Cem! Sem dúvidas

jun, 2014

Edição 100 – Maio de 2014
Por José Starosta

Quando o Adolfo (diretor da Atitude Editorial), com o seu habitual entusiasmo, me falou do seu projeto para o lançamento de uma nova revista voltada à eletricidade, fiquei impressionado, sobretudo pela coragem e motivação dele para o novo projeto. Pensei comigo: “este cara está louco!”. Mas, por outro lado, se a publicação focar em desenvolvimento e divulgação técnica, o grande vencedor seria o nosso mercado de engenharia elétrica, que teria mais uma fonte de consulta, de exposição de “cases” e, fundamentalmente, de discussões técnicas. Expressei minha opinião a ele: “se a revista não for mais um “catálogo de produtos”, me parece que será bem aceita”. Isso hoje me parece claro, a pluralidade e a divulgação de opiniões fortalecem nossos profissionais e abre a todos oportunidades e caminhos para busca de referências; um mesmo tema descrito e abordado por modos distintos favorece sua sedimentação.

Na sequência, ele me convidou para tomar conta de uma coluna da nova revista, abordando os pontos de vista dos temas que tratamos em nossas atividades profissionais. Não tem sido difícil, pois as atividades de engenharia elétrica exigem uma boa dose de pesquisa e estas pesquisas nos inspiram a desenvolver alguma temática que poderia interessar aos colegas. E assim tem sido; os temas surgem em nossas atividades e, decorrentes das pesquisas para as soluções, os artigos vão saindo do forno. Se as colunas são lidas ou aproveitadas pelos leitores eu não tenho muita certeza, mas pelo menos (ainda) não fui vaiado. Aliás, algumas vezes os amigos comentam sobre um ou outro artigo, trazendo o debate à tona, o que é muito bom! Discutir os temas relacionados a esta nossa fantástica engenharia elétrica é sempre um prazer, fazer parte do rol daqueles que se divertem com o trabalho é um privilégio.

Não foram apenas as colunas mensais, mas também as participações nos guias técnicos, entrevistas, palpites e outros temas tratados pela revista, como os Cinases (eventos promovidos pela Atitude Editorial), além, é claro, das pequenas encrencas que apareceram, como uma matéria que foi publicada em um “caderno técnico” e que continha uma figura que foi equivocadamente impressa em uma posição “rotacionada” em 90°; era preciso “virar” a revista para tentar entender a figura.  Um amigo me aconselhou, “não fique chateado, basta pedir ao leitor que aplique o operador ‘j’”!!!! A expressão da Flávia (editora) naquele dia não me sai da cabeça! Sorry, Flávia.

Não dá para não lembrar, nestes anos de revista, da figura ímpar e carismática do saudoso Sergião – o Sérgio Bogomoltz (consultor técnico da revista) – uma usina de ideias e de otimismo. Brigar com o Sergião era uma delícia e, sobretudo, uma “terapia”. Este cara faz muita falta.

Particularmente, fico feliz em contribuir e, mesmo, pertencer a este time, que apesar das naturais dificuldades luta com dignidade e atinge seus objetivos com ética, respeito e reconhecimento profissional, atributos simples que garantem para a publicação um futuro brilhante. Que vocês possam continuar merecedores do crédito e confiança do mercado. E que assim seja. Sucesso e saúde a todos.

Comentários

Deixa uma mensagem

%d blogueiros gostam disto: