Cinase reúne comunidade técnica em Belo Horizonte

jul, 2010

Edição 53 – Junho de 2010
Por Flávia Lima

Primeira etapa do Circuito Nacional do Setor Elétrico (Cinase) aconteceu na capital mineira e reuniu, na sede do Crea-MG, cerca de 300 profissionais da engenharia elétrica.

A cidade de Minas Gerais foi a primeira a receber o I Circuito Nacional do Setor Elétrico (Cinase), um evento itinerante, realizado pela Atitude Editorial e pela Hilton Moreno Consulting, que tem o objetivo de levar, aos principais centros de negócios do País, informações técnicas relevantes por meio de palestrantes renomados e atuantes no setor elétrico brasileiro.

Aproximadamente 300 profissionais de engenharia elétrica participaram desta primeira etapa – de uma série de cinco congressos a ser realizada neste ano de 2010. O evento ocorreu na sede do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea-MG) e foi constituído por dois dias de palestras técnicas e intervalos, em que os congressistas aproveitavam para se inter-relacionarem e conhecerem as tecnologias em produtos e serviços das empresas expositoras.

O diretor da Atitude Editorial e do Cinase, Adolfo Vaiser, conta que o congresso nasceu não para ser mais um seminário como tantos que já existem. “A ideia é levar o evento a importantes regiões brasileiras, de forma que o profissional tenha a oportunidade de participar, em sua própria região, de um evento de alta qualidade técnica”, diz.

No primeiro dia do evento, os engenheiros Paulo Fernandes da Costa, Paulo Martins, Marcelo Paulino e João Barrico palestraram, respectivamente, sobre os temas: aterramento do neutro em subestações industriais, compensação de energia reativa na presença de harmônicos, automação de sistemas elétricos industriais e NR 10.

Na opinião de um dos congressistas, o professor Célio Sérgio Vieira, o nível dos debates foi muito bom. “Os temas foram bem selecionados e foram levantadas as temáticas da eficiência energética e da conservação ambiental, assuntos que, antigamente, só se pensava sob o aspecto econômico”, analisa.

No segundo dia, foi a vez de discutir novas aplicações da automação predial e residencial, dimensionamento econômico e ambiental de condutores elétricos, nova normalização sobre aterramentos elétricos e quadros de distribuição tipos TTA e PTTA. Estes temas ficaram sob a responsabilidade dos especialistas José Roberto Muratori, Hilton Moreno, Jobson Modena e Paulo Barreto.

O diretor técnico do Grupo CEI e presidente do Grupo de Fabricantes de Painéis de Minas Gerais (Gfape), Alexandre Magno, prestigiou o primeiro Cinase e afirmou que “foi uma surpresa muito grande a qualidade do evento e a quantidade de pessoas que o evento reuniu. Os principais projetistas, os principais montadores estão aqui. Achei que o tempo foi curto, mas tenho certeza de que o evento volta para a cidade”.

A escolha de Belo Horizonte para sediar esta primeira fase do Cinase deu-se em decorrência de questões logísticas e de adequação ao calendário de eventos do setor elétrico já programado no País. O engenheiro eletricista e diretor técnico do evento, Hilton Moreno, conta que, “após uma série de pesquisas de eventos no setor elétrico em 2010, de forma a evitar conflitos, e de estudos sobre a maneira mais eficiente de deslocar o evento pelo Brasil, chegou-se à sequência anunciada, ou seja, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Recife, Ribeirão Preto e Porto Alegre”.

Na mesma direção, o presidente da Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais de Minas Gerais (Abrasip-MG), Marcelo Dicker, diz que seminários como estes são importantes para divulgar informações técnicas para outros mercados, além de compartilhar novidades e trocar experiências com profissionais de outras localidades. “Minas Gerais é um mercado grande, importante e com a economia aquecida. A gente sente falta de eventos técnicos dessa qualidade”, conclui.

Exposição

A área de exposição foi idealizada de forma inovadora. Os estandes dos patrocinadores obedeceram a um padrão único, de forma que nenhuma empresa se sobressaiu às demais, permitindo que o foco de atenção do público fosse voltado efetivamente para as tecnologias apresentadas. “Dessa maneira, as empresas se mostram iguais e, portanto, ficam mais à vontade para vender sua marca em um espaço de grande interação com o público”, explica Adolfo Vaiser.

Na opinião do supervisor de vendas da Hellermann Tyton, Antonio Almeida, a participação na primeira edição do Cinase foi positiva: “Eu achei que seria um evento pequeno, com poucas pessoas, mas superou minhas expectativas. O nível dos participantes foi muito bom e já tivemos alguns contatos positivos. Juntando os próximos quatro eventos, estou certo de que o resultado final será bem maior”. A gerente de marketing da Finder Componentes, Camila Guerra, concorda: “Eventos deste tipo são especialmente importantes para network”. Segundo ela, o congresso permite que os participantes aprendam os conceitos, as técnicas nas palestras e depois, na exposição, conhecem a prática e as aplicações reais. “É um evento importante para as duas pontas”, avalia.

Participaram da área de exposição as empresas Blutrafos, Finder, Hellermann Tyton, Legrand, Megabarre, Metaltex, Novemp, Pextron, Phoenix Contact, RDI e Wirex.

Com caráter itinerante, o Cinase deve passar por mais quatro importantes cidades brasileiras: Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP) e Porto Alegre (RS). As datas ainda serão confirmadas, mas os eventos devem ocorrer nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro, respectivamente.

Para mais informações sobre o I Cinase, acessem www.cinase.com.br

Veja, a seguir, algumas imagens do que foi essa primeira etapa do I Cinase:

 

 

 

 

 

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: