Dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando BT-MT

jul, 2015

Edição 113 – Junho de 2015

Momento econômico deixa mercado de dispositivos elétricos apreensivo

Grande parte das empresas do setor acredita que a desaceleração da economia brasileira é o fator que causará mais impacto no crescimento do mercado de dispositivos elétricos, no entanto, para consumidores destes produtos, trata-se de um setor em franco crescimento

A situação econômica atual do país é a principal razão para as projeções menos otimistas dos fabricantes e distribuidores de dispositivos de proteção e seccionamento de média tensão em relação ao seu crescimento para 2015. Pelo menos é o que dizem as empresas da área que responderam à pesquisa da revista O Setor Elétrico desta edição sobre o tema. Conforme o levantamento, a maior parte das companhias entrevistadas, 34%, apontou a desaceleração da economia brasileira como o principal fator de interferência no crescimento deste mercado no ano. Como consequência desta percepção, os fabricantes e distribuidores pesquisados apostam em um crescimento de 10% de suas empresas neste ano de 2015. No levantamento realizado pela revista no ano passado, as companhias da área esperavam crescer 12%. A constatação de um crescimento de 10% no ano passado em relação à 2013 também deve ter ajudado para que elas baixassem suas expectativas. 

O crescimento abaixo do esperado em 2014 apresenta reflexos também no faturamento das companhias no mesmo ano. Se a porcentagem de empresas que disseram faturar de R$ 5 milhões a R$ 20 milhões foi a mesma (30%) de 2013 para 2014, o mesmo não se pode dizer da porcentagem de fabricante e distribuidores de dispositivos de proteção e seccionamento de média tensão que afirmaram faturar até R$ 5 milhões. Este número aumentou de um ano para o outro, passando de 23% em 2013 para 32% em 2014. A diminuição de 11% para 7% das empresas que afirmaram faturar acima de R$ 200 milhões de 2013 para 2014 também pode ser considerado um indicador de como as companhias da área estão sentindo o crescimento moderado de suas empresas e a desaceleração da economia do Brasil.

 

Clique aqui para fazer o download da pesquisa na íntegra.

Comentários

Deixe uma mensagem