MW à sua capacidade instalada por ano, o que corresponde a
3.333 MW médios de energia firme anuais.

No que concerne à geração de eletricidade, a projeção da EPE prevê que o aumento de capacidade instalada brasileira seja puxado pelas fontes renováveis de energia. Dessa forma, a principal fonte para atender à expansão de demanda de consumo continuará sendo a hidreletricidade.

A empresa estima que nos próximos dez anos serão instalados 35.245 MW, sendo dois terços desses correspondentes a projetos que já foram leiloados e já estão em construção – como as usinas de Jirau e Santo Antônio – e o restante de obras que devem ser iniciadas em breve – como a usina de Belo Monte. Mas, até 2019, devem entrar em operação apenas cerca de 13 mil MW do total de hidrelétricas a serem viabilizadas.

Enquanto isso, as fontes alternativas complementarão a energia hidrelétrica no período e totalizarão 14.655 MW. Por fim, estima-se que 36.797 km de linhas de transmissão elétrica sejam instaladas, o que representará um aumento de 38% no total existente no País.

Planejamento dos investimentos

 

Áreas e segmentos

R$ bilhões (2010-2019)

%

Oferta de energia elétrica

214

22,5

Geração

175

18,4

Transmissão

39

4,1

Petróleo e gás natural

672

70,6

E&P de petróleo e gás natural

506

53,1

Oferta de derivados de petróleo

151

15,9

Oferta de gás natural

15

1,6

Oferta de biocombustíveis líquidos

66

6,9

Etanol – usinas de produção

58

6,1

Etanol – infraestrutura dutoviária

7

0,8

Biodiesel – usinas de produção

0,5

0,1

Total

951

100

*Fonte: EPE

Comentários

Deixe uma mensagem