CINASE mantém o ritmo aquecido em Curitiba

nov, 2016

Outubro de 2016
Por Flávia Lima

Evento deu prosseguimento às inovações de 2016 e contou com forte apoio de empresas e entidades regionais para sua divulgação e realização. Contabilizando as três edições do ano, foram mais de 1500 presentes

ed-129_cinase_fig-1

ed-129_cinase_fig-2

A 26ª etapa do CINASE obteve ao todo 750 inscritos e a participação
efetiva de aproximadamente 460 profissionais do setor.

Dando continuidade ao novo modelo do Circuito Nacional do Setor Elétrico (CINASE) adotado em 2016, a Atitude Editorial realizou nos dias 13 e 14 de outubro, na cidade de Curitiba (PR), a terceira e última etapa do evento no ano. Com forte apoio regional, a 26ª etapa do CINASE foi mais um grande sucesso: obteve ao todo 750 inscritos e a participação efetiva, contando os dois dias de congresso, de aproximadamente 460 profissionais.

Como nas outras edições do CINASE, o congresso foi realizado a partir do mote “Uma viagem pelo mundo das instalações elétricas”, iniciando pela temática “concessionárias”, passando por “transformadores”, “qualidade de energia” e “SPDA e aterramento”, até chegar em “iluminação”. Dessa forma, o ciclo de palestras da Etapa Curitiba foi aberto pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) Distribuição. O superintendente da concessionária, Julio Shigueaki Omori, dissertou a respeito das inovações no panorama da distribuição de energia realizada pela Copel.

ed-129_cinase_fig-3ed-129_cinase_fig-4

Outro destaque do primeiro dia foi a participação do pesquisador dos Institutos Lactec, Mateus Duarte Teixeira Medições, que abordou o tema qualidade de energia em parques eólicos. As energias renováveis continuaram sendo contempladas pelo membro do Conselho Consultivo da Copel Brisa Potiguar, Dilcemar de Paiva Mendes, e o especialista em energias renováveis, o engenheiro Heiko Lubke. Eles discorreram, respectivamente, sobre conceitos, tendências e o mercado de energia eólica; e tendência e tecnologias envolvendo o segmento de energia solar fotovoltaica.

ed-129_cinase_fig-5ed-129_cinase_fig-7

ed-129_cinase_fig-6Um dos principais destaques do segundo dia do congresso foi o debate especial sobre a norma internacional IEC 61439, que trata dos conjuntos de manobra e controle de baixa tensão e traz uma série de mudanças em relação à norma existente no país, a ABNT NBR IEC 60439. O debate envolveu o sócio-diretor Operacional da Engerey, o engenheiro Fábio Amaral, o vice-presidente da Schneider Electric, Oney Schliesing Jr., e o engenheiro Nunziante Graziano.

Além do congresso, o CINASE etapa Curitiba apresentou uma exposição com a presença dos patrocinadores do evento. Nesta edição, participaram: AltoQi, Aplicaciones Tecnológicas, BRVAL, Brother, Cabelauto, Corfio, DEHN, Dialight, Embrastec, Engerey, Flir, Grupo A.Cabine, Itaim, Maxibarras, Philips, Phoenix Contact, Proauto, Reymaster, Rittal, Schneider Electric, TAF, TEL e Weg. A Rittal, por exemplo, marcou sua presença com o Container Truck.

Mais uma vez, tal qual ocorreu nas outras edições promovidas em 2016, o CINASE teve um excelente trabalho de divulgação, realizado também com o apoio de entidades e empresas da região. Na etapa Curitiba, o evento contou com os seguintes apoiadores: Associação Paranaense de Engenheiros Eletricistas (APEE); Copel; Crea-PR; Instituto de Engenharia do Paraná (IEP); Abeéolica; Institutos Lactec; Universidade Federal do Paraná (UFPR); ABRAPCH; Abrinstal; Sindicato dos Engenheiro do Paraná (Senge-PR); Abrap; Engerey Painéis Elétricos; e Reymaster Materiais Elétricos.

Presidente do IEP, uma das entidades apoiadoras do evento, o engenheiro eletricista, Nelson Luiz Gomez, teceu elogios à edição realizada na cidade Curitiba, destacando que os workshops e as 40 palestras apresentadas durante o CINASE foram conduzidos com “segurança, objetividade e praticidade”, com o intuito de que os participantes “agregassem novos conhecimentos, novas técnicas e novos procedimentos sobre o estado da arte de produtos, equipamentos, normas e técnicas de projeto, execução e manutenção das instalações de energia e iluminação”. Também foram relevantes, para Gomez, as demonstrações nos estandes dos patrocinadores do evento, que se empenharam em trazer, mostrar e demonstrar aos participantes, na prática, as novidades do mundo da eletricidade.

ed-129_cinase_fig-8A Rittal, um dos patrocinadores do evento, trouxe para a parte de exposição do CINASE, o seu container truck.

Para Marcos A. Stoppa, diretor da Reymaster Materiais Elétricos, patrocinadora máster e apoiadora do CINASE, o evento superou as expectativas, não apenas pela quantidade, mas pela qualidade dos profissionais presentes, registrando a participação de palestrantes renomados, verdadeiros protagonistas do setor elétrico brasileiro. “Estar no CINASE Curitiba foi importante para nós, pois possibilitou dar visibilidade às nossas marcas, estreitar o relacionamento com clientes e, principalmente, demonstrar o nosso atendimento de qualidade, que conta com especialistas técnicos para ajudar na escolha dos produtos”, afirma Stoppa.

A Engerey Painéis Elétricos, empresa coligada à Reymaster, também demonstrou satisfação em apoiar e patrocinar o evento, que rendeu frutos à companhia. “O CINASE foi positivo e cumpriu os seus objetivos quanto ao fortalecimento de parcerias e abertura de novos contatos comerciais”, comenta o diretor da empresa, Fábio Amaral, que enfatiza também a participação da Reymaster na exposição e no congresso. “Durante o evento tivemos a oportunidade de demostrar a qualidade de nossos produtos e o alto nível de nossos profissionais, seja através da exposição (na qual focamos painéis de baixa tensão certificados) ou do Congresso, onde participamos de debates importantes acerca das normas que regem estes produtos. Certamente estaremos presentes nas próximas edições”, assegura.

ed-129_cinase_fig-9

Sobre a importância do CINASE para a cidade de Curitiba, o presidente da IEP enfatiza que a capital paranaense teve a oportunidade de recepcionar de forma calorosa um grande número de profissionais da área elétrica. Para ele, tal recepção corrobora com a divulgação da cidade não somente no setor turístico, mas também no setor de conhecimento técnico. “Curitiba espera que a equipe do CINASE programe novos eventos para a cidade, criando um elo forte e duradouro, marcando permanentemente presença e fazendo parte de sua história”, conclui Gomez.

ed-129_cinase_fig-10

O CINASE fecha o ano de 2016 com diversos motivos para comemorar. No balanço final, levando em conta as etapas de Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Curitiba (PR), prestigiaram o evento 1.500 pessoas, média de 500 pessoas por etapa, números nunca atingidos, segundo informa o diretor do CINASE, Adolfo Vaiser. Ademais, foram 39 apoiadores, entre associações, conselhos regionais, institutos e fabricantes, além de 35 empresas patrocinadoras.

Painéis elétricos

Este tema sempre foi bastante abordado e procurado em todas as edições do Cinase. Na edição de Curitiba não foi diferente. No primeiro dia do evento, o engenheiro Meneghetto Pio Alberti, gerente comercial da Engerey, apresentou aspectos da norma atual para painéis de média tensão (MT), que substituiu a antiga ABNT NBR 6979 e passou a se basear não só na forma de construção, mas na segurança que o produto oferece. Logo após, Meneghetto respondeu a perguntas do público ao lado de especialistas na área em um debate sobre o tema.

ed-129_cinase_fig-11

Em outra apresentação, o diretor da Engerey, Fábio Amaral, falou sobre os painéis de baixa tensão segundo a norma IEC 61439, que ainda não tem uma versão brasileira. O documento normativo prevê a substituição dos conceitos TTA (Totalmente Testados) e PTTA (Parcialmente Testados) por abordagem de verificação, seja por ensaio, cálculo/medição ou cumprimento das regras de projeto. “A IEC 61439 vem melhorar e esclarecer vários pontos a fim de aumentar a confiabilidade dos painéis. Este processo é essencial para nivelar o mercado e garantir a qualidade dos produtos comercializados”, explicou Fábio Amaral.

Comentários

Deixe uma mensagem