Balanço de 2015 e as últimas notícias sobre certificações de Led

jan, 2016

Edição 119 – Dezembro de 2015
Por Juliana Iwashita

Crise econômica, queda do PIB, aumento da inflação, diminuição do poder de compra, retração das empresas, aumento do desemprego, crise política, corrupção, impunidade, crise hídrica, crise ambiental,  ajuste fiscal, processo de impeachment… Finalmente o ano de 2015 chegou ao fim.

Na área de iluminação e eficiência energética, apesar da retração com os demais setores da economia, existiu um diferencial, que acabou viabilizando muitos negócios. Com o significativo aumento da energia elétrica em 2015, muitas oportunidades de implantação de novas tecnologias tornaram-se mais viáveis. Isso significou o aumento da utilização da tecnologia Led como fonte de luz e uma maior utilização de sistemas de controle, como automação em iluminação interna e telegestão em iluminação pública.

A crise na área de iluminação só não foi tão forte em função dos altos preços da energia elétrica. Motivados em economizar energia, muitas empresas estão realizando retrofits de seus sistemas de iluminação ou estudando meios de economizar energia de uma forma mais eficiente. Assim, é possível verificar que as empresas de iluminação, que há algum tempo vem investindo de forma mais consistente em tecnologia led e outros sistemas de controle, não tiveram um resultado ruim como as empresas que não se prepararam para isso.

A grande preocupação em relação à qualidade de produtos, entretanto,  ainda assombra este mercado, principalmente os projetistas. Muitos consumidores reclamam da qualidade dos produtos Led disponíveis no mercado e isso realmente continua, infelizmente, pois nosso mercado é na maioria das vezes consumidor de preço e  não consegue avaliar de forma eficaz a qualidade dos produtos.

A grande expectativa de 2015 era a certificação compulsória do Inmetro para lâmpadas Led, que deveria barrar até 17 de dezembro, as importações e fabricação de produtos sem certificação.

O prazo, porém, se esgotou e apenas três marcas foram certificadas. Na mesma data uma proposta para a extensão do prazo inicial, foi colocada em consulta pública. Preocupante? Sim, no mínimo isso. Pois mostra que infelizmente não estávamos preparados para uma certificação deste porte. E isso ocorre por diversos fatores: prazo final curto em relação aos prazos de ensaios de vida exigidos, existência de produtos não conforme no mercado, havendo necessidade de adequação de importadores e fabricantes, carência de infraestrutura para ensaios exigidos por laboratórios e organismos de certificação de produtos (OCPs) e morosidade na obtenção de acreditações dos laboratórios e OCPs.

Atualmente, não temos oficialmente um novo prazo estabelecido para a exigência da Portaria Inmetro nº 144/2015, que aprova os Requisitos de Avaliação da Conformidade para Lâmpadas Led com dispositivo integrado à base. Mas encontra-se em consulta pública, até dia 2 de janeiro de 2015, a Portaria nº 599 de 17 de dezembro de 2015, que prorroga em dois meses este prazo. Isto é, a nova proposta é que as exigências técnicas comecem a vigorar em fevereiro de 2016.

Em relação à introdução da certificação de luminárias públicas, que também era esperada para 2015, não houve evolução. 2016 promete ser o ano, mas sem prazos definidos. Dado o cenário que estamos passando, fica a esperança de que 2016 seja um ano melhor para todos. Que a crise econômica, política, moral e ambiental por qual estamos passando sejam minimizadas em 2016 e que se abram espaços para novas oportunidades, novas ações e uma forma para se repensar e recriar o que cada um está fazendo.

O final e o início do ano são sempre bons momentos para se fazer reflexões e planejar um ano novo melhor. Ter criatividade, flexibilidade, força de vontade e não se deixar levar pelo pessimismo, acredito que sejam ingredientes-chave para este novo ano que se inicia. Assim, desejo a todos os amigos, parceiros e leitores dessa coluna, que 2016 seja um ano de muita luz e boas energias!

Comentários

Deixe uma mensagem